Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de janeiro de 2019
×
Gente de Opinião

Lucio Albuquerque

ACLER HOMENAGEIA MARISE CASTIEL -100 ANOS DE NASCIMENTO


O centenário de nascimento da professora Marise Magalhães Costa Castiel, será lembrado nesta segunda-feira em sessão solene pela Academia de Letras de Rondônia, a partir das 19h30 na Casa de Cultura Ivan Marrocos.

"A homenagem da ACLER é o reconhecimento que a Academia está fazendo pelo muito que a veneranda mestra ofereceu e fez pela cultura e educação rondoniense", disse o presidente Francisco Chagoso. 

Nascida em 1918 no Pará, Marise Castiel foi contratada pelo governo do então Território Federal do Guaporé para vir para Porto Velho, onde em 1947 tornou-se a primeira diretora do recém instalado Instituto Carmela Dutra.

No período do Território, Marise foi várias vezes Diretora do Departamento de Educação - cargo similar ao de secretário de Estado da Educação, e durante mais de 30 anos atuando como educadora tornou-se autêntico símbolo do setor, especialmente na formação de centenas de professores.

Mas a professora Marise não atuou apenas na área escolar. Foi também ativa no setor cultural e político,tendo sido a primeira mulher eleita em Porto Velho, vereadora na Câmara Municipal entre 1977 e 1983.

Paralelo com isso exerceu durante muitos anos ativa liderança na comunidade, como quando das manifestações, que a tiveram como um dos coordenadores, da luta pela não aprovação do artigo da Constituição Estadual que previa a mudança da capital para a região central do Estado.

Detentora de varias homenagens prestadas pelo seu trabalho, Marise Castiel recebeu da Câmara o título de Cidadão Portovelhense; da Assembleia Legislativa o de Cidadã Honorária do Estado e a comenda da Ordem do Mérito Marechal Rondon.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Lucio Albuquerque

COISAS DE (quando eu era) CRIANÇA (I) - Lúcio Albuquerque, repórter

COISAS DE (quando eu era) CRIANÇA (I) - Lúcio Albuquerque, repórter

Naquele tempo pouca gente tinha rádio em Porto Velho - conforme contaram, e contam, moradores antigos, como dona Labibe Bartholo e seu filho Walter, o

COLCHA DE RETALHOS  QUE TAL?  - CHEQUE EM BRANCO

COLCHA DE RETALHOS QUE TAL? - CHEQUE EM BRANCO

Ação política não é só votar.

O país foi herdado de modo tão esculhambado

O país foi herdado de modo tão esculhambado

Uma evangélica assume um Ministério – pronto, o mundo desaba, ninguém considera seu currículo

FOGO AMIGO PODE PREJUDICAR, E MUITO, BOLSONARO

FOGO AMIGO PODE PREJUDICAR, E MUITO, BOLSONARO

Há algumas colunas anteriores escrevi que o então candidato Jair Bolsonaro tinha problemas muitos, e que não eram apenas os adversários. Citei que um