Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Enquanto isso, no centro do Brasil


Enquanto isso, no centro do Brasil - Gente de Opinião

Em dezembro desse ano completo 28 anos de moradia em Rondônia, com a minha família, vindos do nordeste para conhecer e trabalhar nas terras do Marechal; muito aconteceu nesse período. 

Um exemplo é o sonho da ligação de Rondônia e Acre com os mercados andinos, a chamada estrada para o pacífico.

Desde 1992 fala-se muito nesse grandioso projeto.

Adormeceu por mais ou menos oito anos e reviveu entre os idos de 2013 e 2015, mas com um incremento maioral: o projeto original da estrada veio a se transformar, na boca de muitos políticos numa idéia megalomaníaca de sair do mato grosso rasgando mais de 5 mil quilômetros até as praias do Peru. Imagine.

Uma obra faraônica, que se fosse exequível, possivelmente consumiria mais de 30 bilhões de reais e teria além das assinaturas de Brasília DF, quatro governadores e vários prefeitos e também de autoridades da República da Bolívia e do Peru.

Não é à toa mesmo que não consegue decolar, nem as estradas de asfalto e muito menos a estrada de ferro, tão promissores para o desenvolvimento regional do sul da Amazônia e dos países de língua espanhola, nossos hermanos.

Dizem no futebol que quem não faz gol: leva!

Pois bem, está em andamento no centro do Brasil outra rota que poderá reduzir muito a prosperidades de Rondônia, Acre e Amazonas.  

Estou falando dos projetos de parcerias privadas para a construção de um trecho de ferrovia que liga o Mato Grosso ao Goiás, sendo um novo trecho que sairá do município de Água Boa (MT) para avançar 383 quilômetros até a cidade de Mara Rosa (GO), onde vai se conectar ao eixo central da Ferrovia Norte-Sul. Essa obra dá início à prometida Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), por meio de um acordo já firmado com a Vale.... as obras começam em 2021 e devem ser investidos a bagatela de R$ 2,75 bilhões.

Na Bahia o ministério da infraestrutura já reservou recursos para a conclusão da ferrovia de integração do Oeste-Leste (FIOL) e ainda tem mais 933 Km de estrada de ferro que sai de Sinop no MT ao porto de miritituba no estado do Pará.

Vejam a dinâmica do transporte do agronegócio organizando suas metas de redução de custos, naturalmente o capital e o mercado procuram os melhores caminhos e, os mais curtos - desculpa o trocadilho.

As obras juntas devem levar 4 ou cinco anos, e consumirão possivelmente R$ 13,20 bilhões, dinheiro privado - isso mesmo, investimentos do capital no escoamento da produção o que significa que boa parte deverá migrar para esse novo corredor.

No futebol dizem que quem não faz gol, leva.

As bancadas federais do Acre, Amazonas, rondônia e do Mato Grosso nunca discutiram isso com maturidade e profissionalismo e tão pouco as federações patronais e as grandes empresas ali radicadas colocaram projetos alternativos e concretos para o escoamento como este que vemos aqui, no centro geográfico do país.

Caso não mudem suas estratégias, ou as lideranças, poderemos ver em breve um possível e sensível esvaziamento das riquezas agropecuárias que fluem pela BR 364 e seus modais complementares atuais.

E aqui faço um apelo aos empresários e políticos do sul da Amazônia: pessoal, está passando da hora de privilegiar estudos técnicos sérios que promovam de verdade o desenvolvimento sustentável dos negócios urbanos e rurais dessa região.

Abaixo as vaidades e a miopia, arriba a união e o trabalho pelas famílias da Amazônia.

Façamos juntos, por merecer, antes tarde do que nunca, não é mesmo?

Graça e Paz.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

O agronegócio segue confirmando o quanto é importante para a economia brasileira. No final da década passada (2020) vários artigos de vários jornais

Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família

Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família

Pessoal, caros amigos e amigas, irmãos e irmãos, colegas e caminhantes; gostaria de sua atenção por seis ou sete minutos, é o tempo de ler essa mens

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Outra vez estamos retomando a questão de planejamento do desenvolvimento regional da região geográfica do sul da Amazônia Brasileira, cujos desafios

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), órgão da estrutura do Poder Executivo responsável pelo planejamento, acompanhame