Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Saúde

Opinião: O inferno de Dante



O governador Confúcio Moura, que também é escritor, comparou o que viu no Pronto Socorro João Paulo II e no presídio Ênio Pinheiro, em Porto Velho, no feriado do aniversário da instalação do estado, ao inferno de Dante. Constatou pessoalmente, nas visitas feitas pessoalmente, ao lado do vice-governador Airton Gurgacz e assessores, cenas de arrepiar os cabelos. A que ponto chegou Rondônia no tratamento de seus pacientes e presidiários: uma situação de calamidade publica.

Que o governo anterior privilegiou obras nos oito anos, tudo mundo já sabia. Mas já se imaginava que a situação na saúde não era das melhores. Nos presídios, desde as rebeliões de 2000, os rondonienses tinham conhecimento das cenas de horror que ali aconteciam.

Com a proposta inicialmente de melhorar 30 por cento de cada setor – da saúde a educação, do turismo aos esportes – e principalmente levantar os enfermos do chão em 90 dias, os novos governantes aos poucos vão constatando que o buraco é mais embaixo. Mesmo porque, conforme denuncias do Cremero, além da falta de condições para os médios trabalhar, esta faltando também remédios para os pacientes. Um verdadeiro horror.

Até se acreditava que Rondônia não precisaria de um plano emergencial neste inicio de governo, mas o que se vê, aos poucos, é o otimismo da gestão “Uma Nova Rondônia”, ruir, no dia a dia, como um castelo de cartas.

Aos poucos o enigma da administração passada vai sendo desvendado. Não se pode deixar de lado, o lado bom, o legado de uma excelente malha vária e de obras do porte do centro político e administrativo, do teatro estadual, que serão concluídas na gestão que se inicia. Mas o lado tétrico, vai aparecendo, pouco a pouco, obrigando o novo governo a reformular alguns planos iniciais.

É certo que a dupla Cassol/Cahulla deixou os salários em dia, o décimo terceiro quitado, e boa parte dos fornecedores em dia. O preço de uma gestão que privilegiou obras e a saúde bovina a dos seres humanos, é este, que estamos vendo: a saúde em coma, a segurança em colapso, a educação gritando, o setor de turismo relegado e por aí afora. E quem vai pagar o pato é a nova equipe, de governo, que temos certeza, terão progressos mais adiante, mas dificilmente nos prazos estipulados inicialmente.   

 Gente de Opinião

Fonte: Carlos Sperança - csperanca@enter-net.com.br
Gentedeopinião   /  AMAZÔNIAS   /  RondôniaINCA   /   OpiniaoTV / Eventos
 Energia & Meio Ambiente   /   YouTube  / Turismo   /  Imagens da História

 

Mais Sobre Saúde

Rondônia - Por determinação do Ministério Público e Tribunal de Contas, Sesau implanta folha de ponto eletrônica

Rondônia - Por determinação do Ministério Público e Tribunal de Contas, Sesau implanta folha de ponto eletrônica

A instalação de folha de ponto eletrônica em unidades de saúde da rede pública estadual é adotada pelo governo de Rondônia em cumprimento à determinaç

Sílvia cobra ação mais efetiva do Ministério da Saúde na prevenção contra o cânce

Sílvia cobra ação mais efetiva do Ministério da Saúde na prevenção contra o cânce

A deputada federal Silvia Cristina (PDT-RO) cobrou do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o início imediato de operação para acelerar o proje

Presidente Laerte Gomes sugere menos burocracia para tratar impasses no convênio entre Sesau e Hospital do Amor

Presidente Laerte Gomes sugere menos burocracia para tratar impasses no convênio entre Sesau e Hospital do Amor

Uma reunião para tratar de impasses quanto ao convênio entre o Governo de Rondônia e a Fundação Pio XII – Hospital de Câncer de Barretos foi realiza

Justiça de Rondônia libera o cultivo de Cannabis para casal tratar da filha com autismo e epilepsia, em Ji-Paraná

Justiça de Rondônia libera o cultivo de Cannabis para casal tratar da filha com autismo e epilepsia, em Ji-Paraná

Os pais de uma criança com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista Infantil (CID 10 F84.0), com crises graves de epilepsia, obtiveram, mediante