Porto Velho (RO) domingo, 22 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Uma coluna sem papas na língua 09/12/10


 

 

Vem bomba!

Sempre que o senador eleito Ivo Cassol - que vai liderar a oposição em Rondônia nos próximos quatro anos - consegue ficar quieto algumas semanas – ainda deve estar digerindo a derrota de Cahulla – lá vem bomba. Nos bastidores se sabe que ele esta se preparando com a faca nos dentes para as próximas jornadas. O primeiro grande embate é dia 1º de fevereiro, quando ele pretende emplacar um aliado na presidência da Assembléia Legislativa.

 

Intenções de votos

A grande verdade é que ainda existe muito blefe na disputa da Mesa Diretora. Fiz minha própria pesquisa e conclui o seguinte: Da base cassolista Neodi (PSDC) tem seis votos e Valter Araújo (PTB) tem cinco. O candidato melhor aquinhoado da coalizão aliada de Confúcio, Jesualdo Pires (PSB) tem seis votos. E ainda tem sete votos ainda esparsos, indefinidos, entre brancos, pretos, traíras, nulos - e demais interessados.

 

Crise carcerária

Recente levantamento feito junto ao Departamento Penitenciário nacional revela a triste situação do sistema no Brasil. Pernambuco, Acre e Rondônia são os estados com a percentagem de presos a mais no país. Rondônia é um caso a parte: tem 7.059 presidiários para 3.435 vagas. É um vulcão de violência prestes sempre a explodir.

 

Um recordista

E como explicar que um estado, como Rondônia, com apenas 1.5 milhão de habitantes tenha mais detentos que estados mais tradicionais como Amazonas, Alagoas, Sergipe, Piauí e Rio Grande do Norte? Ocorre que aqui a criminalidade explodiu e o estado se transformou nos últimos anos num verdadeiro quintal do tráfico de drogas dos cartéis bolivianos, peruanos e colombianos.

 

Contingenciamento

O contingenciamento de recursos já projetado pelos ministros da presidente eleita Dilma Roussef tem tudo para causar dissabores para os rondonienses. Bandeiras como a da transposição dos servidores, aquele benefício  de 100 por cento de água tratada e de esgoto, e a construção da ponte internacional de Guajará-Mirim poderão ser prejudicadas. Que a bancada federal fique de olho na coisa.

 

Cebolinha reage

O presidente regional do PHS Herbert “Cebolinha” Lins de Albuquerque reagiu as criticas desta coluna sobre seu comportamento mal sucedido frente ao comando da sigla com nota a imprensa onde explica que esta consciente de suas responsabilidades etc, etc. É um cara íntegro, sensível e até para descer a lenha nos desafetos é bem educado. Vou caçar encrenca doravante com alguém mais desbocado.

 

Toda educação

Mas inegavelmente, com todo respeito e rapapés que exigem ao tratamento de lideranças tão educadas, Cebolinha errou na forma e na estratégia da condução do PHS. Fracassou na montagem dos diretórios, sucumbiu aos resultados. O PHS é a antítese do PC do B, que acertou nas suas articulações e que cresce como capim no inverno amazônico. Os humanistas ficaram sem discurso e sem bandeira aos e aliar a Melki e cia.

 

Do Cotidiano

Falando chinês

O Brasil, tão cheio de braços e talentos, além de criar empregos lá fora com o Real sobrevalorizado, como se não bastasse estar importando engenheiros e exibindo uma crescente escassez de professores, agora começou a importar mão-de-obra chinesa. Não para pegar no batente e ganhar salários arrochados, mas apenas para falar. Ou, mais especificamente, para traduzir aos seus compatriotas endinheirados os recados dos monoglotas empresários brasileiros.

Esse quadro, que não combina com um desenvolvimento acelerado, é fruto de um quarto de século de ditadura somado a mais um quarto de século de uma democracia que praticamente não saiu do papel. O ensino, a infraestrutura nacional e a formação de mão-de-obra se perderam em práticas de governo autoritárias e descoladas das necessidades populares.

A consultora catarinense Giovana Tensini de Aguiar, especialista em desenvolvimento humano e gestão organizacional, aconselha os brasileiros que entram no mercado de trabalho a se policiar para garantir empregos que podem ser oferecidos a trabalhadores estrangeiros por descuido na preparação recebida, por erros das empresas no aproveitamento da mão-de-obra ou por erros próprios dos trabalhadores na condução de seus ofícios que podem, no limite, levar à demissão.

“Entre as causas de demissões que abordamos, muitas delas poderiam ter sido evitadas se houvesse um acompanhamento da empresa nos primeiros períodos do funcionário”, diz Giovana. “O processo de seleção bem feito, somado a um acompanhamento eficaz podem evitar muitos transtornos para a empresa e para o profissional”, diz ela.

 Foi assim que ela chegou a um roteiro de sete problemas que levam um funcionário a ser dispensado: os aspectos comportamentais podem ser decisivos para a decisão do empregador de demitir um funcionário.

“Emprego tem prazo de validade. Se você acorda todos os dias e pensa que não gostaria de ter que acordar para ir até o seu emprego, seus superiores vão perceber isso”, afirma Giovana. Ela diz que isso pode ter vários motivos, desde desvalorização até a ausência de novos desafios, mas deve partir do colaborador mostrar interesse em ser desafiado.

 

Via Direta

*** Com tantas contas de campanhas dos eleitos – de senador a deputado estadual - rejeitadas pelo TRE poderemos ter surpresas na diplomação *** O bicho esta pegando até para Ivo Cassol que além das contas reprovadas esta com todo o PT no seu pé para tirá-lo fora da jogada *** Rondônia teve até dois nomes cogitados para Ministérios, mas ao final não vingou nem Marinha Raupp (PMDB), tampouco Fátima Cleide (PT).

  

Siga o Gentedeopinião no Gente de Opinião



Fonte: Carlos Sperança - csperanca@enter-net.com.br
Gentedeopinião   /  AMAZÔNIAS   /  RondôniaINCA   /   OpiniaoTV
 Energia & Meio Ambiente   /   YouTube  / Turismo   /  Imagens da História

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Um divisor de águas  + O confronto + A fantasmarada + Forças armadas

Um divisor de águas + O confronto + A fantasmarada + Forças armadas

Um divisor de águas O capital político do presidente Jair Bolsonaro começou com ativo espetacular de 58 milhões de votos e um Ministério recheado d

A sonhada conciliação + Até linchamento + Causando terror + O desaparecimento de jovens garotas em Rondônia

A sonhada conciliação + Até linchamento + Causando terror + O desaparecimento de jovens garotas em Rondônia

A sonhada conciliaçãoHá sérias dúvidas sobre a preparação feita pelo chanceler Ernesto Araújo para que o presidente Bolsonaro tenha uma acolhida favo

O milagre do fogo + Léo Moraes fugindo da raia? + Renovação política + Grande duelo

O milagre do fogo + Léo Moraes fugindo da raia? + Renovação política + Grande duelo

O milagre do fogoO liberal gaúcho Gaspar Silveira Martins supunha que “ideias não são metais que se fundem”, mas interesses contrários podem se unir

Propaganda é insuficiente + Movidas à soja + Autonomia gorou + Depenando casas

Propaganda é insuficiente + Movidas à soja + Autonomia gorou + Depenando casas

Propaganda é insuficientePara tristeza da comunidade amazônica, seus problemas não são abordados com a resolutividade necessária. Não é um fenômeno