Porto Velho (RO) domingo, 26 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Turismo

Jalapão: a exuberância de um destino pouco desbravado



“Entrei na cabine de um caminhão 4X4 e zarpei. Foram cerca de seis horas de 'expedição' em um terreno arenoso até chegar ao acampamento, no Jalapão, onde passei cinco dias, a partir da capital Palmas. Ali começou uma grande aventura, no lugar mais grandioso que já visitei: chapadões enormes, rios encachoeirados e dunas de cor amarelo ouro que chegam a até 40 metros de altura, um cenário de cinema que nunca vou esquecer.

Para conhecer o Jalapão é preciso muita energia, olhos atentos e o espírito livre para se deixar levar. Se por um lado as chapadas, que recebem o nome de Serras Gerais, têm a vegetação parecida com a das savanas da África, e remetem à secura do lugar; por outro, as inúmeras quedas d’água, como a Cachoeira da Velha, mostram como a natureza desabrocha naquele lugar. Imagine 100 metros de extensão em formato de ferradura e uma queda d'água abundante, depois de uma trilha cansativa. A Cachoeira da Velha é mais do que uma recompensa.

Também adorei mergulhar em um fervedouro. Fervedouros são poços de água azul transparente com uma característica especial: é impossível afundar. Lá ocorre um fenômeno chamado ressurgência, que empurra a água para cima. Isso acontece porque a nascente é um rio subterrâneo. Foi muito divertido.

Em minhas expedições pelo Jalapão vi cobra rastejando entre as folhas, fotografei dezenas de plantas exóticas de cores e formatos incríveis e muitas aves. Fiquei tão deslumbrada com tudo aquilo que torci o pé correndo atrás de araras azuis. Foi trágico e engraçado ao mesmo tempo. Meu tornozelo ficou inchado até o último dia. Mas valeu a pena.

Também visitei o artesanato da comunidade do Mumbuca e pude contemplar a produção local, feita a partir de uma planta típica da região, o Capim Dourado. Adorei as peças de decoração e as bijuterias cuidadosamente produzidas por moradores, um espetáculo à parte.

De noite, depois de caminhar bastante, todos os dias voltava para o acampamento cansada e feliz. O clima de deserto: de dia quente e de noite frio, ajudava a recuperar as energias – e me deixava pronta para o dia seguinte. Na hora de voltar, me despedi saudosa e viajei de volta para Palmas, pela cidadezinha de Ponte Alta do Tocantins, que está a 190 km da capital. Uma experiência que vou guardar para sempre na memória”.

Fonte: Ministério do Turismo
 

Mais Sobre Turismo

Sedam discute propostas para fomentar turismo de pesca esportiva em Rondônia

Sedam discute propostas para fomentar turismo de pesca esportiva em Rondônia

Em benefício do desenvolvimento pesqueiro do Estado, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) se r

Governo de Rondônia promulga Lei de Política de Turismo e define estratégias de implementação do Plano Estadual de Turismo

Governo de Rondônia promulga Lei de Política de Turismo e define estratégias de implementação do Plano Estadual de Turismo

A Lei n° 5.093 que institui a política estadual de turismo em Rondônia, já está em vigor. O texto foi aprovado pelo Poder Legislativo no dia 17 de a

Setur abre 3ª edição do “Famtour” para exploração turística do Polo Vale do Jamari

Setur abre 3ª edição do “Famtour” para exploração turística do Polo Vale do Jamari

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), anuncia a 3ª edição do “Famtour”, um projeto de familiarização turíst

Turismo em Rondônia é destaque na televisão

Turismo em Rondônia é destaque na televisão

O turismo de Rondônia ganha destaque mais uma vez na SIC TV, uma das afiliadas mais antigas da RECORD TV no Brasil. “Rolê Especial Verão” estreia se