Porto Velho (RO) quarta-feira, 29 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Beto Ramos

Devolva


  

Ontem encontrei o poeta Mado.

O Mado é um beradeiro louco das palavras no corpo.

Tenho inveja de quem penteia o cabelo.

Mas, eu não penteio o cabelo.

O poeta Mado é ladeira de Porto Velho.

Ontem encontrei o Bubu.

O Bubu é uma poesia que só existe no seu olhar.

O olhar do Bubu aprova e reprova.

Ontem encontrei o Carlinhos Maracanã.

Que bom que voltei a encontrá-lo.

Nossas esquinas ficam vazias sem sua presença.

Muita reza forte para você Maracanã.

Ontem encontrei o Beto Bertagna.

O Beto estava a 24 quadros.

Um destes quadros, diz a lenda, é um contraponto em Porto Velho.

Obrigado pelo texto que me deixou sem texto.

Ontem encontrei o Heitor Almeida.

O Heitor conseguiu superar.

Poucos perceberam o que estou comentando.

Caboclo, muito cuidado, tão macuricando a gente.

O Heitor me ouve.

Só não diga eu sou o cara professor.

Ontem encontrei o Sílvio Santos.

Ficamos juntos por muito tempo.

O suficiente para o Zekatraca entrar em ação.

Sílvio Santos vem aí...

Esperem o amanhã.

O Sílvio é ladeira e barranco de Porto Velho.

Ontem encontrei o Artur Quintela.

Beradeiro não sabe francês.

Cover ou couvert.

Este negócio de falar francês já deu problema no Mercado Cultural.

Ontem encontrei o Zezinho Maranhão.

A sua alegria contagia a alma.

Este é o pequeno gigante de canções para beradeiro e nordestino ouvir.

Ontem encontrei o Tatá.

O Tatá é aquele que a gente sempre acredita.

Este nunca deixou Porto Velho, nem para estudar.

Ontem encontrei o Anísio Gorayeb.

O seu sorriso é um viva Porto Velho.

Ontem encontrei o poeta Ernesto Melo.

É poeta, sem trololó, Porto Velho é o nosso dengo.

Ontem encontrei O Chico de Assis.

Ele me perguntou se eu lembrava e havia brincado de trinta e um alerta.

Sim Chico, nós brincamos todos os dias com alguns da nossa cultura.

Ontem fiquei perdido.

Ontem esqueci de mim.

Tomei um Café com Arte.

Mergulhei no Guaporé e no Madeira ouvindo o Pirarublues.

Estou sem encontrar o meu olhar.

Estamos crescendo.

Se alguém me encontrar, por favor, pode me avisar.

Muitas vezes esqueço de mim para amar Porto Velho.

 

Diz a lenda.


 

Siga o Gentedeopinião no Gente de Opinião



Fonte: Beto Ramos -  [email protected] 
 
Gentedeopinião   /  AMAZÔNIAS   /  RondôniaINCA   /   OpiniaoTV
 Energia & Meio Ambiente   /  Siga o Gentedeopinião noTwitter  /   YouTube 
 Turismo   /  Imagens da História

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Beto Ramos

DIZ A LENDA – DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

  Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, o que nos resta a

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

DIZ A LENDA.O POETA, A POESIA E O MEDO.

  Por: Beto Ramos Quando das viagens pelas barrancas do Madeira com o Poeta Mado, presenciamos e convivemos com muitos causos de vivos e visagens. Car

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

DIZ A LENDA – VELHA SENHORA

Por: Beto Ramos   Acordamos cedo. Lavamos o rosto no giral ainda iluminado pela luz da lamparina. Precisávamos passar na fábrica de telha próxima a Ca

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

DIZ A LENDA – ELOGIO CALOROSO

Por: Beto Ramos   Eraste, hoje fomos elogiados calorosamente por um asinino. Interpelado e elegantemente chamado de beradeiro recalcado. Pupunhamente