Porto Velho (RO) segunda-feira, 20 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Beto Ramos

Diz a lenda – Seu Alípio


Diz a lenda – Seu Alípio - Gente de Opinião

A casa de farinha abandonada dava sinal da ação do tempo em algumas vidas.
Os passos lentos.
O olhar perdido, mas cheio de brilho.
Alguma coisa havia mudado nos sentimentos do Jacob.
Amigo de longa data.
Desses que ficamos dias sem ver, mas que sempre traz a emoção da grande amizade quando acontece um reencontro.
Todos os seus domingos são especiais.
Ele cuida com carinho, amor e atenção.
- Meu filho, eu nunca sai do Cojubim!
- Hoje, sai para caçar com meu pai pela primeira vez!
E o seu Alípio ali no Meu Pedacinho de Chão.
Sempre que vejo o Jacob do Bandolim, fico pensando na grandeza de sua alma.
- Vamos pai, precisamos caminhar mais rápido!
- Vamos!
Aqueles passos lentos davam sinal da ação do tempo em quem deixou sua alma no Cojubim.
- Então seu Alípio colocou a mão no ombro do Jacob.
- Beto, foi quando percebi que o papai havia envelhecido!
- Os seus passos já não me acompanhavam.
E por alguns instantes vi a alma do Jacob no brilho dos seus olhos.
Todos nós somos livros escritos com nossas histórias.
Alfarrábios guardados ao alcance das mãos.
Mãos que afagam, escovam os dentes, dão banho e penteiam o cabelo.
Jacob lembra da casa de farinha?
Sempre abrimos o nosso álbum de memória.
Neste álbum existe o calor de um abraço.
A lembrança que os nossos passos também ficarão lentos.
E estes nossos passos sempre nos levarão para algum Cojubim das nossas vidas.
O importante é diminuirmos a velocidade dos nossos passos, para podermos acompanhar o envelhecimento dos nossos pais.
Jacob basta fechar os olhos e acompanhar o seu Alípio no caminho do Cojubim.
Quantos não continuam com suas vidas num ritmo acelerado.
Mas, com certeza os felizes sempre reduzem a velocidade dos seus passos.


Diz a lenda
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Beto Ramos

DIZ A LENDA – DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

  Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, o que nos resta a

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

  Por: Beto Ramos Quando das viagens pelas barrancas do Madeira com o Poeta Mado, presenciamos e convivemos com muitos causos de vivos e visagens. Car

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

Por: Beto Ramos   Acordamos cedo. Lavamos o rosto no giral ainda iluminado pela luz da lamparina. Precisávamos passar na fábrica de telha próxima a Ca

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

Por: Beto Ramos   Eraste, hoje fomos elogiados calorosamente por um asinino. Interpelado e elegantemente chamado de beradeiro recalcado. Pupunhamente