Porto Velho (RO) segunda-feira, 17 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família


Cuide bem do seu tesouro; cuide bem de você e de sua família - Gente de Opinião

Pessoal, caros amigos e amigas, irmãos e irmãos, colegas e caminhantes; gostaria de sua atenção por seis ou sete minutos, é o tempo de ler essa mensagem.

Desejo dividir aqui com vocês que essa semana na igreja nossa senhora de Nazaré, aqui em Porto Velho/RO, tivemos uma programação diferente e muito espiritualizada, foi um cerco de Jericó, estilo uma novena, com a exposição do Santíssimo Sacramento, a missa tradicional, o terço mariano (rosário) e após a celebração da palavra e da eucaristia, pregadores católicos de caminhada foram integrados na programação desenvolvida entre as 19h 30 as 23h.

Me chamou bastante a atenção as homilias dos padres e as falas desses pregadores (são chamados os leigos/as estudantes das escrituras).

Para quem participa de igrejas cristãs, católicas ou não, sabemos que quando os pregadores realmente se preparam com o jejum e a oração corretas, o Espirito Santo manifesta seu poder.

Esses pregadores, cada um de sua maneira, falaram sobre as bases sombrias que as disputas ideológicas, econômicas, sociais, políticas e religiosas estão causando no mundo.

Uma espécie de programação inconsciente de muitas “lideranças” mundiais está colocando, ou tentando colocar todos contra todos. O alvo dessa programação tem sido há pelo menos quarenta ou cinquenta anos, a família humana. Isso é muito sério. Os resultados podem ser catastróficos para os primeiros anos da próxima década. Senão, observe o que vem ocorrendo já nos últimos 7 ou 9 anos.

Observe com mais calma o que leem, o que circula nas mídias. Não se apresse em remeter textos, vídeos, esse ou aquele discurso desses “lideres”, possível que você possa estar colaborando sem saber com a cultura do quanto pior, melhor.

Se você estiver desconectado de uma religião, busque o espírito santo para te orientar. Mergulhe em si mesmo. Medite sobre esses acontecimentos, sobre o mundo posto atual e sobre você e sua casa, seu trabalho, sua escola, sua vida. Consulta a sua consciência e o seu coração. Às vezes está dentro de você muitas respostas. Lembre-se de sua infância. É uma época em que caminhamos juntos com a essência de ser... E muitos de nós nem percebemos as bençãos de todos os maravilhosos dias de estarmos crianças.

É na família que existe o amor verdadeiro, o ensino de tradições, a formação de caráter, amizade, trabalho, valores e do verdadeiro sentimento de humanidade. É no núcleo das famílias que são forjados, para o bem e para o mal, novos seres. E, lógico, quanto mais firme e coesa a unidade familiar, mais luzes (seres melhores) estarão povoando o planeta traduzindo mais felicidade e menos dores.

Agora, por favor, imagina se esses debates travados atualmente (cansativos que trazem a perda do foco de outros assuntos urgentes) vão produzir humanos melhores.

Têm sido debates insignificantes, às vezes absurdos, pretendendo criar e impor novas leis, ou seja, pela forma jurídica, estão construindo e colocando na ordem do dia uma espécie de imposição de minorias a maiorias; são muitos temas já pacificados há séculos nas sociedades humanas e que, pela imposição de “lideres” com suas páginas bem elaboradas do Youtube ou do Facebook ou dos meios tradicionais de comunicação, retornam como que pretendendo repaginar as culturas de todas as aldeias humanas, para que haja uma só forma: unidades de produção e de consumo humano.

Vamos dar uma parada um pouco. Por favor, saia um pouco das suas convicções de escola e universidade, por exemplo. Saia um pouco dessas convicções formatadas de YouTube e Facebook. E mergulha na sua essência. Volta 15, 20, 30 ou 40 anos na sua estória de vida. E veja o que você seria hoje sem as colunas de sua família, sem seus pais, seus avós, seus irmãos, primos ou tios e padrinhos ou madrinhas...

Existem milhares de fazedores de confusão nos ambientes e nas plataformas virtuais na Europa, nos EUA (uma sociedade em frangalhos desde 1980...) e em países orientais também que, de seus palcos virtuais e com seus refletores de luz negra pretendem, maliciosa e disfarçadamente, mudar o mundo ao seu gosto. São pintores desvairados (alguns de valores e conceitos egoístas) que pretendem vender seus quadros diatópicos para incautos no mundo inteiro.

A essa altura do texto você pode dizer: Como assim? Respondo: - Por favor, procure saber as estórias de vida de certos 'ídolos' atuais e também sobre aqueles antigos lideres idealistas que pintavam o colorido do mundo (com suas músicas, poesias, espetáculos de balé, concertos requintados entre outras maravilhosas manifestações de criatividade e arte) das décadas de 30, 40, 50 ou 70 por exemplo e compara com as estórias desses novatos...

