Porto Velho (RO) terça-feira, 28 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Comissão mista no Congresso que analisa reforma tributária emite relatório


Comissão mista no Congresso que analisa reforma tributária emite relatório - Gente de Opinião

Enquanto os congressistas nacionais não chegam a consenso sobre ajustes na casa de quase 20 Bilhões, ainda a respeito do orçamento de 2021, a votação da proposta enviada pelo poder executivo e os cortes promovidos deixam visíveis falhas na articulação e novas dificuldades entre o Congresso e a equipe do Ministério da Economia.

Nesse clima diferenciado, foi apresentado no dia de hoje, na comissão mista que analisa o tema caríssimo da Reforma Tributária no Congresso o relatório conclusivo pelo deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). O relatório propõe a extinção de cinco impostos: PIS, COFINS, Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto sobre Serviços (ISS).

Nasce assim o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), complementado pelo Imposto Seletivo, sendo que na verdade Aguinaldo procurou unir as propostas que caminham nos corredores e salas de reuniões desde o final do ano de 2019 e 2020.

A união desses tributos já era visualizada pela PEC 45, de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), complementada pela proposta de emenda à Constituição (PEC) vinda da Câmara dos Deputados à PEC 110, que teve origem no Senado Federal; ainda costurada, se podemos usar essa palavra, em parte, à primeira proposta elaborada pelo governo e enviada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, o conhecido projeto de lei PL 3.887.

Parece mesmo que teremos um Frank Stein jurídico para as diversas proposições que deverão aportar a este relatório até o dia 07 próximo, partindo dos membros da referida comissão; o parecer lido hoje pelo relator prevê uma transição do sistema tributário de duas fases totalizando seis anos que contrapõe a inicial de uma transição de 10 anos.

O trabalho final do relator uniu três tributos federais, o IPI, PIS e COFINS, a um estadual, o ICMS, e um municipal, o ISS. Fontes do Distrito Federal confirmam que era Aguinaldo Ribeiro apresentasse uma proposta ampla ao invés da versão fracionada que defendia o Planalto; nas entrevistas de hoje o parlamentar mencionou que adotou o formato apresentado de modo a conjugar esforços de alinhamento com aquela enviada pelo Poder Executivo, na forma do Projeto de Lei nº 3.887, do ano de 2020.

Sobre a proposta do governo federal, importante relatar que ganhou apoio incondicional do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira, nas duas últimas semanas que fatia a reforma, com a criação da Contribuição sobre Bens e Serviços numa primeira etapa.

O relator, na sua análise, no momento da leitura formal do seu relatório, defendeu a reforma ampla e criticou indiretamente o parcelamento das mudanças, deixando o registro entre aspas: ..."Enganam-se aqueles que pensam que remendos fracionados são capazes de soerguer um modelo falido, correndo o risco de em sua empreitada descobrirem que em matéria tributária portas largas levam sempre a caminhos curtos".

 

O processo legislativo para a reforma tributária ainda não acabou, os deputados e senadores da comissão mista deverão enviar sugestões de reforma ao texto apresentado no dia de hoje até esta sexta-feira, por sua vez, Ribeiro irá avaliar e incorporar as propostas ao texto e apresentar o relatório final na semana que vem no dia 11 de maio.

 

Até lá, além de suas orações costumeiras, sugiro que o leitor dessas breves linhas, possa enviar mensagens de apoio ou sugestões para a sua bancada federal; posto que esse tema reflete certamente em nossas vidas por no mínimo mais 20 anos, até chegar uma nova e necessária, outra reforma.

 

Graça e Paz.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

Execução Orçamentária e a Arrecadação em Rondônia

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), órgão da estrutura do Poder Executivo responsável pelo planejamento, acompanhame

Pesquisa industrial anual aponta declínio

Pesquisa industrial anual aponta declínio

A Pesquisa Industrial Anual (PIA) 2019, divulgada no dia 21 de julho pelo IBGE, mostra que, em 2019, o setor mais produtivo da indústria foi o de pe

O lançamento oficial do PROJETO AMACRO

O lançamento oficial do PROJETO AMACRO

Desde o ano de 2018 tenho escrito artigos sobre vários programas e propostas de desenvolvimento sustentável para a Amazônia. O leitor desta coluna

Pesquisa do Instituto Locomotiva do Rio de Janeiro

Pesquisa do Instituto Locomotiva do Rio de Janeiro

Foi divulgado no mês de abril passado uma pesquisa do Instituto Locomotiva, com sede administrativa na cidade do Rio de Janeiro, a respeito dos impa