Porto Velho (RO) sábado, 21 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Lucio Albuquerque

Saia justa para o governador João Cahulla


 
 

NATAL!


Feliz natal para todos. Mas que tenhamos um natal cristão e não apenas um natal festivo.



SAIA JUSTA

A assessoria do governador João Cahulla submeteu-o, dia 22 passado, a um enorme constrangimento durante a entrega da Medalha Rondon, no auditório da Emater. Tudo bem, que é fim de governo e dizem que em fim de governo até o cafezinho vem atrasado e frio, mas o governador não merecia o que aconteceu, tudo erro de assessoria. Foi risível, e constrangedor, não haver um funcionário do setor responsável para indicar a Cahulla em que local ele deveria se postar, sendo necessário que o próprio tivesse de se postar num local e ajudar a empurrar a mesa que se encontrava ali. Depois, o tumulto dos diplomas, sendo necessário que o próprio governador jogasse duro com a assessoria que, mesmo assim, continuou entregando documento errado. Felizmente o jornalista Ciro Pinheiro, autoridade local em cerimonial e relação públicas, não estava presente.



ELEGÂNCIA

Até que o governador tratou com elegância o estival de erros. Seu comentário: "Às vezes o cerimonial erra".



LIÇÃO

Só espero que a assessoria do futuro governador não se espelhe no que aconteceu ali. Aliás, é comentário, mesmo entre servidores da governadoria, que numa cerimônia em um município do cone sul, quando pediram para tocar o hino do Brasil mandaram ver o da Bolívia. E na segunda-feira, 22, o vídeo anunciado com a trajetória de Rondon, não pode ser apresentado porque foi gravado em CD e não em DVD.



MEDALHA

Entre os homenageados os acadêmicos Antonio Cândido, Gerino Alves, ambos da ACLER, e Maria Teresa Chamma, da Academia Guajaramirense de Letras. O jornalista e desportista Walter Santos Barbosa também recebeu a comenda.



DATA

Falar nisso, nos três discursos durante a cerimônia, nenhuma referência a ser, dia 22 de dezembro, a data da criação do Estado.



COLÉGIO

O "Curso Professor Vancks", de Vilhena, começa a se transferir para outra área, mantendo o sistema já vigente, de preparatório para vestibulares e concursos, mas já está tratando de apresentar a documentação ao Conselho Estdual de Educação para conseguir ter o Ensino Médio.



ELOGIÁVEL

A proposta da Fundação Iaripuna, de realizar no Mercado Cultural, em Porto Velho, uma vez por mês, um evento literário deve merecer não só elogios mas, também, incentivos. Na terça-feira, 21, Mado, Miguel Neneve, Socorro, Dom Lauro, além dos membros da Academia de Letras de Rondônia Pedro Albino e Cláudio Feitosa, apresentaram ao público suas últimas obras.



CIDADANIA

Muita gente pensa que cidadania é apenas você ir à seção eleitoral e clicar os números de seus candidatos. O conceito, muito usado, mas pouco praticado, precisa ser melhor divulgado e ensinada sua prática nas escolas.



PERGUNTA

Transfiro a pergunta aos deputados, senadores, prefeitos, governadores e outros "dores": Por que políticos dizem ser contra a corrupção e abusos de poder, mas continuam atrelados aos que são acusados da prática disso?. Vem de Pimenta Bueno, de Ricardo dos Santos Correia a pergunta. Se algum dos citados souber responder, que responda ao meu e-mail acima citado.

Inté outro dia, se Deus quiser!


Lúcio Albuquerque
jlucioalbuquerque@gmail.com

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Lucio Albuquerque

ODACIR – POR QUE “MITO”?

ODACIR – POR QUE “MITO”?

Com o falecimento, nesta semana, do advogado e ex-senador Odacir Soares Rodrigues ficou muito menor o universo dos que atuaram na política rondonien

Cheirou a “entrevista chapa branca”...

Cheirou a “entrevista chapa branca”...

Esta semana estava eu esperando o início de uma reunião, sintonizei na CBN local e começou uma entrevista do ministro Gilmar Mendes, STF, feito no e

Hierarquia é de cima para baixo, e não o contrário

Hierarquia é de cima para baixo, e não o contrário

Censura é uma coisa e hierarquia administrativa é outra

Que tal se portar como presidente?

Que tal se portar como presidente?

Que o presidente Jair Bolsonaro tem realizado trabalhos que valorizam o voto de quem votou nele, disso não há dúvidas, apesar da marcação cerrada e no