Porto Velho (RO) segunda-feira, 3 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

GOVERNO CRIA O BANCO DE PROJETOS DO TERCEIRO SETOR PARA FINANCIAMENTO EM 2015



Ainda no exercício fiscal de 2013 quando a Lei 3.122 de 01.07.2013 entrou em vigor, o Executivo de Rondônia montava a equipe de fomento ao terceiro setor na Secretaria de Estado de Assuntos Estratégicos (SEAE); quando foi criado um PROGRAMA DE FOMENTO AO TERCEIRO SETOR no orçamento em curso, aproveitando o envio em setembro da Lei de Reforma que foi para a Assembleia Legislativa e deu condições a modificações e criação de novos programas para aquele exercício que caminhava para sua finalização.

Foi uma oportunidade para o fomento ao terceiro setor iniciar suas ações antes do final de 2013 que veio como uma grande abertura para o devido apoiamento das ações da equipe recém instalada.

Por esse artifício foi possível iniciar um programa de capacitação e desenvolvimento de lideranças que foi emplacado com um produto bem específico para o atual exercício de 2014 que seria o de implantar com metodologia própria um BANCO DE PROJETOS DO TERCEIRO SETOR.

A ideia que ora já está consolidada é simples. Ao longo de seis meses a SEAE capacita em dois módulos distintos as lideranças e voluntários de organizações com dois cursos de 16 horas cada - o primeiro é o de Elaboração de projetos e captação de recursos públicos e privados com material apostilado e orientação técnica à distância para a produção de PROJETOS.

à medida que cada organização desenvolve e finaliza o texto de sua proposta ela passa a integrar o BANCO DE PROJETOS DO TERCEIRO SETOR.

Cada entidade apresenta exclusivamente um proposta (Plano de Trabalho) no valor nunca superior a 200 mil reais e esses projetos são uma tarefa dada pelos instrutores com um dever de casa entre os módulos de capacitação.

O segundo módulo de capacitação - Gestão de projetos e prestação de contas, também um curso com 16 horas, serve para aprimorar e detalhar com os participantes os meios físicos, humanos e financeiros com os quais as organizações do terceiro setor pretendem colocar o projeto em prática.

Como um produto desse programa de capacitação temos na metodologia dois fatores basilares que ajudam a construir uma relação melhor entre o Estado e as organizações da sociedade civil sem fins lucrativos, qual seja a da confiança e a de relações mais amiúde - dado que ao longo dos cursos, da elaboração do projeto, sua defesa, preparação e texto final os lideres e voluntários das ONGS e a equipe técnica do governo do estado podem trocar informações e experiências.

Esse processo transforma a frieza do papel e da burocracia em ações complementares e de constante diálogo compartilhados pelo mesmo objetivo: compor um BANCO DE PROJETOS DO TERCEIRO SETOR onde o Estado e o terceiro setor contribuirão para sua existência por meio de um processo colaborativo.

Próximo passo será abrir no exercício de 2015 o edital especifico para o devido aproveitamento desses projetos o que já foi garantido estrategicamente pelo Secretario de Estado do Orçamento, Planejamento e Gestão, George Braga quando inscreveu para a LOA de 2015 o valor de 1,6 milhão para atender a essa proposta inovadora.

O terceiro setor organizado do estado de Rondônia agradece pois agora tem projetos estruturados e uma parceria robusta com a orientação e o acompanhamento técnico necessário ao cumprimento de metas e ações específicas.


Francisco Aroldo Vasconcelos de Oliveira
Gerência de Fomento ao Terceiro Setor
Secretaria de Estado de Assuntos Estratégicos

E C O N O M I S T A

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Estamos chegando ao final do mês maravilhoso de julho de 2020, e, de novo, e de novo, vemos propostas de reformas sendo discutidas em Brasília DF e

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

Esse final de semana saiu no BBC News que na Europa e também aqui nas nossas grandes capitais do sudeste o fato dos rendimentos caírem em média 30% e

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

Muitos homens e mulheres, muitas tribos, cidades, nações e governos têm entrado para a história da humanidade. Existem inúmeros registros ao longo d

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Ano passado eu escrevi dois artigos sobre a importância de uma coalisão entre os estados do Amazonas, Acre e Rondônia, especialmente na região geogr