Porto Velho (RO) quinta-feira, 21 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Ciro Pinheiro

REPÚBLICA: GOLPE NA CAMA DO MARECHAL


REPÚBLICA: GOLPE NA CAMA DO MARECHAL - Gente de Opinião

No Rio de Janeiro os republicanos insistiram com o marechal Deodoro da Fonseca para que ele chefiasse o movimento revolucionário que substituiria a Monarquia pela República. Depois de muita insistência dos revolucionários, ele concordou em liderar o movimento.  O marechal estava doente. Passou quase todo o mês de outubro de cama.  Apesar de amargurado com o governo, Deodoro gostava do imperador D. Pedro II e relutou muito antes de conspirar. Parece ter sido quase um bode expiatório às avessas, um “inocente útil atraído à rebelião por Benjamin Constant para fazer a ponte entre a velha guarda e a “mocidade militar”. A República, de fato, só foi proclamada à noite, na casa de Deodoro. Na cama ela chamou Benjamin Constant, Quintino Bocaiuva, Aristides Lobo e falou: “Digam ao povo que a República está feita.”.          

O Governo do Império tinha perdido suas bases econômicas, militares e sociais.  Porém, as ideias republicanas não tinham ainda grande penetração popular, mesmo às vésperas da proclamação de um novo regime. O povo estava descrente da Monarquia, mas não havia, na época, uma crença generalizada na República. Por isso, o movimento de 15 de novembro de 1889 não teve participação popular. O povo assistiu, sem tomar parte, a proclamação da República. O golpe militar que estava previsto para 20 de novembro de 1889, teve que ser antecipado. No dia 14, divulgou- se a noticia (que por sinal era falsa) de que estaria iminente a prisão de Benjamin Constant e Deodoro da Fonseca. Por isso, na manhã do 15 de novembro, Deodoro iniciou o movimento que pôs fim ao regime imperial. Os revoltosos ocuparam o quartel-general do Rio de Janeiro e depois o Ministério da Guerra. Na tarde do mesmo dia 15, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, foi solenemente proclamada a Republica. D. Pedro II, que estava em Petrópolis, retornou ao Rio. Pensando que o objetivo dos revolucionários era apenas substituir o Ministério, o imperador tentou ainda organizar outro, soba presidência do conselheiro José Antônio Saraiva. No dia seguinte, o major Frederico Sólon Sampaio Ribeiro entregou a Dom Pedro II uma comunicação cientificando-o da proclamação do novo regime e solicitando sua partida para o exterior. Na madrugada de 17 de novembro, Dom Pedro partiu com a família para o desterro na Europa. Terminava assim o regime imperial brasileiro, que durara sessenta e sete anos, quarenta e nove dos quais dirigido por Dom Pedro II.           

LÚCIO LANÇA NA CESTA

Lúcio Albuquerque está lançando mais um livro com mais ou menos 130 páginas (um livrinho, pois), o menor de todos por ele já produzidos (muitos), bom de ser lido e para rir em dia de muito calor; li todo numa só lapada, enquanto passava uma chuvinha rápida, dessas que está aparecendo nas nossas tardes calorentas: "A Cesta Página de um Repórter". Ele explica o motivo da cesta (a capa mostra) e da teima em ser repórter e não jornalista, quando sabe, mais do que todo mundo, que jornalista é a profissão e repórter é a função, mas como bom profissional que é vai teimar até começar a andar de bengala, como o Ignácio de Loiola. A capa do livro com o desenho de um careca (ele) trabalhando numa máquina de escrever e soltando papel usado numa cesta, é de Mikéliton, a foto (cadê?) do Machado, a revisão da professora Nathassia Guedes e o prefácio de José Carlos Sá. Uma boa equipe.

 

EURO NA FRONTEIRA

O jornalista Euro Tourinho, com o Euro Filho e com a nora Cecy Helena, passaram um fim de semana (para aposentado todo dia é fim de semana) na Pérola do Mamoré, em tempo de repouso no Hotel Pakaas Palafitas Lodge, hóspedes do amigo Paulo Saldanha e da esposa Olgarina, que comemorou o aniversário (ela) em família dia 2. Bem aproveitaram para esticada até a fazenda Porto das Flores - 17 quilômetros da cidade de Guajará Mirim. Passeio bom demais.

 

PARABÉNS


6 de nov – NAZA  ERSE



Desembargador WALTER WALTENBERG

Desembargador Walter Waltenberg Silva Junior. Presidente do Tribunal de Justiça do Estado. Esteve no trono do Executivo, na ausência do governador Daniel Pereira em viagem.

 

15 – MARA PARAGUASSU


Jornalista, competente assessora de Imprensa governamental.

 

16 – ZUZA CARNEIRO


Colunista Social e promotor de eventos. Sempre com sucesso.

  

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Ciro Pinheiro

Distante - Aplausos - Yedda nos 80 - Sem abnael - Homenagem - Sargentos – promoções na PM

Distante - Aplausos - Yedda nos 80 - Sem abnael - Homenagem - Sargentos – promoções na PM

 DISTANTEEstou em São Paulo desde o dia 2 deste julho, hoje já preparando as malas para a volta para Porto Velho. Fomos, nesse tempo - eu e Penha -

Nova prefeitura na margem do Madeira

Nova prefeitura na margem do Madeira

A mudança da sede da Prefeitura de Porto Velho do “Palácio Tancredo Neves” (que era antes 31 de Março), para o “Prédio do Relógio” foi a melhor inic

Ruas de Porto Velho

Ruas de Porto Velho

Nome de rua em Porto Velho é um caso sério

DE RELÓGIO PARA TANAJURA

DE RELÓGIO PARA TANAJURA

O primeiro prefeito eleito de Porto Velho (1917)