Porto Velho (RO) quarta-feira, 24 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

Ciro Pinheiro

Revisitando o Jornal Alto Madeira

O homenageado maior, jornalista Euro Tourinho


Euro lê seu discurso ao lado das organizadoras do livro, Maria Genecy Centeno Nogueira e Elis da Silva Oliveira. - Gente de Opinião
Euro lê seu discurso ao lado das organizadoras do livro, Maria Genecy Centeno Nogueira e Elis da Silva Oliveira.

“Narrativa Sobre a Cidade: Revisitando o Jornal Alto Madeira” - o lançamento de um livro de 230 páginas levou boa quantidade de pessoas ao salão nobre do Palácio Presidente Vargas, antiga sede do governo estadual, sábado, dia 28 de abril.

“Abrir o jornal em papel e degustar noticias que por ele transmitam, parece ser na era digital uma condição démodé. Porém, durante muito tempo o jornal Alto Madeira (1917-2017), em Porto Velho, foi muito mais do que um simples informativo, significou uma janela para o mundo e hoje se reverbera como memoria preservada”. Comentário, à guisa de apresentação nas abas do livro, escritas pela professora mestra Eliete Maria de Souza.

Com o prefacio, a professora Maria Berenice Alho da Costa Tourinho deu sua palavra de quem sabe das coisas; escreveu: “O Alto Madeira retratou no discurso jornalístico e nas imagens veiculadas, como em um espelho de imagem invertida, a interpretação do seu entorno em páginas de celulose, que, em pouco tempo restavam amarelecidas; revelava, assim, a vida materializada no cotidiano do povo, dos nossos rios e das cidades”.

O homenageado maior, jornalista Euro Tourinho, que como chefe (diretor-geral) sempre foi mais um colega-repórter dos profissionais da redação, iniciou seu discurso informando que seria breve, pois sua saúde não permitia muitas palavras nem grandes emoções. Aqui, um trecho: “Sinto-me abençoado por Deus. Vivi numa cidade que vi crescer, numa atividade que gostava, criei minha família, ao lado de uma mulher que foi sempre meu esteio, tive filhos, netos, bisnetos. Plantei árvores, escrevi, escrevi muito; registrei com fotos e palavras muito da história local e dirigi o Alto Madeira, que imprimiu letra por letra os fatos da nossa história”.  Continuou o Euro: “O lançamento deste livro é também, um atestado de que a Universidade de Rondônia está cumprindo o seu papel de resgatar a nossa história. E somente posso concluir agradecendo a UNIR, aos seus professores pesquisadores, por poder ter este momento de felicidade e, por que não dizer de glória, que não é somente minha, de nossa família e sim de todos os grandes profissionais e colaboradores que fizeram do nosso Alto Madeira uma paixão sem limites, a nossa paixão sem limites”.  

Euro lê seu discurso ao lado das organizadoras do livro, Maria Genecy Centeno Nogueira e Elis da Silva Oliveira.


Com a nora Berenice (ex-reitora da UNIR) e a neta, juíza Euma Tourinho.


O salão nobre do Palácio Presidente Vargas lotado: Euro, os filhos Eudes e Euro Filho, o neto Homero, a filha Eurly, a irmã Neusa e muitos amigos.


 

 Autores do livro: ( professores e alunos  da Unir)

 

******************************

HONORIS CAUSA

Os professores Yedda Pinheiro Borzacov e Abnael Machado de Lima, ícones da historiografia rondoniense (podemos assim dizer), foram homenageados pela Universidade Federal de Rondônia, com a outorga do título “Doutor Honoris Causa”, em solenidade realizada no auditório da UNIR – Centro, na tarde do dia 25 (abril), com a presença de professores, estudantes e amigos dos homenageados.

O título honorífico “Doutor Honoris Causa” é uma honraria concedida por universidades a pessoas que se destacam em sua área de atuação. As pessoas homenageadas sempre são personalidades merecedoras do respeito pelo seu trabalho, por setores da sociedade, mas nem sempre têm graduação ou especialização. Tanto que o termo significa “por causa de honra” em latim. Ou seja, ela se tornou alguém de destaque em tal área e a honrou a ponto de ser considerado doutores. Os homenageados  -  Yedda e Abnael discursaram manifestando o agradecimento, aplaudidos pelos presentes.


Professora Yedda