Porto Velho (RO) segunda-feira, 22 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

ACRM

CINQUENTA TONS DE BEGE


CINQUENTA TONS DE BEGE - Gente de Opinião

William Haverly Martins


A idade avança, a gente vai perdendo o tesão do protesto, o élan da indignação.  A escrita frequente e voluntária sofre o vagar de quem já não acredita em transformação oriunda dos gritos solitários da alma: estava mesmo pensando em parar de expor minha escabreação frente à constante inoperância dos políticos, minha irritação diante da incapacidade de gerenciamento da cultura de nosso estado. Estou cansando de malhar em ferro frio.

Mas o espelho não se cansa de me cobrar, de me mostrar os matizes da palidez do desgosto, me apontando a necessidade de permitir o retorno da união da medula espinhal com o cérebro: volto à ativa, abrindo fogo com os canhões verbais do desejo de mudança, mesmo sem horizontes, mesmo não me vendo na liderança de movimentos socioculturais de massa. O conformismo nunca foi minha praia, assumo o verbo dos formadores de opinião. E grito! um grito bege, mas ainda assim um grito que pode despertar ecos, um grito de quem chuta o balde na certeza do barulho, na esperança de acordar os que comungam do sonho da valorização da nossa cultura regional.CINQUENTA TONS DE BEGE - Gente de Opinião

Depois do bronco Cassol, não acreditava que outro ocupasse o espaço com tanta inapetência pela cultura do estado. O eleito, médico e escritor, nos fez acreditar na felicidade regional, via democratização das instituições, via hipocrisia de palanque: foi e está sendo apenas mais um do rol dos políticos sem estirpe, iguais no fardo e no sonho de se locupletarem. Primeiro falam demagogicamente, depois agem, sem escrúpulos e sem pudor.

Já se foram três secretários na SECEL demitidos por se envolverems no mar de lama da corrupção. A cara parva do governador, a falta de pulso e o gaguejo próprio dos dúbios, não o eximem da culpa de lotear seu governo, nos moldes do que se faz no governo federal, com o intuito de se conseguir a tal governabilidade. Falta bom senso...

A Academia de Letras de Rondônia e os livros da Biblioteca Dr. José Pontes Pinto foram, igualmente, desalojados do prédio da Avenida Farquhar, pelo inculto e feio Ivo Cassol: já se passaram mais de dois anos da administração Confúcio e a Acler continua sem a sua sede própria, doada pelo ex-governador José de Abreu Bianco; e os livros da biblioteca, lamentavelmente, continuam amontoados num depósito/cemitério do prédio do relógio (atual sede da SECEL), sem cumprir a missão sagrada de difundir conhecimento.

E o que dizer de centenas de peças indígenas garimpadas em vários estados pelo grande médico, antropólogo, etnólogo e estudioso da flora amazônica, Dr. Ary Pena Pinheiro Tupinambá, doadas ao Governo do Estado, para complementar o acervo do museu estadual, e que estão jogadas feito lixo numa sala do mesmo prédio referido anteriormente.

Ano passado, a realização do Arraial Flor do Maracujá, a maior festa folclórica do Norte do Brasil, foi transferida de junho para setembro, festas juninas viraram setembrinas. Este ano ninguém sabe se acontecerá, a desconfiança do público atinge o píncaro do gráfico da indignação: a ira dos que acreditaram nas promessas de palanque pode transformar pacatos cidadãos em violentos modificadores deste estado de coisas!

O carnaval deste ano aconteceu pela metade... O governo está devendo as cotas prometidas aos bois que participaram do duelo da fronteira, em Guajará. Não há incentivo aos esportes: muitos de nossos jovens esportistas estão sendo patrocinados por governos de outros estados. Se há tanta deficiência na capital, imaginem no interior...

As próximas eleições estão se aproximando e o povo precisa entender que a democracia depende da natureza da cultura cívica e política de nossa gente, da mobilização para se discutir os desafios e as soluções. Eu sei que é difícil não rotular os políticos, como farinha do mesmo saco, mas o voto e a prática dele é a única arma disponibilizada pela democracia a quem precisa exercer a cidadania e, de certa forma, trocar os políticos que não deram certo. Não se pode perder a esperança no ser humano, nem achar que qualquer brasileiro, ao se tornar político, vira um crápula.

Quinta feira passada (18/04), participei, como vice-presidente da ACLER e presidente da ACRM, da convocação do companheiro Zekatraca aos produtores culturais do estado, para juntos discutirmos a forma de participação nas decisões da SECEL e forçar o governo a nos ouvir na escolha do próximo secretário. Estamos aguardando o resultado da reunião ocorrida na Casa de Cultura Ivan Marrocos, com grande afluência do público envolvido com as atividades da Cultura Regional, já que o encontrou gerou uma Carta que seria entregue diretamente ao Governador.

A ex-vereadora e candidata derrotada do PSDB à prefeitura da capital disse em sua página do Face, que estava nos EUA para conhecer o sistema educacional daquele país de primeiro mundo, com a intenção de entender o modelo, ou aprender um pouco mais, trocar informações culturais com nossos parceiros comerciais. Quanto mais conhece o modelo americano mais se apavora com o tamanho do abismo que nos separa, com a necessidade da longa caminhada para chegarmos ao menos nos arredores das conquistas educacionais dos gringos. Abismo cultural maior, só o que separa o Confúcio governador do Confúcio filósofo:

“Saber o que é correto e não o fazer é falta de coragem.”

“É preciso mudar para que haja constante felicidade e sabedoria.” Confúcio, filósofo chinês (551 a.C.-479)
 

williamhaverly@gmail.com

Detalhes biográficos: baiano de nascimento, mas rondoniense de paixão, cursou Direito na UFBA e licenciou-se em Letras pela UNIR, é professor, escritor, presidente da ACRM – Associação Cultural Rio Madeira e vice-presidente da Acler – Academia de Letras de Rondônia, onde ocupa a cadeira 31.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre ACRM

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

  Por William Haverly Martins Só os poetas são donos do privilégio inominável de ser ele mesmo e o outro ao mesmo tempo, só eles conseguem ingressar o

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

Presidente da ACRM, Francisco Lima e o general Novaes Miranda em reunião na 17ª Brigada Hoje, 26 de março, a Associação Cultural Rio Madeira, represen

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

  A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) esteve conectada à extração da borracha desde o ano de 1903, a partir do Tratado de Petrópolis entre Brasil

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Ontem, dia 31 de janeiro de 2014, por volta das 09h30 da manhã, vários integrantes da Associação Cultural Rio Madeira, ciceroneados pelo presidente Wi