Porto Velho (RO) domingo, 15 de julho de 2018
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

A História de Deus, religiões do mundo e você - Por Francisco Aroldo



Mês passado, novembro, eu assisti no canal netflix uma serie chamada a Historia de Deus com o ator Morgan Freeman, um americano com mais de 80 anos de idade, sábio e próspero em sua carreira e vida pessoal. Acredito que foi muito boa a escolha da National Geographic para o tema e também foram felizes com a escolha do ator e narrador. 
 
O Morgan, como prefere ser chamado, é desde 1989 quando começou a brilhar pelo filme Conduzindo Miss Dayse, um sucesso.  
 
Se você assistir ao documentário-show que falo aqui (A historia de Deus) e se deixar conduzir pela narrativa e as viagens pelo redor do mundo que é feita, talvez alcance a graça de compreender um pouco mais sobre o nosso Criador e sobre nós: suas criaturas; esses seres complexos inseridos por vontade Dele na jornada ímpar do Édem maravilhoso que é o planeta Terra.
 
Desde que o homem desenvolveu a fala e logo em seguida a escrita para registrar os seus feitos para a posteridade, já se vão mais de 10 mil anos. Aqui aldeias, cidades, povoados e civilizações foram erguidas e derrubadas pela ação do homem que motivado por desejos e emoções positivas e negativas constrói e destrói legados, ideias e as pessoas, isso é da natureza de ser humano - verdade.
Sem Deus fica tudo muito terreno, meio opaco e muitas vezes competitivo, sério de mais, e, mesmo violento ou brutal, fica mesmo como que animal - assim como eramos no inicio de tudo.
 
Mas é também da essência do ser humano querer e poder evoluir, aprender, respeitar, sonhar com um futuro melhor; e isso tem mesmo a ver com a essência de todas as religiões que é domesticar e atenuar em cada um de nós essa nossa animalidade ancestral.
 
Deus é amor, verdade, caridade, misericórdia, serenidade, alegria, saúde, sabedoria, paz e confiança em si e nos outros - Deus é urbano e rural, citadino, ribeirinho, fraterno, companheiro e está mesmo; definitivamente no próximo e na vida simples e feliz da comunidade - tudo é Deus quando o homem está em paz consigo e com os outros.
 
Seguramente para o lado não tão nobre e desmedido da avareza, egoismo e do desprezo pelas criaturas também está Deus - clamando para os que assim são por decisão ou por biologia, que eles transformem-se; procurem alcançar a moralidade e a integralidade de ser semelhante a Deus - conectar-se com o amor pleno.
 
Simples assim.
 
Assistam se puder essa série e coloquem mais espiritualidade em sua materialidade carnal, competitiva e consumista; podemos colher bons frutos de uma alegre convivência social e de moral melhorada.
 
Graça e Paz.
 

Por Francisco Aroldo, economista.
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Plataformas privadas de apoio social - Por Francisco Aroldo

Plataformas privadas de apoio social - Por Francisco Aroldo

Os ricos muitas vezes não se sentem a vontade para colaborar com fundos de investimentos sociais em razão de desmandos governamentais, despesas maior

Artigo de final de mês, curtos pensamentos para uma boa reflexão - Por Francisco Aroldo

Artigo de final de mês, curtos pensamentos para uma boa reflexão - Por Francisco Aroldo

Estamos concluindo esse primeiro semestre do auspicioso ano de 2018 e realmente em questões palacianas, o Planalto continua ensurdecido...

CONSORCIO BRASIL CENTRAL, um novo desenho de gestão pública descentralizada - Por Francisco Aroldo

CONSORCIO BRASIL CENTRAL, um novo desenho de gestão pública descentralizada - Por Francisco Aroldo

O Consórcio Brasil Central foi criado com o objetivo de fomentar o crescimento individual e regional

Prateleiras de Junho para as escolhas de Julho - Por Francisco Aroldo

Prateleiras de Junho para as escolhas de Julho - Por Francisco Aroldo

Nesse mês de festas juninas é regra; apesar das mudanças no atual calendário eleitoral, que os candidatos, ou os pré-candidatos, como reza a lei eleit