Porto Velho (RO) quarta-feira, 16 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Uma coluna sem papas na língua 31/12/10


Fins dos tempos

Desde que as celebridades criminais do Rio de Janeiro foram transferidas para Porto Velho a bandidagem aumentou. Temos desde a instalação de caça-níqueis protegidas por pistoleiros; assaltos a banco, assassinato de policiais etc. A coisa esta desandando e exige pulso firme do novo governo. Nossa segurança publica entrou realmente em colapso.

 

Uma no cravo...

Até parecia que o relacionamento entre o governo que sai e o que assume seria as mil maravilhas. O governador eleito Confúcio Moura falava até em colocar os nomes de Cassol e Cahulla na inauguração do futuro Centro Administrativo Rio Madeira. Mas na tarde de quarta-feira a coisa começaria a azedar pela entrega dos ônibus escolares para os prefeitos.

 

Outra na ferradura!

Confúcio chegou a ameaçar os prefeitos rondonienses para não receber os veículos e quem recebesse poderia ser até retaliado. No entanto, mesmo com as ameaças até prefeitos do PMDB, como Augusto Praça, de Pimenta Bueno, foram lá receber, prestigiando o evento do governador que saiu. A jogada dos alcaides era não desagradar nem Cahulla, tampouco Confúcio, onde depois pedirão as bênçãos necessárias para ficar com os veículos. 

 

Efeito cascata

Repercute o efeito cascata nas assembléias legislativas e Câmaras Municipais por causa do reajuste no Congresso Nacional. O custo anual para as assembléias legislativas aumentará para R$ 128,7 milhões e para as Câmaras de Vereadores – são mais de 5 mil – algo em torno de R$ 1,8 bilhão a cada ano. Além disto, com aumento da população, muitos municípios vão ampliar o número de cadeiras.

 

Espaço do PV

Com a nomeação de mais um secretário municipal na capital, o vereador Jaime Gazola, o PV até pouco tempo, integrante da base aliada dos cassolistas, se bandeou de armas e bagagens para uma aliança com o PT do prefeito Roberto Sobrinho. Nem podia ser diferente: os verdinhos têm praticado fidelidade canina a administração municipal, garantindo maioria folgada do prefeito petista na Câmara de Vereadores.

 

Pulando cirandinha

Mas o que ninguém esperava mesmo, era ver o prefeito Roberto Sobriho, pular cirandinha com o deputado federal Lindomar Garçom, que agora já se prontifica até a garantir emendas na Câmara Federal para os petistas. Nem Sobrinho, tampouco Garçom estão respeitando suas bases: petistas da gema odeiam Garçom, e os eleitores do parlamentar (sua base de apoio é cassolista) ficam de cabelos arrepiados quando ouvem falar no prefeito petista. Água e óleo...

 

Velho estilo

Sem poder contar com o apoio do ex-senador Expedito Júnior para se manter no poleiro, o prefeito de Alvorada, Laerte Gomes perdeu a presidência regional do PR em Rondônia para o ex-deputado federal Miguel de Souza. Foi no velho estilo goela abaixo, tomando a cosia na marra. Respaldado na confiança do presidente nacional do PR Alfredo Nascimento, Dom Miguel apoderou-se da legenda onde Laerte era laranja de Expedito.

 

Do Cotidiano

Atenção aos idosos

A proteção aos idosos tem sido uma das características dos países mais avançados, mas este não parece ser o caso do Brasil, mesmo com o envelhecimento da população e a aumento da expectativa de vida. O tema foi alvo de pesquisa, com os sociólogos constatando em estudo, sobre a fragilidade em idosos – uma síndrome clínica que se caracteriza por perda de peso involuntária, fadiga, fraqueza, diminuição da velocidade de caminhada e baixa atividade física. Feita na capital paulista, a pesquisa aponta que a fragilidade atinge a população paulistana precocemente em relação aos países desenvolvidos.

Além de estar envelhecendo mais rapidamente, a fragilidade dos iodos brasileiros, depois dos 75 anos, avança com extrema rapidez. Essas informações preocupantes foram obtidas por pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) com uma amostra de 689 pessoas com mais de 75 anos.

A síndrome, de acordo com a pesquisa, atingia 14,1% do grupo em 2006. Em 2008, apenas dois anos depois, a prevalência já era de mais de 45%. É um dado extremamente incômodo, apurado logo na mais, mais importante e rica cidade brasileira. O trabalho, ligado ao Projeto Temático “Saúde, bem-estar e envelhecimento”, visa promover um “estudo longitudinal sobre as condições de vida e saúde dos idosos no município de São Paulo”, sob a coordenação do professor Ruy Laurenti, do Departamento de Epidemiologia da FSP.

 Mas há algo a mais que esse estudo também revela. Uma grande ignorância nacional em torno da síndrome da fragilidade. Uma das integrantes da pesquisa, Yeda Duarte, professora da Escola de Enfermagem (EE) da USP, afirma que até agora, no Brasil, a síndrome de fragilidade não havia sido tema de estudos que procurassem correlações entre variáveis partindo de observações ao longo de um extenso período de tempo.

“A questão da fragilidade tem sido bastante trabalhada em outros países, mas no Brasil estamos apenas começando. No exterior, a prevalência da fragilidade varia entre 7% e 35%, dependendo do país e do desenho do estudo. Nossa pesquisa mostra uma porcentagem bem maior aos 75 anos, o que indica que nossos idosos estão se fragilizando mais cedo”, disse.

 

Via Direta

*** A entrega de ônibus escolares na quarta-feira marcou a despedida do governador João Cahulla *** A coleta de lixo degringolou de vez na capital depois do Natal*** Com a palavra os diretores da  Marquise ? *** Neste sábado os rondonienses acompanham a posse do governador Confúcio e sua equipe e a festa da democracia na Praça Getúlio Vargas.    


Gente de Opinião

Fonte: Carlos Sperança - csperanca@enter-net.com.br
Gentedeopinião   /  AMAZÔNIAS   /  RondôniaINCA   /   OpiniaoTV / Eventos
 Energia & Meio Ambiente   /   YouTube  / Turismo   /  Imagens da História

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil

Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil

Chega de perderA péssima imagem do Brasil não é falta de propaganda cara no exterior sobre as maravilhas da Amazônia e do país. É preciso reconhece

A diplomacia do peixe + A eficiência na agricultura + Batendo cabeça + Cadê a ponte?

A diplomacia do peixe + A eficiência na agricultura + Batendo cabeça + Cadê a ponte?

A diplomacia do peixeO período do defeso do tambaqui, cuja pesca está paralisada até março, é uma oportunidade para fazer um balanço das ações mais

O pomar da estrada + Justa razão + Hildon adia licença + Edificio Ex-Pedito

O pomar da estrada + Justa razão + Hildon adia licença + Edificio Ex-Pedito

O pomar da estradaO caso amazônico se assemelha ao dos donos de pomares em beira de estrada, que dividem as frutas com aves, animais e viajantes. O

Sínodo político e ideológico + Trocando de guru + Rinha de galos + Clãs políticos

Sínodo político e ideológico + Trocando de guru + Rinha de galos + Clãs políticos

Político e ideológicoO Sínodo da Amazônia, que vai até o dia 26, é mais uma ótima oportunidade para chamar a atenção do mundo no sentido de ajudar