Porto Velho (RO) segunda-feira, 20 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Beto Ramos

Diz a lenda – Mãe o ano inteiro


Diz a lenda – Mãe o ano inteiro - Gente de Opinião

 

Por: Beto Ramos
 

Palavras!

Belas palavras!

Poderia escrever milhares que emocionam.

Sabe mãe, o que me importa é o resto do ano!

Presentes, almoço.

Shopping lotado.

Sete de Setembro.

Jatuarana.

Declarações de amor.

E o resto do ano?

Existiria um verdadeiro cuidado com as mães?

Tenho medo da hipocrisia.

Que presente eu poderia te dar?

Sinceramente, hoje é um dia como outro qualquer.

São especiais todos os dias do ano junto com as mães.

E quem passa o ano todo tirando do seu tempo alguns minutos todos os dias, para dar um abraço, pedir a benção da sua mãe, e justo hoje, sem poder comprar um presente para sua mãe, amaria menos com a sua atenção o ano inteiro?

Reunião em família, os que podem mais, presenteiam suas mães com coisas caras, desaparecendo quase que o ano inteiro, para dar outro presente somente no Natal.

E o resto do ano?

Quem se proporia a dizer, hoje eu não vou ao samba, não vou para a balada só para ficar com minha mãe!

Quantos almoços ofereceram por ano para as mães, sem que sejam datas comemorativas, tipo aniversário, etc.?

Pensemos nisso!

Mãe é especial todos os dias do ano.

Será que durante o ano, algumas mães ouviram um “eu te amo mãe”?

Sabe mãe, o que importa é o resto do ano!

Mas, bem que eu poderia lhe dar um presente, a minha saúde a cem por cento.

 

Diz a lenda

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Beto Ramos

DIZ A LENDA – DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

  Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, o que nos resta a

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

  Por: Beto Ramos Quando das viagens pelas barrancas do Madeira com o Poeta Mado, presenciamos e convivemos com muitos causos de vivos e visagens. Car

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

Por: Beto Ramos   Acordamos cedo. Lavamos o rosto no giral ainda iluminado pela luz da lamparina. Precisávamos passar na fábrica de telha próxima a Ca

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

Por: Beto Ramos   Eraste, hoje fomos elogiados calorosamente por um asinino. Interpelado e elegantemente chamado de beradeiro recalcado. Pupunhamente