Porto Velho (RO) segunda-feira, 22 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

ACRM

APROVEITEM O FIM DO MUNDO


APROVEITEM O FIM DO MUNDO - Gente de Opinião
William Haverly Martins
 

Catástrofes, juízo final, apocalipse, dilúvio, profecias, bug do milênio, conspirações, calendário maia, histórias profetizando o fim do mundo existem desde que o homem adquiriu consciência crítica da sua própria existência, assimilou o medo inerente e transferiu ao imaginário cerebral suas fantasias escatológicas.

A maioria humana sempre foi fascinada por extremos, principalmente quando a ciência não consegue desvendar segredos convenientemente: o início e o fim da vida, ou o início e o fim do mundo, deus e o diabo, ou o bem e o mal. Se focarmos o olhar com mais rigor, veremos que não se trata de um problema de evidência, mas de crença.

A razão tem medidas pra quase tudo, a ciência explica a maior parte dos fenômenos que nos cerca. Mas na fronteira do quase com a verdade científica, existe uma região cerebral dominada pela emoção, que especula com a imaginação, com a fé, com a metafísica.

E a grande diferença entre esses dois ramos Gente de Opiniãodo conhecimento é que o metafísico não tem laboratório: o homem não aceita a morte, ele quer a perenidade; as maravilhas materiais do mundo não o satisfazem, insiste com o sobrenatural; os limites da terra e a simples existência o angustiam, sonha com o manjar infinito do céu; ignora as evidências e acredita em varinha de condão.

A conciliação é deveras difícil, diria impossível, a emoção é o afago humano às obscenidades da razão e às agruras da vida, nós acalentamos as nossas crenças e os nossos sonhos. O Big Bang, o universo em expansão, os buracos negros, imensidão do espaço, bilhões de anos, nanotecnologia, células tronco, física quântica, isto são coisas para os nerds. Nada como sonhar simples, viver a expectativa da ficção, imaginar a estética da perfeição, vibrar com o sexo, apreciar os astros como enfeites da Terra, nada como acreditar na eternidade na companhia da corte celestial.

Início e fim do mundo estão entrelaçados na emoção humana, de tal forma que pseudobruxos de vários naipes e épocas e teorias pseudocientíficas e místicas, ocupam espaços nos meios de comunicação, transitam livremente pela imaginação, com foro de verdade absoluta: o fim dos tempos será no dia 21 de dezembro de 2012 – ou, mais precisamente, o fim do calendário Maia. Não se sabe a hora, mas se sabe o antídoto: a desconfiança. Segundo Nietzsche, “a objeção, o desvio, a desconfiança alegre, a vontade de troçar são sinais de saúde: tudo o que é absoluto pertence à patologia.”

Atendendo à sinalização nietzschiana, uso a troça para lembrar que onze dias depois do fim do mundo, ocorrerá o início do mandato do prefeito eleito, Dr. Mauro Nazif. Isto não significa dizer que o prefeito vai encontrar a cidade em ruínas, apesar dos destroços dos viadutos e das inúmeras obras inacabadas.

Como a parte que sobressai em mim não é mística, nem possui ranços fundamentalistas de qualquer tendência, acorro em desejar ao prefeito eleito que a festa da vitória e o sucesso administrativo se estendam além dos ciprestes, além do fim do mundo, além de 1º de janeiro de 2013.

Sucesso mediante transpiração e fé no homem, fé no trabalho, fé nas boas propostas. Esperamos nesse instante de escolhas que todo e qualquer “eu” seja dominado e morto, que sobreviva a coletividade, o pensamento desinvidualizado. A cidade está precisando de mais gente compromissada com o progresso e menos com a corrupção. A ACRM (Associação Cultural Rio Madeira), entidade não governamental comprometida em participar, fiscalizar e indicar obras e serviços na área da cultura, está à disposição, atenta e vigilante.  

Não esqueça, Excelência, que o prédio da velha Câmara Municipal, localizado na ladeira Comendador Centeno, tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal, precisa ser arrebatado das mãos de Eris, deusa grega do caos e da destruição. Procure, com a equipe de transição, o projeto arquitetônico feito pelo arquiteto Carlos Roberto A. de Souza, afiliado à ACRM, e os projetos complementares, concluídos pela Fundação Iaripuna, sem custos para a Prefeitura. Até o financiamento já foi prometido pela Caixa Econômica Federal, só falta boa vontade para resgatar das ruínas, com a competente restauração, um dos prédios mais significativos da história do nosso município.

A ACRM, a ACLER, o Projeto Viva Porto Velho, professores da UNIR, diretores da Fundação Cultural Iaripuna e o público que participava das reuniões efetuadas nas próprias ruínas do prédio da velha Câmara, há dois anos, decidiram que o prédio deverá ser restaurado e no local instaurado o Museu da Imagem e do Som, dividido em cinco partes: museu da oralidade, museu da fotografia, museu da música e museu dos vídeos e filmes documentários, desde que o tema seja Porto Velho. A curadoria permanente será da ACRM que passará a ter sede no próprio local, onde funcionará, também, um estúdio para gravação e montagem dos vídeos e fotografias.

Por outro lado, para ocupar o espaço ocioso da área que fica localizada atrás do prédio em tela, seria construída a sede da ACLER (Academia de Letras de Rondônia), verdadeira guardiã da cultura histórico/literária do nosso município e do nosso estado, há 26 anos sem um local próprio para suas deliberações.

No mais, Senhor Prefeito, basta cumprir as promessas de palanque no que toca a creches, escolas, saneamento básico, pronto socorro municipal, asfalto para a periferia, enfim tudo que caiba na dosimetria estabelecida pelos eleitores: 4 anos de mandato, com direito a repetir a dose, desde que não extrapole nas suas funções, não se envolva com corrupção, nem esqueça as palavras de Abraham Lincoln: “se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder.”

williamhaverly@gmail.com

Detalhes biográficos: baiano de nascimento, mas rondoniense de paixão, cursou Direito na UFBA e licenciou-se em Letras pela UNIR, é professor, escritor, presidente da ACRM – Associação Cultural Rio Madeira e vice-presidente da Acler – Academia de Letras de Rondônia, onde ocupa a cadeira 31.             

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre ACRM

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

NÃO PERGUNTES POR QUEM OS SINOS DOBRAM - NECROLÓGIO DO ACADÊMICO HERCULANO MARTINS NACIF

  Por William Haverly Martins Só os poetas são donos do privilégio inominável de ser ele mesmo e o outro ao mesmo tempo, só eles conseguem ingressar o

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

ASSOCIAÇÃO CULTURAL SE REÚNE COM GENERAL DA 17ª BRIGADA PARA FALAR DE PROJETOS CULTURAIS DO EXÉRCITO EM RO

Presidente da ACRM, Francisco Lima e o general Novaes Miranda em reunião na 17ª Brigada Hoje, 26 de março, a Associação Cultural Rio Madeira, represen

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

MANIFESTO 'VIVA MADEIRA-MAMORÉ'

  A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) esteve conectada à extração da borracha desde o ano de 1903, a partir do Tratado de Petrópolis entre Brasil

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Integrantes da ACRM visitam obra de restauração da antiga Câmara Municipal

Ontem, dia 31 de janeiro de 2014, por volta das 09h30 da manhã, vários integrantes da Associação Cultural Rio Madeira, ciceroneados pelo presidente Wi