Porto Velho (RO) segunda-feira, 24 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Entrou água no Frentãonic lançado em Vilhena - Por Carlos Sperança


A guerra também é nossa

Uma causa da II Guerra Mundial foi à onda nacionalista decorrente da reação dos EUA à Grande Depressão, que abalou o capitalismo em 1930: Aumentou-se as tarifas gerais de importação e detonou retaliações em cascata.

Na época era impossível saber no que aquilo daria, mas a eclosão da atual guerra comercial também vai abalar o mundo. De cara, o Brasil sofrerá com o aumento dos preços internos da soja e impactos negativos na indústria de proteína animal.

O Brasil também perderá se a China ceder às pressões de Trump, via concessões bilaterais como a reabertura do mercado chinês de frango aos americanos.

A CNI confia que a guerra aumentará nosso potencial de exportação para os dois países, que para manter as novas posições precisarão rapidamente de fornecedores: a suinocultura pode dobrar as vendas à China e há como substituir produtos chineses no mercado americano.

No front interno, porém, é preciso ganhar a batalha infraestrutural e combater as desigualdades regionais. Para os empresários da Amazônia, cabe avaliar como a região, com planejamento e visão, poderá vencer as pressões que sofre.

Entrou água no Frentãonic lançado em Vilhena - Por Carlos Sperança - Gente de Opinião


Nos bastidores
Nos bastidores se toca o terror contra o ex-governador Confúcio Moura que estaria sendo rebaixado a candidato a deputado federal pelo MDB, controlado pelo senador Valdir Raupp interessado em eliminar a concorrência. Confúcio estaria recorrendo a instâncias superiores para se garantir na disputa ao Senado onde é considerado o franco favorito na peleja.


Baita reforço
O MDB já não esconde o desejo em tornar Confúcio candidato a deputado federal reforçando sua nominata, que já conta com os deputados Marinha Raupp e Lucio Mosquini na peleja da reeleição. Na hipótese do partido confirmar Confúcio nesta lista proporcional, o partido acredita ser possível atrair o deputado Lindomar Garçon (PRB) e Leo Moraes (Podemos) em coligação.


As articulações
Não foram poucas as articulações nas últimas semanas na busca de definições sobre o quadro regional. Em Vilhena, um movimento visava impulsionar o lançamento da candidatura de Expedito Junior (PSDB) ao governo, em Porto Velho, no auditório do Hotel Flamboyant, o objetivo era criar condições para a reeleição de Daniel Pereira (PSB).


Grandes surpresas
O fato é que o cenário político estadual está mudando, como as nuvens, que mudam de forma e tamanho a todo momento. Já é possível antever grandes surpresas nas convenções que começarão já no dia 20 por conta de tantas combinações, separando aliados e unindo até adversários no mesmo palanque. Algumas traições políticas em andamento atingem dois candidatos ao governo.


Os entendimentos
Seguem os entendimentos para as composições proporcionais. O presidente estadual do Podemos Leo Moraes, cotado para ser um dos mais votados na capital, estuda propostas de outras legendas e alternativas possíveis. Também o PSB que tem o seu presidente estadual, ex-prefeito Mauro Nazif cotado para uma das cadeiras a Câmara dos Deputados ultima  preparativos para definir sua nominata proporcional.

Entrou água no Frentãonic lançado em Vilhena - Por Carlos Sperança - Gente de Opinião

Via Direta

*** Entrou água no Frentãonic lançado em Vilhena. Tinha cantado a pedra nesta coluna que era tudo jogo de cena *** O cacique Ivo Cassol acaba de lançar o ex-deputado federal Carlos Magno para disputar uma cadeira ao Senado ***Agora são três candidatos na região central e não existe capão para tanto tigres *** Um grande punhal da traição está sendo afiado para as convenções deste ano para definir candidatos ao governo estadual *** O pior da coisa é que a vitima nem farejou... 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Quem pode ser beneficiado com o efeito manada na corrida para o Senado – Por Carlos Sperança

Quem pode ser beneficiado com o efeito manada na corrida para o Senado – Por Carlos Sperança

A conciliação nacional A combinação do atraso nacional com a instabilidade agravada pela guerra comercial entre EUA e China cria um terreno pantanoso

Mas o que aconteceu com as obras de pavimentação dos bairros Mariana e São Francisco - Por Carlos Sperança

Mas o que aconteceu com as obras de pavimentação dos bairros Mariana e São Francisco - Por Carlos Sperança

Séculos de desigualdadesPor suas amplas qualidades e potenciais, a Amazônia concentra as esperanças do mundo em que aqui se concretize o que a selvage

Fátima Cleide segue firme na disputa ao Senado - Por Carlos Sperança

Fátima Cleide segue firme na disputa ao Senado - Por Carlos Sperança

O protagonismo das abelhasA morte do geneticista Warwick Estevam Kerr, no último fim de semana, comove o Brasil e a Amazônia, à qual ele tanto se dedi

Mudanças, reviravoltas e alianças refeitas na reta final de 1º turno - Por Carlos Sperança

Mudanças, reviravoltas e alianças refeitas na reta final de 1º turno - Por Carlos Sperança

O exemplo de Rondônia Não se pode ignorar que o atraso piorou com o impacto da crise mundial detonada em 2008, a marolinha que virou tsunami, e se com