Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Ciro Pinheiro

Semeando o desenvolvimento através da história


­Semeando o desenvolvimento através da história - Gente de Opinião

O jornal Alto Madeira, fundado por Joaquim Augusto Tanajura em 15 de abril de 1917, é, sem favor algum, a grande testemunha da história de Rondônia. Sendo o mais antigo Jornal da região, e um dos dez mais antigos do Brasil, hoje, domingo, 15 de abril, completando mais um ao de existência chegando aos 95 anos de atividade ininterrupta, rumo aos cem anos. O jornal, que começou sua vida tendo a primeira sede na rua Comendador Centeno, atual José Bonifácio, no início da ladeira, depois, na década 40 rumou para Sete de Setembro próximo a rua Prudente de Moraes, e, no final da mesma década se transferiu para a rua Barão do Rio Branco, em frente à praça Jonathas Pedrosa, onde permaneceu até 1984 quando se mudou para a avenida Jorge Teixeira esquina com a Rua Migrante, sendo, que, em meados da década passada, ocupou o espaço que, hoje, ocupa na Avenida dos Migrantes, 4.650, no Setor Industrial.

Não se pode deixar de destacar que, em Rondônia, uma das suas maiores contribuições foi a de ter sido a maior escola de jornalismo, efetivamente, falando. Contam-se nos dedos os grandes nomes da imprensa de Rondônia que não deram seus primeiros passos na redação do Jornal e, certamente, não existe intelectual de renome que não tenha sido divulgado nas suas páginas. Ninho e celeiro também de lideranças políticas não há, nem houve, fato relevante regional que tenha escapado de sua atenção. A credibilidade que alcançou, em especial por tradição e merecimento na capital do Estado, é fruto de que se trata de um jornal aberto, pluralista, informativo e que sempre permite o contraditório. Não é à-toa que os formadores de opinião preferem o Alto Madeira. Apesar de, por diversas vezes, terem querido diminuir sua importância até hoje, mesmo com uma circulação menor, quem deseja se informar, de fato, quem deseja ter opiniões e análises, procura ler o Alto Madeira.

Além de primar pela diversidade, por sempre selecionar as notícias relevantes, as principais notícias, suas páginas são o repositório natural de novas idéias, de debates, artigos e análises únicas e abalizadas. Com uma redação e quantidade de páginas, no momento, reduzida, no entanto, se destaca por apresentar a melhor visão global dos fatos, e, muitas vezes, criar matérias que pautam não apenas os veículos locais como os nacionais. É, por tal razão, que, apesar de procurar ter um olhar imparcial e crítico, acaba por gerar o novo, por revelar fatos que escapam aos que não tem o senso crítico que o jornal sempre demonstrou. O que faz o velho Alto Madeira ser sempre novo é também sua versão digital que teve, segundo o Google Analytics, 3.915 visualizações no período de 02 a 08 de abril último. No Brasil, quando se fala de imprensa de Rondônia, se diz e se busca o Alto Madeira.

Por isto é que possui um público fiel que, independente de qualquer outra coisa, para formar opinião lê o Alto Madeira e o aponta como um jornal que, com suas notícias, é capaz de mudar rumos, além de ser um jornal democrático, que concede espaço para as diversas versões, o jornal sempre concedeu direito de resposta para quem pediu, por fim, não esconde a notícia.

Por todas estas razões, hoje, há muito o que comemorar. Com seus altos e baixos, a sobrevivência e a importância do jornal demonstra que, por seu compromisso com os leitores, as notícias e os fatos, iremos continuar fazendo história. Para o bem da sociedade vamos continuar a perseguir o ideal de fazer um jornal livre, democrático, independente e a favor dos grandes ideais da civilização brasileira e rondoniense. O Alto Madeira segue rumo aos 100 anos registrando os fatos, a vida e a história do Estado de Rondônia. E, nos orgulhamos disto. Nós orgulhamos de ser um jornal que não pertence mais, por sua antiguidade e merecimento, a quem o dirige ou a quem o faz, o que é momentâneo, e sim ao Estado de Rondônia, a quem honra ter um dos mais importantes jornais do país, e que, indiferente aos governantes de plantão, sobrevive ajudando ao desenvolvimento de nosso Estado e região.

Semeando o desenvolvimento através da história - Gente de Opinião

Fonte: Jornal Alto Madeira
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Ciro Pinheiro

Distante - Aplausos - Yedda nos 80 - Sem abnael - Homenagem - Sargentos – promoções na PM

Distante - Aplausos - Yedda nos 80 - Sem abnael - Homenagem - Sargentos – promoções na PM

 DISTANTEEstou em São Paulo desde o dia 2 deste julho, hoje já preparando as malas para a volta para Porto Velho. Fomos, nesse tempo - eu e Penha -

Nova prefeitura na margem do Madeira

Nova prefeitura na margem do Madeira

A mudança da sede da Prefeitura de Porto Velho do “Palácio Tancredo Neves” (que era antes 31 de Março), para o “Prédio do Relógio” foi a melhor inic

Ruas de Porto Velho

Ruas de Porto Velho

Nome de rua em Porto Velho é um caso sério

DE RELÓGIO PARA TANAJURA

DE RELÓGIO PARA TANAJURA

O primeiro prefeito eleito de Porto Velho (1917)