Possivelmente você, sendo inteligente, e, dando a si mesmo, a oportunidade de observar e meditar, vai perceber que estão, deliberadamente ou, sem saber, inconscientemente flertando com o mal, com o caos e com a derrocada da família.

Com a quebra dos laços que nos unem ao verdadeiro amor, esse sentimento que é embalado no seio das famílias humanas em nossos primeiros anos de vida, poderemos entrar, todos, numa espiral confusa e maligna que trará mais dúvidas do que certezas, poderá trazer mais dor e sofrimentos do que já conhecemos.

Não há como saber o que realmente vai dar, mais a frente, caso esse esforço dos “ídolos e lideres” novatos venha a ser realidade. Mas, com um pouco de sabedoria, comparando outros momentos na história humana recente, vamos lá, para mil anos atrás, certeza que o cenário não é mesmo de um quadro humanista de Michelangelo.

Há mais ou menos 10 mil anos, segundo os historiadores e arqueólogos, as sociedades conhecidas e registradas estão baseadas nas relações humanas que nascem nas famílias ou das famílias, na sua estrutura de gênero.

Muitas coisas erradas realmente aconteceram nesse longo período de tempo, mas quem disse que não há concerto (?).

Tudo melhora com mais amor, ajuda, compreensão, força e união. É o que temos, desde sempre. Mas se continuar essas divisões, debates sobre o sexo dos anjos, sem respeito com a pessoa, sem mergulhar em si mesmo para descobrir que as vezes estamos indo pra lugares não conhecidos... possivelmente, em muito breve, não teremos mais referência nas famílias, e, pode ser tarde demais.

Ajude nessa reflexão. Não se atrapalhe com o texto longo, invista seu tempo (que é ouro puro) em coisas mais edificantes para sua família e para si mesmo. Muita coisa nos meios atuais de comunicação e nas mídias sociais são na verdade cortinas de fumaça e veneno para as sociedades.

Há, segundo os pregadores dessa semana, e também de acordo com o que eu mesmo tenho lido e estudado desde 2017/18; um plano inconscientemente arquitetado por vários desses “ídolos” e “lideres” (todos de valores duvidosos, estórias de vida mesquinhas, pensamentos egoístas e meramente mercantilistas) para separar as pessoas em meras unidades de produção e consumo. E sendo isso facilitado por nós mesmos, em breve esses falsos líderes, integrantes nebulosos do lado negro da força, vão se mostrar como realmente são.

E, se você ao ler os livros, assistir filmes, ou produções cinematográficas sobre as guerras medievais, e mesmo documentários sobre as guerras ocorridas no século XX, vislumbra atrocidades cometidas, coisas estranhas saídas das sombras mentais deturpadas dos protagonistas dessas guerras, o que virá, sem as famílias e sem o amor, a solidariedade, a empatia e o convívio social respeitoso, serão brutalmente superiores e mortais.

Para mim, essa semana, meditando sobre tudo isso e a respeito dos pregadores e suas teses, ficou a certeza de que precisamos mesmo analisar muito bem todos esses acontecimentos e que possamos divisar nessas cortinas de fumaça, nas intrigas forjadas, nos debates iníquos e tantas formas de engano, procurar dentro de nós mesmos as respostas corretas.

A família humana é semente do próprio Criador de todas as coisas, plantada aqui, nesse Jardim do Éden, nesse planeta único e maravilhoso; nosso trabalho, na verdade, é bem simples: apenas manter o equilíbrio e transformar para melhor a vida dos que vão nascendo, posto que, certamente, somos todos irmãos.

Que essa manutenção e essa transformação possam ser, de verdade, uma cultura de amor e paz, não de guerra, divisão e aniquilação.

Eu rogo a você que conseguiu ler todo o texto aqui, para meditar sobre isso e buscar suas verdades sobre tudo o que lê, vê, ouve e assiste atualmente, de maneira que haja foco real e que todos juntos, mais que nunca, possamos construir laços, pontes, luzes para a próxima geração de humanos.

Sejamos, de verdade, humanos melhores, todos nós.

Graça e Paz.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

Qual o valor do agronegócio para o Brasil?

O agronegócio segue confirmando o quanto é importante para a economia brasileira. No final da década passada (2020) vários artigos de vários jornais

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Por um projeto real de desenvolvimento para o sul da Amazônia

Outra vez estamos retomando a questão de planejamento do desenvolvimento regional da região geográfica do sul da Amazônia Brasileira, cujos desafios

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), órgão da estrutura do Poder Executivo responsável pelo planejamento, acompanhame

Pesquisa industrial anual aponta declínio

Pesquisa industrial anual aponta declínio

A Pesquisa Industrial Anual (PIA) 2019, divulgada no dia 21 de julho pelo IBGE, mostra que, em 2019, o setor mais produtivo da indústria foi o de pe