Porto Velho (RO) quarta-feira, 26 de junho de 2019
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

QUE SEJA UMA SEMANA DE PAZ E DECISÃO DEMOCRÁTICA - Por Aroldo Vasconcelos


QUE SEJA UMA SEMANA DE PAZ E DECISÃO DEMOCRÁTICA - Por  Aroldo Vasconcelos  - Gente de Opinião
Estamos na primeira semana do mês de outubro do ano de 2018, a segunda década desse milênio terceiro de nosso senhor Jesus Cristo sinaliza para o Brasil e para a América novos tempos.

Nos últimos vinte anos muito tem acontecido nas democracias da América; fatos sociais, econômicos e comerciais vem construindo novas relações e novos conceitos no Canadá até o Uruguai, fenômeno dessa velocidade acelerada de novas tecnologias e também de transformações de conceitos pessoais e coletivos sobre as sociedades e seus costumes.

A liberdade e as liberdades estão em pauta minuto a minuto nas plataformas de mídias sociais como o Instagram e o Facebook, sendo que até eleições de nações centenárias estão sendo pautadas por fake news - a malandragem humana por via bits e pelo voto eletrônico.

Aqui no Brasil hoje dia 04 de outubro está no calendário eleitoral uma porção de pode... não pode; e no calendário religioso o destaque é para São Francisco, fidalgo italiano que no inicio do século 13 largou a riqueza e viveu os conceitos de Cristo com os animais, as crianças e os pobres - construindo além de igrejas de pedras com as próprias mãos, construindo um conceito novo para o homem novo do segundo milênio.

Que conceitos novos estamos nós, eu e você, construindo para este terceiro milênio? O que vamos deixar em breve para os nossos filhos e netos?

Mas de volta a questão política e atual no nosso amado Brasil, faltam apenas três dias para que os eleitores que comparecerem no domingo possam definir um novo cenário para este país conturbado desde 2013/14...

Em tempos de tantas demonstrações digitais, nas redes sociais de nossa irritação, nossa incompreensão, nossas disputas, nossas mentiras, logros, malfeitos, meias-verdades e tantos pecados, é bom lembramos a mensagem de São Francisco de Assis.

Ainda que soe estranho aos nossos ouvidos sujos e que pareça esquisito aos nossos olhos embaçados, vamos recordar ainda que apenas no dia de hoje - uma questão simples e tão concreta, tão forte e ainda necessária: "Se uma coisa, ou acontecimento ou sentimento, ou escolha lhe custar a sua paz e a de sua família, pare! Por favor, pense e repense, o preço pode ser caro demais."

Por favor, prime pela paz e pelo caminho do meio, como fazem os orientais há milênios e como ensina o próprio Cristo e seus santos seguidores como Francisco de Assis.

Nada supera o dialogo e a democracia, a educação e a cultura calcados na conquista de direitos, mas no compromisso com os deveres - virtudes para as sociedades tecnológicas e sustentáveis desse terceiro milênio que na verdade, apenas começou.

Graça e paz.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Final do primeiro semestre está à porta!

Final do primeiro semestre está à porta!

Nosso último artigo escrito e publicado foi dia 10 de junho e para não perder esse vínculo maravilhoso com os leitores eu resolvi mandar essas pouca

Conselho Regional de Economia de Rondônia realizou com sucesso a V Gincana Estadual de Economia

Conselho Regional de Economia de Rondônia realizou com sucesso a V Gincana Estadual de Economia

O Conselho Regional de Economia de Rondônia, com o apoio do COFECON e Universidade Federal de Rondônia - UNIR realizou nos dias 05 e 06 de junho do

Um fundo privado para o agronegócio de Rondônia

Um fundo privado para o agronegócio de Rondônia

Muitas são as saídas para os diversos problemas relacionados com uma boa gestão de empreendimentos públicos ou privados; mas a sintonia entre os div

Diretrizes para o Orçamento 2020 tramita na Casa de Leis

Diretrizes para o Orçamento 2020 tramita na Casa de Leis

Faz parte do ritual previsto na lei orçamentária para o desempenho da gestão pública que no último ano do planejamento plurianual (PPA) o Executivo