Porto Velho (RO) quinta-feira, 26 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

GOVERNO DO ESTADO PROPÕE ELEVAÇÃO DO ORÇAMENTO EM 10,92%


 
​Está em tramitação na Casa de Leis desde setembro o projeto de lei para o Orçamento de 2017, onde o gestor público e os interessados no desenvolvimento de Rondônia, podem acompanhar a fixação das despesas e a origem das receitas que movimentam a máquina e os serviços públicos.

A previsão de gastos e investimentos proposto pelo chefe do Executivo é de R$ 7.346.024.881,00 onde, respeitadas as transferências constitucionais e as aplicações determinadas pela Lei Magna para a saúde e educação, sobram ínfimos recursos para investimento em áreas como a produção, saneamento, segurança e habitação.

Apesar de Rondônia ser um dos estados da Federação que está no considerado "azul", honrando seus compromissos de folha de pagamento e fornecedores, muito há o que se fazer para que haja manutenção nos próximos anos para essa valorosa marca da gestão Confucio Moura.

Discutir com as lideranças do setor produtivo, com a mediação da Assembléia Legislativa pode ser uma boa saída para o breve futuro de virada de década, posto que estados como o Mato Grosso e o Goiás, concorrentes regionais no setor complexo do agronegócio, por exemplo já marcam pontos em relação aos investimentos para a elevação da produção, da qualidade e da comercialização de produtos como a carne, a soja, o milho e o leite.

Aqui em Rondônia, na Comissão de Agricultura e Pecuária da Assembléia existe a defesa de elevação para R$ 18 milhões os investimentos em programas de apoio e fomento, por exemplo para a fruticultura e a piscicultura, sem falar nas necessidades prementes de recuperação das áreas degradadas e calcário.

Até dezembro, data final descrita pelo regramento legal da LOA, o legislativo pode fazer as devidas emendas na proposta do Executivo e este tem tempo hábil para os possíveis ajustes, dando respostas a discussões que a sociedade e o mercado estão sinalizando desde meados de 2016.

Para enfrentar a crise e manter os níveis de solidez das contas atuais do Estado é importante aproveitar essa elevação de quase 11 (onze) porcento e promover os devidos investimentos onde gera trabalho, renda e receitas públicas: o setor do agronegócio.

Na medida em que o governo aplicar esses recursos em programas de fomento para as atividades produtivas no campo, a economia cuida de fazer o giro na industria, comercio e serviços por força de sua dinâmica natural.

Francisco Aroldo
Economista

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Projeto Cidades Sustentáveis. No trecho que integra Porto Velho (RO) a Manaus (AM).

Projeto Cidades Sustentáveis. No trecho que integra Porto Velho (RO) a Manaus (AM).

Já completei 30 anos de residência aqui no amado estado de Rondônia. Acredito que tenho um bom estágio probatório para apontar algumas possibilidade

Legislação específica para servidores temporários no Brasil

Legislação específica para servidores temporários no Brasil

Meus caríssimos amigos e amigas leitores da minha coluna no Gente de Opinião, havia dias que eu não manifestava temas aqui, mas as redes sociais e o t

Política Nacional de Manutenção das Estruturas de Estado

Política Nacional de Manutenção das Estruturas de Estado

O Brasil é uma república federativa composta por 26 estados membros e um Distrito Federal (DF) como reza na atual Constituição da República Federati

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

O agronegócio segue confirmando o quanto é importante para a economia brasileira. No final da década passada (2020) vários artigos de vários jornais