Porto Velho (RO) segunda-feira, 3 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Procurar ser sustentável com mais adesão e coletividade



​Caros amigos e amigas de Rondônia, hoje especialmente para os concidadãos meus de Porto Velho. Reporto-me à um seminário ocorrido no auditório da Biblioteca Pública Municipal Francisco Meirelles, em frente à catedral e do lado do prédio da prefeitura. ​Ali, nos dois dias, primeiros dias dessa penúltima semana de setembro ocorreu a III Conferência da Diversidade Humana em uma Cultura de Paz com quatro painéis com participantes e debatedores aqui do nosso meio e uma palestra master com o presidente do Instituto Filantropia de São Paulo - Márcio Zeppelini.

A palestra durou uma partida de futebol. Durante 90 minutos ele abordou um tema recorrente no meio - mover-se diante de seus objetivos e suas metas pessoais, mas para construir um mundo melhor a partir de mudanças interiores. Isso sim, valeu a pena! Tocou-nos por demais.

O paulista falou de coisas da rotina de todos nós, procurando sempre o positivo e com isso buscando motivar os presentes sobre a sustentabilidade do ser e a insustentabilidade do ter. Sem filosofias, mas com abordagens práticas, inclusive falando um pouco de sua histórias - seus erros e acertos, Zeppelini encantou aos quase quarenta participantes. Isso mesmo, menos de cinquenta pessoas dos mais de 300 convidados bloquearam suas agendas e puderam participar.

Perderam os 260 e outros que não foram. Essas e outras oportunidades reais de repensar atitudes, pensamentos, conceitos, viveres e atitudes desencontradas estão em minha opinião desconstruindo projetos e propostas de mudança real. O dia a dia e a rotina estafante da maioria absoluta das pessoas têm estragado a sociedade.

A ausência de tempo para o parar e observar nos distancia da necessária excelência nas relações. Tumulto, muita informação, competição, resseção, confrontos, problemas, distopias, avarias, remoções, correr sem pensar. Isso tudo nos está realmente tornando unidades expressas de consumo.
O seminário foi em sua terceira edição pensado no inicio do ano, divulgado nos últimos 90 dias massivamente, com o foco nas lideranças de terceiro setor e poucos participaram, denotando para os observadores que realmente os professores e atores sociais que foram ao tatame do diálogo e da exposição precisam fazer mais, alardear mais que precisamo nos encontrar, nos ver, nos reunir, nos entender e sobretudo parar o que estamos fazendo e dialogar.

Porto Velho merece mais de nós. Estado, Sociedade Civil Organizada e empresários.

Precisamos unir essas esferas em torno de um diálogo produtivo que requer o encontrar, o conversar e o parar para ouvir. Simplesmente, parar.

Uma parada estratégica que alcance os corações desses atores para construir algo melhor do que o que hoje temos.

Nossa cidade, tal como está hoje, desencoraja investidores e maltrata seus moradores com tanta ausência de preocupação coletiva com o futuro e ausência de lideranças.

Muita coisa precisa ser feita. Mas, concordando com os colegas e amigos que estiveram esses dois dias no encontro e também refletindo com o visitante de São Paulo: precisamos parar um pouco, olhar para nós mesmos e para o entorno de nossos egos; em seguida nos dar as mãos e planejar um sonho coletivo de uma nova e sustentável cidade, par nós e para os nossos filhos e netos.

Francisco Aroldo Vasconcelos de Oliveira
E C O N O M I S T A
Registro profissional CORECON/RO nº 462


 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Estamos chegando ao final do mês maravilhoso de julho de 2020, e, de novo, e de novo, vemos propostas de reformas sendo discutidas em Brasília DF e

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

Esse final de semana saiu no BBC News que na Europa e também aqui nas nossas grandes capitais do sudeste o fato dos rendimentos caírem em média 30% e

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

Muitos homens e mulheres, muitas tribos, cidades, nações e governos têm entrado para a história da humanidade. Existem inúmeros registros ao longo d

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Ano passado eu escrevi dois artigos sobre a importância de uma coalisão entre os estados do Amazonas, Acre e Rondônia, especialmente na região geogr