Porto Velho (RO) sábado, 22 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Paulo Saldanha

Na Exposição Feira, mister Gerald Enfrentou um touro - Por Paulo Saldanha


  Mister Gerald é demais! Tem muitas histórias para contar, algumas quase trágicas, outras hilariantes!

    Um dia, e lá se vão quase 44 anos, ele, ao lado da charmosa esposa, grávida de 8 meses, foi à exposição no Parque dos Tanques, em Porto Velho, ali na Avenida Lauro Sodré.

    Já com noite alta caminhavam no rumo do que poderia ser a praça de alimentação. Ele sempre gostou de umas cervejas. E lambia os beiços sonhando com umas Brahmas! E com a escuridão, não atinava o motivo de tanta gritaria, alertando que o Diamante Escuro, o touro bravo, preto, fumegante, soltando fumaça pelas ventas tinha se soltado...

    A fera não enjaulada já tinha atingido uns cinco homens até que o surpreendeu a dois metros de distância. Só teve tempo de empurrar a esposa para o lado e procurou agarrar o bovino pelos chifres. Com força sobre humana, testa com testa com o endiabrado, e, sem querer fugir do bafo “caliente” que o encantou, espetou com o cabelo duro os olhos do animal enlouquecido.

    Teve uma hora que o marruá, conseguindo desvencilhar-se do abraço humano virou a cabeça e quase nocauteou o Mister Gerald, ferindo-o na boca. E ficou jogando o nosso herói para o alto que, ao cair ficou bastante machucado nas costas, com enormes hematomas. Meio tonto desguarneceu seus sentidos, no instante em que o desengonçado ruminante, aproveitando-se da momentânea insegurança do grande nocauteador de temerários, nos ringues de Pernambuco, fez-se por cima dele, fuçando-lhe o cangote, produzindo arrepios delirantes.

    O macho reprodutor ensandecido parecia gostar daqueles instantes de quase ternura, quando mister Geraldo deu um carpado tentando inverter a posição deprimente em que se encontrava.

Ele desejava ficar por cima... mas, o Diamante Escuro atento aos movimentos quase ternos de Mister Gerald, num jogo que mais parecia de sedução explícita, raciocinando rápido, percebendo a ardilosa manobra do adversário, saiu debaixo do humano e continuou em cima.

    A suave esposa gritava pedindo socorro... E ninguém se atrevia no interesse da salvação. E Mister Gerald continuava na subalterna posição, subjugado.

    Como homem afeito a aventuras e sabendo que deveria improvisar uma saída honrosa, eis que Gerald, retirando do bolso um canivete marca Onça conseguiu abrir e, ao reconhecer o ponto sensível da geografia do brutamonte, discretamente, tocou com a ponta nos escrotos do meliante que, urrando de dor, saltou para o lado e soltou o ser branco que dominava.

    Gerald sangrava pelo lábio superior e, com algumas escoriações subiu num caminhão que desembarcava umas cervejas. Lembrou-se da generosa esposa e viu que já estava em segurança.

    De cima do caminhão chamava o parente dos búfalos para mais embate com os punhos cerrados. Mas, o vadio perdia sangue pelos bagos e pressentia que poderia perder a sua virilidade. Refiro-me ao Diamante escuro.
    
    Uns peões, depois, laçaram e prenderam o tal touro que lançava olhares sedutores faiscantes para o Pernambucano de Jaboatão dos Guararapes, que, magoado nem retribuía, tentando secar o sangue que insistia em fluir do canto da boca e gemia num dos enclaves do veículo, em face dos calombos no seu costado e nos ombros.

    E, Mister Gerald, saiu do Parque de exposição, sujo, cheirando a boi, com uma mistura de suores dele com os do audacioso animal, amálgama conseguida quando esteve ora por baixo da fera, ora quando o bicho sanguinário esteve por cima dele...

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Paulo Saldanha

A médica e a missionária -  Por Paulo Saldanha

A médica e a missionária - Por Paulo Saldanha

Benjamin Franklin nos ensina que “Aquele que tem uma profissão tem um bem; aquele que tem uma vocação tem um cargo de proveito e honra”.A propósito co

Dona Suk Ry More e Hernando Parará Borgiano - Por Paulo Saldanha

Dona Suk Ry More e Hernando Parará Borgiano - Por Paulo Saldanha

Dai-me paciência, Senhor, Deus, Pai e Criador, para ouvir estórias de Hernando, o mentiroso maior do pedaço, em substituição ao saudoso médico Doutor

A ONÇA PINTADA E A FIVELA DO CINTO - Por Paulo Saldanha

A ONÇA PINTADA E A FIVELA DO CINTO - Por Paulo Saldanha

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Hernando Parará Borgiano, nascido em Lábrea, Estado do Amazonas, mas criado em Guajará-Mirim, herdo

Dom Geraldo no rumo dos campos do Senhor - Por Paulo Saldanha

Dom Geraldo no rumo dos campos do Senhor - Por Paulo Saldanha

  Na madrugada deste 22 de outubro de 2017 a humanidade entristeceu-se e ficou mais debilitada! Morreu Dom Geraldo Verdier, o sacerdote, o missionário