Porto Velho (RO) quinta-feira, 12 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Saúde

Porto-Velhense recebe apoio Conexão Azul Rosa na batalha contra o câncer de mama


Porto-Velhense recebe apoio Conexão Azul Rosa na batalha contra o câncer de mama - Gente de Opinião

Paciente do Hospital de Amor Amazônia, Neusa participou de palestra sobre a doença que mais acomete mulheres no país; ela é uma das beneficiadas do projeto social Conexão Azul Rosa, que promove mais bem-estar às mulheres em tratamento contra o câncer de mama, ao levá-las de avião para o tratamento


Neusa dos Santos Nascimento, 42 anos, está lutando contra a doença que mais acomete mulheres no Brasil. Diagnosticada com câncer de mama, ela vem tendo essa batalha amenizada em função do cuidado que está recebendo do projeto social Conexão Azul Rosa. A parceria entre a Azul e o Hospital de Amor, que existe desde 2017, beneficia mulheres diagnosticadas com câncer de mama que precisam viajar para cumprir uma das etapas do tratamento da doença.

 

Nesta quarta, 11, a paciente, que mora em Porto Velho, falou sobre o projeto social em uma palestra para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. Na sede da unidade Amazônia do Hospital de Amor, Neusa destacou a batalha contra o câncer na mama e contou a experiência de voar de avião para uma das fases do tratamento.

 

“Eu tinha o hábito de fazer o autoexame e, depois de sentir um caroço na mama esquerda, procurei um clínico geral da cidade, que indicou a realização de uma mamografia. Fui até à unidade móvel do hospital que atende o município e, em seguida, pediram uma ultrassonografia da mama, que diagnosticou um tumor mamário. Comecei o tratamento e a quimioterapia em Porto Velho, porém a radioterapia foi na unidade de Barretos, em São Paulo”, disse Neusa. “Eu nunca tinha voado de avião e estava tensa, com um ‘frio na barriga’, mas minha filha me tranquilizou e me acompanhou em tudo. Sou muito grata por todo acolhimento, fui muito bem tratada tanto pela equipe da Azul quanto do Hospital de Amor. E isso faz toda diferença nesse momento”, acrescenta.

 

Projeto social e palestra convidam mulheres a se cuidar contra a doença

O encontro no hospital, às vésperas do mês de combate ao câncer de mama, chama a atenção de mulheres que vivem em Porto Velho. Se diagnosticada precocemente, a doença tem até 95% de chances de cura. “O atendimento humanizado e de excelência está no DNA do Hospital de Amor. A Conexão Azul Rosa é de extrema importância porque possibilita o transporte não só das pacientes, mas também de seus acompanhantes”, afirma Henrique Moraes Prata, diretor de responsabilidade social do Hospital de Amor.

 

Em vigor desde 2017, o projeto Conexão Azul Rosa já ajudou mais de 90 mulheres, de diversas regiões do país, na luta contra a doença. Diagnosticadas pelo hospital, as pacientes recebem, gratuitamente, passagens para viajar até o hospital-sede, em Barretos, ou para alguma outra unidade parceira do projeto. Com a parceria, a Azul já destinou cerca de R$ 400 mil em passagens aéreas para o tratamento de mulheres diagnosticadas com câncer de mama. “Sempre foi um objetivo da Azul fortalecer a sua atuação social na campanha do Outubro Rosa e queríamos ir além do papel de informar. Com o Conexão Azul Rosa, usamos o poder da aviação para transportar essas mulheres com conforto e comodidade para os diversos centros de tratamento do Hospital de Amor. E ao oferecermos também o transporte para acompanhantes, tornamos a caminhada das mulheres que batalham contra a doença um pouco mais suave” explica Carolina Constantino, gerente de Comunicação e Responsabilidade Social da companhia aérea.

 

Unidade do Hospital de Amor em Porto Velho

 

Presente em Porto Velho (RO) desde 2012, a unidade Amazônia do Hospital de Amor foi reformulada e iniciou seus trabalhos no novo endereço em 2018, com o objetivo de atender 10 mil pacientes da Região Norte por mês, que deixariam de percorrer três mil quilômetros em busca de atendimentos em Barretos. Segundo a direção do HA, atualmente são atendidas cerca de 800 pacientes por dia e outras 14 mil seguem em tratamento.

 

A unidade conta com quimioterapia, radioterapia, laboratório de pesquisa, banco de tumores, ala de emergência, radiologia com duas salas de raios-X, três aparelhos de ultrassom, ressonância magnética, mamógrafo e aparelho para tomografia. Além disso, o Hospital de Amor Amazônia tem laboratório de análises clínicas com seis salas de coleta e duas salas de exames, ambulatório com 13 consultórios, centro cirúrgico com cinco salas, área de internação geral com 120 leitos, pediatria com 16 leitos, área indígena com 20 leitos e unidade de terapia intensiva (UTI) com 20 leitos. Recentemente foram inauguradas três novas alas: Internação, Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e Centro Cirúrgico, todos tiveram os recursos disponibilizados por empresas privadas do estado.

Mais Sobre Saúde

Último dia de inscrições para contratação emergencial

Último dia de inscrições para contratação emergencial

Esta quarta-feira (4) é o último dia para candidatos interessados na contratação emergencial oferecida pela Prefeitura da capital fazer a inscrição ao

Caso raro de adolescente atendido no Pronto Socorro João Paulo II emociona profissionais de saúde

Caso raro de adolescente atendido no Pronto Socorro João Paulo II emociona profissionais de saúde

João Victor Souza Lenzi, 15 anos, morador do distrito de Jacinópolis, em Nova Mamoré, fazia suas atividades normalmente e, como maioria dos adoles

Pesquisadores descobrem nova espécie de inseto em Rondônia

Pesquisadores descobrem nova espécie de inseto em Rondônia

Em recente estudo, desenvolvido por pesquisadores da Fiocruz Rondônia, em parceria com o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), foi

Mutirão para cirurgias de catarata deve zerar a fila da regulação em Rondônia, prevê o governo estadual

Mutirão para cirurgias de catarata deve zerar a fila da regulação em Rondônia, prevê o governo estadual

Neste fim de semana, a Sol Oftalmologia lotou com homens e mulheres em mutirão de cirurgias de catarata*. Até o final do mês, mais quatrocentas pessoa