Porto Velho (RO) segunda-feira, 3 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

2015, Ano do diálogo Social como motor do desenvolvimento



Em 2014 escrevi 19 artigos sobre o terceiro setor. Ora nacional, ora da realidade de nosso estado. Vislumbrando o desenrolar das estratégias das organizações, empresas e do governo, sinto que em todo o país é chegada a hora de ampliar e promover o diálogo social entre os três setores. Governo, Empresas e as organizações da sociedade civil e seus movimentos sociais. O mundo anda revolto com tantas dificuldades sociais, econômicas, espirituais e toda a matiz material e nem tanto assim. Estamos ainda de ressaca da chegada do novo milênio; afinal as pessoas esperaram ansiosas pelo ano 2000 desde o século XIX - faz tempo. Para muita gente 10 anos é muito, mas para um povo não; para a humanidade 10 anos é um minuto. Por isso nesses últimos vinte anos ficou meio que adormecido o momento presente. É preciso dialogar. Em casa, na igreja, no campo, no trabalho, nas mídias sociais, no e-mail, nos salões, em todo o lugar é preciso dar mais força para a fala e a conversa. Voltar atrás como há cinquenta anos foi é mero saudosismo nosso; devemos procurar, mover, ir ao encontro; propagar as ideias de melhorias, pois a sociedade melhorada é para todos usufruírem. No campo do desenvolvimento social e econômico não há prosperidade em nenhuma cidade que relega o diálogo, o respeito, a amizade, a ajuda, a solidariedade, a ética e a gestão humanizadas das relações. Rondônia prosperará na medida em que os canais de diálogo sejam abertos e perenes. É preciso cuidar todo dia de tudo. Portante, nesse artigo de inicio de ano, quero dividir com todos esse desejo que é real para muitos e que pode multiplicar. Estado, Sociedade civil e empresas devem unir esforços para alavancar e construir um lugar melhor para todos. Feliz sonhos a todos nós rondonienses que pensamos no dia de ontem, no dia de hoje e nos dias que ainda hão de vir.


***************************************************
Francisco Aroldo Vasconcelos de Oliveira
Economista Gerente de Fomento ao 3 Setor
Secretaria de Estado de Assuntos Estratégicos
Governo do Estado de Rondônia

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Porque não um imposto único de verdade no Brasil?

Estamos chegando ao final do mês maravilhoso de julho de 2020, e, de novo, e de novo, vemos propostas de reformas sendo discutidas em Brasília DF e

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

A grande saída para o trabalhador pode ser as cooperativas

Esse final de semana saiu no BBC News que na Europa e também aqui nas nossas grandes capitais do sudeste o fato dos rendimentos caírem em média 30% e

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

O alto preço da prosperidade a qualquer custo

Muitos homens e mulheres, muitas tribos, cidades, nações e governos têm entrado para a história da humanidade. Existem inúmeros registros ao longo d

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Falando aqui sobre o Projeto AMACRO

Ano passado eu escrevi dois artigos sobre a importância de uma coalisão entre os estados do Amazonas, Acre e Rondônia, especialmente na região geogr