Porto Velho (RO) quinta-feira, 28 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

O lançamento oficial do PROJETO AMACRO

Zona de Desenvolvimento Sustentável dos Estados do Amazonas, Acre e Rondônia (AMACRO)


O lançamento oficial do PROJETO AMACRO - Gente de Opinião

Desde o ano de 2018 tenho escrito artigos sobre vários programas e propostas de desenvolvimento sustentável para a Amazônia. 

O leitor desta coluna deve lembrar da criação do consórcio de estados, são nove (09) ao todo, para alinhamento político e institucional dessas ações e que temos Plano Amazônia sustentável (PAS) e o PRDA - Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia como instrumentos de referência para os diversos eixos temáticos que compõem essa questão de produzir com sustentabilidade ambiental no bioma da Amazônia. Deve-se lembrar também que tenho sinalizado para um projeto de alinhamento dessas temáticas para essa região de fronteira entre os estados do AM, AC e RO.

 

Pois bem, com a proposta de estimular o desenvolvimento regional e gerar impactos positivos nas gestões municipais, as entidades federais da Suframa e Sudam, em parceria com o Sebrae Rondônia realizaram no mês de abril, o GovernAmacro, foi um curso on-line gratuito voltado aos gestores dos municípios que integram o projeto da Zona de Desenvolvimento Sustentável dos Estados do Amazonas, Acre e Rondônia (AMACRO).

O projeto AMACRO abrange inicialmente 32 municípios localizados no sul do estado do Amazonas, leste do estado do Acre e o noroeste de Rondônia, cuja área total é de 454.220 quilômetros quadrados e população estimada em 2020 de aproximadamente 1,7 milhão de pessoas


Essa informação é extremamente positiva tendo em vista que outras iniciativas aqui e em outras paragens já apontadas para o desenvolvimento da Amazônia estão, digamos, paradas desde 2015 ou  2016. As razões são muitas e não será registrada aqui nesse artigo.

 

O curso idealizado foi dividido em cinco módulos: (1) políticas públicas; (2) planejamento estratégico e escritório de projetos; (3) probidade administrativa e atividades correicionais; (4) orçamento público e lei de responsabilidade fiscal; e (5) sustentabilidade ambiental. O instrumento de transferência de conceitos e aprendizado também envolveu o Banco da Amazônia, que também é parceiro do projeto AMACRO e busca apresentar os modelos de desenvolvimento regional e todos os instrumentos que orbitam na área de atuação da Suframa e da Sudam, bem como ferramentas disponíveis para que os gestores municipais, afinal de contas o desenvolvimento acontece no local, possam desenvolver o melhor trabalho possível.

Conversando em maio passado com o diretor técnico do Sebrae em Rondônia, Samuel Almeida, um amigo do meu tempo de SEBRAE RONDÔNIA, na década passada; registro que a atuação integrada é uma grande solução para o desenvolvimento econômico sustentável. E nas palavras dele “Estamos na Amazônia, uma região estratégica e economicamente viável. É possível construir políticas públicas que tenham como foco a geração de negócios e promover, cada vez mais, a cultura da internacionalização, já estamos sob um patrimônio da humanidade com tantas oportunidades e riquezas."

 

Essa afirmativa confere com os propósitos do Programa Cidade Empreendedora que, sendo uma ação estratégica do SEBRAE, está auxiliando a gestores públicos alcançar melhores resultados. 


Essa ação formatada com base nas parcerias acima referidas,  leva o nome de GovernAmacro e fez parte da programação do lançamento oficial  do projeto da Zona de Desenvolvimento Sustentável dos Estados do Amazonas, Acre e Rondônia - PROJETO AMACRO, que aconteceu no mês de maio, com a participação do Conselho Nacional da Amazônia Legal, dos governadores dos três Estados abrangidos pelo projeto – Amazonas, Acre e Rondônia, do Banco da Amazônia, da Embrapa, além dos parceiros integrantes do comitê gestor, composto por diversas secretarias estaduais. 

 

Muito bom você, amigo leitor da minha coluna, anotar quais são os municípios que compõem esse grandioso PROJETO AMACRO, por enquanto são eles: Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré e Novo Aripuanã, pelo estado do Amazonas; Acrelândia, Assis Brasil, Brasiléia, Bujari, Capixaba, Epitaciolândia, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Senador Guiomard, Sena Madureira e Xapuri, pelo estado do Acre; Alto Paraíso, Ariquemes, Buritis, Campo Novo de Rondônia, Candeias do Jamari, Cujubim, Itapuã do Oeste, Machadinho D’Oeste, Monte Negro, Nova Mamoré, Porto Velho e Rio Crespo, pelo nosso amado estado de Rondônia.

 

Graça e Paz, juntos sempre poderemos mais.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Outra vez estamos retomando a questão de planejamento do desenvolvimento regional da região geográfica do sul da Amazônia Brasileira, cujos desafios

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), órgão da estrutura do Poder Executivo responsável pelo planejamento, acompanhame

Pesquisa industrial anual aponta declínio

Pesquisa industrial anual aponta declínio

A Pesquisa Industrial Anual (PIA) 2019, divulgada no dia 21 de julho pelo IBGE, mostra que, em 2019, o setor mais produtivo da indústria foi o de pe

Pesquisa do Instituto Locomotiva do Rio de Janeiro

Pesquisa do Instituto Locomotiva do Rio de Janeiro

Foi divulgado no mês de abril passado uma pesquisa do Instituto Locomotiva, com sede administrativa na cidade do Rio de Janeiro, a respeito dos impa