Porto Velho (RO) sábado, 22 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Rondônia faz anúncio da suspensão de vacina do rebanho


Rondônia faz anúncio da suspensão de vacina do rebanho - Gente de Opinião
Desde o início do ano de 2017 quando o então Ministro Blairo Maggi, do MAPA, fez o anuncio do calendário do Programa Nacional de Combate a Febre Aftosa (PNEFA) com um cronograma especifico de 2017 a 2026 onde os estados da região norte do país seriam os primeiros a promover ações com o fito de retirar definitivamente a vacinação dos rebanhos, o governo, por meio da agência IDARON e os produtores rurais e pecuaristas locais vinham se preparando para o feito.
O dia chegou, foi no final da tarde de ontem, 04 de dezembro de 2019, no auditório da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia, onde vários parlamentares, o presidente da Casa de Lais, deputado Laerte Gomes, o governador coronel Marcos Rocha, secretários de estado, o presidente do Tribunal de Contas, o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, profissionais, técnicos e diretores do MAPA - superintendência local, da EMATER, da IDARON e vários lideres do setor rural e empresários da cadeia de processamento e industrialização da carne se fizeram presentes.
Realmente um dia histórico para todos os atores sociais e econômicos do meio rural.
Em 2020 quando os detalhes preparados pelo ministério MAPA, o governo de Rondônia e os fundos privados concluírem ações programadas pelo roteiro do programa PNEFA forem realizados, ocorrerá a declaração definitiva de que o estado de RO é livre da febre aftosa sem vacinação.
Esta declaração é para os players do mercado local e regional de carne um fator importante para chancelar novos e maiores contratos comerciais, na medida em que países do mundo inteiro que ainda tinham restrições aos nossos produtos, passam agora a fazer parte do rol de parceiros comerciais que já somam mais de trinta (30) países.
Possivelmente veremos até o final do primeiro semestre de 2020 Rondônia elevar em torno de 15 a 20% o seu atual desempenho de vendas internacionais; dados do governo federal dão conta que os contratos estão alcançando, nos últimos seis (06) anos, o valor médio anual na casa de mais de U$ 500 milhões de dólares.
Mas, é bom sempre lembrar que àqueles que mais é dado, certamente que mais será cobrado.
Por ser um estado de fronteiras internas - com Acre, Amazonas, Mato Grosso e de fronteiras extensas com a Bolívia, é fato que o trabalho de supervisão e fiscalização do rebanho deverá ser mais intensificado.
Deixo aqui um registro, relacionado com minhas pesquisas recentes para este tema; os três municípios que mais têm gado registrado (IBGE 2018) são na seguinte ordem crescente: Buritis (529.731 cabeças), Nova Mamoré (701.104 cabeças) e Porto Velho (1.043.523 cabeças). 
São localidades do norte geográfico de Rondônia, muitas propriedades certamente fazem fronteiras, com a Bolívia e com os estados do Amazonas e do Acre.
O fato de há exatamente duas décadas não haver qualquer foco de sanidade negativa no estado de Rondônia e dessa etapa do programa PNEFA ter sido alcançado não traz qualquer garantia da não ocorrência de possibilidades estranhas, mas que serão acompanhadas pela competência e devoção dos técnicos do governo e certamente dos criadores, produtores e pecuaristas que estão com os sorrisos largos com a declaração feita ontem pelas autoridades.
Na audiência pública muitos puderam falar, expressar seu apoio e alguns até mesmo seus receios e contingências, mas o governador Marcos Rocha, na mesa de autoridades, fez uma ligação telefônica para a ministra Tereza Cristina que em aproximadamente 9 minutos de fala e interação extremamente confiante, passou o sentimento de total apoio do governo federal para a tomada de decisão, deixando o registro de que o MAPA está preparado para caminhar junto com Rondônia para a garantia dessa nova etapa.
A audiência pública foi encerrada oficialmente às 17h 15 minutos com um sentimento coletivo de dever cumprido.
Vamos agora aos detalhes técnicos e ao melhor plano de segurança possível e também a um necessário plano de marketing desse novo feito do agronegócio de Rondônia.
O trabalho, a dedicação, o comercio internacional amplo e a prosperidade no meio rural nos espera.
Graça e Paz.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

O agronegócio segue confirmando o quanto é importante para a economia brasileira. No final da década passada (2020) vários artigos de vários jornais

Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família

Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família

Pessoal, caros amigos e amigas, irmãos e irmãos, colegas e caminhantes; gostaria de sua atenção por seis ou sete minutos, é o tempo de ler essa mens

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Outra vez estamos retomando a questão de planejamento do desenvolvimento regional da região geográfica do sul da Amazônia Brasileira, cujos desafios

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), órgão da estrutura do Poder Executivo responsável pelo planejamento, acompanhame