Porto Velho (RO) sábado, 24 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Turismo

Marta Suplicy: R$ 100 milhões para turismo na Amazônia


A Amazônia é estratégica para o desenvolvimento do Turismo no Brasil, e o Ministério do Turismo pretende concentrar esforços de investimento em infra-estrutura na região.  
Por isso, a ministra Marta Suplicy sugeriu aos parlamentares da Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional que elevem para R$ 100 milhões, em 2008, os investimentos no setor para os nove estados que compõem a Amazônia Legal – Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. "O Turismo é um fator estratégico para a diminuição das diferenças regionais", afirmou.
Marta Suplicy observou que também seria possível elevar os investimentos em turismo na região, por meio de parcerias com outros ministérios. A ministra disse que, a partir de setembro e até o final deste ano, pretende liberar os R$ 26 milhões já previstos pela Comissão para aplicação na região.
Em audiência conjunta das comissões da Amazônia com a de Turismo e Desporto, realizada ontem (22/08), na Câmara dos Deputados, a ministra entregou o detalhamento de investimentos do PAC em infra-estrutura na Amazônia, para análise dos parlamentares.

"Falar do Turismo na Amazônia, para mim, é falar de um dos maiores atrativos que o Brasil possui para fazer o turismo nacional dar um salto de desenvolvimento. Todo brasileiro quer conhecer e também é uma âncora para atrair os turistas estrangeiros", afirmou Marta Suplicy. Ela explicou que a região foi escolhida como um dos destinos do programa Viaja Mais – Melhor Idade, que será lançado para possibilitar a viagem de aposentados e pensionistas nos períodos de baixa ocupação.
O fortalecimento do mercado interno é a principal meta do Plano Nacional de Turismo 2007-2010 – Uma Viagem de Inclusão, e que isso deve ser feito por meio de planejamento, investimento e políticas de proteção e preservação, que garantam a sustentabilidade do setor. "Nossos recursos naturais, em especial a Amazônia, são o nosso ouro, o futuro do turismo", afirmou a ministra, que pediu aos parlamentares para pensarem em ações "estruturantes" para o setor. 
Outro ponto discutido foi a necessidade de mudanças na malha aérea para o desenvolvimento do turismo na região: "vamos defender no Conselho Nacional de Aviação Civil que a Amazônia tenha portões de entrada para os vôos internacionais". A ministra defendeu ainda a criação de linhas que permitam aos brasileiros chegar com mais facilidade à Amazônia, além de pelo menos mais uma linha internacional partindo da região.
Dentre as possibilidades de parcerias com ministérios, Marta Suplicy afirmou que pode trabalhar por mais estradas, saneamento e investimentos em portos fluviais e aeroportos.

Mais Sobre Turismo

Monte Gordo, um paraíso para veraneio,  a 322 quilômetros de Lisboa

Monte Gordo, um paraíso para veraneio, a 322 quilômetros de Lisboa

A cidade de Monte Gordo, a 322 quilômetros de Lisboa, é um dos principais destinos turísticos do Algarve. Tornou-se conhecida pelas praias com tempera

Municípios do novo Mapa do Turismo Brasileiro serão validados até 30 de julho

Municípios do novo Mapa do Turismo Brasileiro serão validados até 30 de julho

Os governos estaduais têm até o próximo dia 30 de julho para validar a atualização do Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021, que vem sendo cadastrada n

MTur reabre inscrições para curso gratuito de atendimento ao turista para todo o Brasil

MTur reabre inscrições para curso gratuito de atendimento ao turista para todo o Brasil

Trabalhadores que já atuam ou pretendem ingressar no setor turístico terão uma nova chance de aprimorar conhecimentos, melhorar o currículo e contribu

Rondônia mostrará ao Brasil suas potencialidades turísticas, até mesmo aquelas desconhecidas da sua própria população

Rondônia mostrará ao Brasil suas potencialidades turísticas, até mesmo aquelas desconhecidas da sua própria população

Rondônia fará o mesmo que os peruanos: mostrará ao Brasil suas potencialidades turísticas, até mesmo aquelas desconhecidas da sua própria população. O