Porto Velho (RO) sábado, 2 de julho de 2022
×
Gente de Opinião

Montezuma Cruz

Juruá vê marujada apenas uma vez por ano


 Juruá vê marujada apenas uma vez por ano - Gente de Opinião


MONTEZUMACRUZ
Amazônias

 

O impecável traje de marinheiro é usado por crianças, moças, moços e idosos. Cenas acreanas: em animada roda de cantoria nativa o Grupo “Os Marujos” leva alegria apenas uma vez por ano às populações do Vale do Juruá, no Acre. É no carnaval de Cruzeiro do Sul, a 740 quilômetros de Rio Branco, na fronteira brasileira com o Peru. No restante do ano, o grupo recolhe-se ao anonimato, uma característica muito comum no interior amazônico.


Vi uma evolução de “Os Marujos” durante minha estada naquela região em fevereiro deste ano. Eles simbolizam migrantes nordestinos que chegaram à região em 1940, antes da 2ª Guerra Mundial. Um conjunto regional à moda antiga toca marchinhas, embalando o grupo nos ritmos de sambas e valsas. A tradição da marujada vem sendo aos poucos resgatada no Acre.


Busco agora na Secretaria de Cultura do Acre as letras das músicas que eles interpretam. Antecipo minha opinião a respeito do grupo: municípios acreanos, não só os do Juruá, merecem vê-lo em festas e eventos especiais. Voltarei ao assunto com mais fotos e a história desses marujos.
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Montezuma Cruz

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Presença indígena há 7 mil anos revela uma Rondônia ainda desconhecida

Povoada há cerca de seis mil anos, floresta amazônica preservou vestígios dos povos antigos em Rondônia. Produção do SescTV acompanhou o trabalho de p

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

MEMÓRIA AMAZÔNICA - O repórter Montezuma na terra Kaxarari

Breve relato de uma andança pela terra indígena Kaxarari entre Rondônia, Acre e Amazonas: em 1980 eu estava na Redação do jornal Porantim em Manaus, e

A grande pedra no caminho dos Suruís

A grande pedra no caminho dos Suruís

Como é que ela foi parar ali? É a primeira pergunta feita pelo visitante, ao encontrar essa pedra enorme numa inclinação do terreno à margem da estrad

Olhe aí, o Canadá de novo

Olhe aí, o Canadá de novo

O anúncio da chegada da empresa Canadá Rare Earth Corporation a Rondônia para explorar terras raras a partir do minério de estanho (cassiterita) trans