Porto Velho (RO) segunda-feira, 22 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

ACRM

NÃO SE MEXE EM TIME QUE ESTÁ GANHANDO


NÃO SE MEXE EM TIME QUE ESTÁ GANHANDO - Gente de Opinião

William Haverly Martins 

Em tempos de Copa das Confederações e véspera de Copa do Mundo, usar a máxima do futebol para iniciar este texto serve de alerta pela expectativa de mudança nas regras do jogo no Ipam (Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Porto Velho), o que desandaria a assistência médica fornecida aos servidores: ao longo dos anos, o leque de garantias à saúde e a vida do segurado, fornecido pelo Ipam, vem sendo motivo de orgulho para o funcionário público municipal.

Na surdina dos gabinetes, gente despreparada e mal intencionada está tramando a construção de um hospital municipal para atendimento aos contribuintes do Ipam, isto significa dizer, que o hospital a ser construído será o único local de atendimento aos servidores do município.

Hospital público, em Porto Velho, nunca funcionou, não funciona a contento, basGente de Opiniãota ver o que acontece com a Maternidade Municipal e com as UPA’s: gente amontoada como bicho, sendo atendida por profissionais emergenciais despreparados, isto quando é atendida. Na maioria das vezes, as pessoas retornam às suas casas sem atendimento.

Se o atendimento feito por profissionais capacitados em hospitais privados de reconhecido conforto, credenciados pelo Ipam, de vez em quando, recebe críticas dos segurados, imaginem como ficará se transferirem o atendimento para uma única unidade hospitalar, administrada pela Prefeitura, ou pela diretoria do instituto: não precisamos de carta de profeta, ou diploma de guru para divisarmos o futuro óbvio: um desastre.

E não me venham com argumentos sobre os custos, ou o rombo do Ipam: se as contas estão no vermelho, a culpa é da administração política dada ao órgão e da corrupção: critérios rigorosos na arrecadação, cobrança de velhas dívidas (como a da Câmara, por exemplo), pagamentos sobre rígido controle, além de severo aperto no cinto das despesas poderiam diminuir os problemas e, com o tempo, equilibrar as contas.

Não se resolve o problema da assistência médica municipal, desligando-se os aparelhos que dão sustentação à vida: retirar do funcionário o direito ao atendimento médico competente e decente, substituindo por outro sem condições técnicas operacionais é como administrar-lhe um remédio inócuo, um paliativo, ou uma droga qualquer que, em vez de minorar, o levaria ao sofrimento. Seria como condenar o funcionário que necessitasse de assistência médica à antessala da morte.

Não se brinca com a vida, o Ipam talvez seja uma das poucas entidades de Porto Velho digna de elogios, mas no mundo político a satisfação do funcionário não conta pontos: o prefeito, o secretário de saúde e o presidente do Ipam ainda não aprenderam com o povão, que não se mudam as regras de um jogo que está agradando; não se altera a tática, se o time está ganhando. Acabar com a Assistência Médica no Ipam, como ocorreu com o Iperon, seria uma lástima, mas piorar o atendimento para “salvar” a Instituição seria uma desgraça muito maior.

Estamos em época de protestos, do retorno dos caras pintadas, grita-se por melhores condições de saúde, educação e segurança:te cuida senhor administrador, os funcionários da prefeitura, com certeza, vão atazanar-lhe a vida, no momento em que souberem desta tentativa atabalhoada de mudanças no Ipam. Não forneça a fagulha que pode provocar um incêndio de proporções inimagináveis, destruindo a sua carreira política e levando a massa para as ruas de Porto Velho. Será que não bastam: greve na educação, enterro da Rua da Beira, viadutos sem solução, ruas esburacadas, seis meses de inércia?

williamhaverly@gmail.comDetalhes biográficos: baiano de nascimento, mas rondoniense de paixão, cursou Direito na UFBA e graduou-se em Letras pela UNIR, é professor, escritor, presidente da ACRM – Associação Cultural Rio Madeira e vice-presidente da Acler – Academia de Letras de Rondônia, onde ocupa a cadeira 31.              

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre ACRM

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

  Por William Haverly Martins Só os poetas são donos do privilégio inominável de ser ele mesmo e o outro ao mesmo tempo, só eles conseguem ingressar o

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

Presidente da ACRM, Francisco Lima e o general Novaes Miranda em reunião na 17ª Brigada Hoje, 26 de março, a Associação Cultural Rio Madeira, represen

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

  A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) esteve conectada à extração da borracha desde o ano de 1903, a partir do Tratado de Petrópolis entre Brasil

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Ontem, dia 31 de janeiro de 2014, por volta das 09h30 da manhã, vários integrantes da Associação Cultural Rio Madeira, ciceroneados pelo presidente Wi