Porto Velho (RO) sexta-feira, 25 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Profissionais da saúde são qualificados para a política nacional contra o tabagismo


 
Quarenta servidores da secretaria municipal de saúde (Semusa), participaram da Oficina sobre Política de Controle do Tabagismo realizada quinta (02) e sexta-feira (03) na sala 5, do Rondon Palace Hotel. São médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares da área da saúde que estão sendo capacitados para implementação das políticas nos Prontos Atendimentos da rede de saúde municipal e nos Centros de Atendimento Psicossocial (Caps), coordenados pelo programa de Saúde Mental da Semusa.

No primeiro dia os participantes foram orientados sobre a política de controle ao tabagismo com referência ao programa nacional, também ouviram uma palestra proferida pelo Ministério Público, quanto à proibição do fumo nos ambientes fechados e a visão quanto o tabagismo como problema de saúde pública e dependência química. No último dia o diretor do Caps da Semusa, enfermeiro Ademir Pereira, apresentou aos participantes o método de abordagem às vitimas do tabagismo e o perfil do apoio e tratamento destinado aos fumantes.

Controle do tabagismo

Segundo a coordenadora da Saúde Mental da Semusa, Francisca Neri, a participação dos servidores da secretaria é o primeiro passo para implantação do Programa de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco do Câncer, desenvolvido pelo INCA, e que se utiliza das três instâncias governamentais - federal estadual e municipal, para treinar e apoiar os 5.527 municípios brasileiros no gerenciamento e desenvolvimento de ações do Programa nas áreas da educação, legislação e economia.

O secretário municipal de saúde, Williames Pimentel, enfatizou que a Semusa desenvolve ações pontuais, que são as campanhas de comunicação de massa, como as desenvolvidas durante as datas comemorativas do Dia Mundial Sem Tabaco (31 de maio), Dia Nacional de Combate ao Fumo (29 de agosto) e Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro), e agora se propõe a estabelecer ações contínuas nas unidades de saúde, um trabalho que já está sendo feito nas escolas e ambientes de trabalho, com o objetivo de atingir canais com o público-alvo. “Trabalhar a saúde preventiva é muito mais vantajoso, tanto para garantir a qualidade de vida da população, como para reduzir a quantidade de recursos que os órgãos públicos têm que disponibilizar para atender às unidades de saúde em todo o país” argumentou o secretário.

Fonte: Aurimar Lima

 

Mais Sobre Saúde