Porto Velho (RO) quinta-feira, 30 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Montezuma Cruz

O santo descanso de todos os dias em Jacy-Paraná


O santo descanso de todos os dias em Jacy-Paraná - Gente de Opinião
O "peão" a serviço do DNIT se distrai com o dominó: rotina dessa pequena Rodoviária, que é quase uma extensão do canteiro de obras da BR-364 /MONTEZUMA CRUZ
 

 
 

MONTEZUMA CRUZ
Amazônias

JACY-PARANÁ,  Rondônia – Uma pausa para o estatutário descanso após o almoço. É assim nesta antiga vila da rodovia BR-364, cortada pelos trilhos e dormentes da extinta Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. “Servimos almoço, salgados e refrigerantes” – anuncia o Bar e Restaurante da Rodoviária, à beira da estrada. Vive cheio.

Nesse local, a 88 quilômetros de Porto Velho, reúnem-se barrageiros da Usina Hidrelétrica de Jirau, operários de engenharia, garimpeiros, viajantes e outros profissionais ou turistas que transitam diariamente na rota Rondônia-Acre. A estrada é muito usada também por bolivianos e peruanos em trânsito para seus países.

Jacy-Paraná foi redescoberta após o início das obras da usina. Para lá concentram suas atenções a Secretaria de Saúde do Município de Porto Velho, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, a Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental e a Coordenadoria de Posturas do Município (órgão da Secretaria Municipal de Serviços Básicos).

Novas posturas são agora essenciais no distrito que vem crescendo a passos largos – repetindo-se um velho clichê jornalístico. É que a fiscalização da prefeitura decretou um breque ao esgoto a céu aberto, construções irregulares de fossas e barracas fora do padrão. Alguns desses problemas vêm de longa data, muito antes de o rio Madeira oferecer seu enorme potencial energético aos consumidores paulistas.

De notificação em notificação, de conversa em conversa, de pedra em pedra, de asfalto em asfalto, moradores de Jacy-Paraná vão experimentando esse novo tempo.

Siga montezuma Cruz no

 Gente de Opinião

 
www.twitter.com/MontezumaCruz

 

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Montezuma Cruz

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Povoada há cerca de seis mil anos, floresta amazônica preservou vestígios dos povos antigos em Rondônia. Produção do SescTV acompanhou o trabalho de p

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

Breve relato de uma andança pela terra indígena Kaxarari entre Rondônia, Acre e Amazonas: em 1980 eu estava na Redação do jornal Porantim em Manaus, e

A grande pedra no caminho dos Suruís

A grande pedra no caminho dos Suruís

Como é que ela foi parar ali? É a primeira pergunta feita pelo visitante, ao encontrar essa pedra enorme numa inclinação do terreno à margem da estrad

Olhe aí, o Canadá de novo

Olhe aí, o Canadá de novo

O anúncio da chegada da empresa Canadá Rare Earth Corporation a Rondônia para explorar terras raras a partir do minério de estanho (cassiterita) trans