Porto Velho (RO) domingo, 20 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

HB realiza mais de 200 cateterismos em apenas dois meses


 

O Centro de Cateterismo e Tratamento Endovascular (CCATE) do Hospital de Base Ary Pinheiro (HB) ultrapassou nesta semana os duzentos exames e procedimentos cardíacos realizados desde que foi inaugurado no último mês de junho. O centro atende em um setor específico do hospital e conta com equipamentos e profissionais especializados para o diagnóstico de problemas cardiológicos e neurológicos.

Anteriormente os pacientes ali atendidos eram deslocados para outros centros, encaminhados pelo Programa de Tratamento fora de Domicílio (TFD) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). O serviço é parte das ações implantadas pelo governo de Rondônia para a especialização e a qualificação dos atendimentos em Saúde. Desde o ano passado o HB também realiza os implantes de marcapasso.
 
“Rondônia está passando por uma evolução em todas as áreas da medicina e o trabalho do poder público é apoiar efetivamente essa melhoria. A cardiologia é um exemplo desse desenvolvimento, pois qualificamos profissionais e ampliamos e criamos novos atendimentos. O centro de hemodinâmica do HB desenvolve um trabalho responsável e voltado para o benefício da população. Esse é o principal objetivo da administração Ivo Cassol”, explicou Milton Moreira, secretário de Estado da Saúde.

Para o médico cardiologista Daniel Mugrabi, da equipe do CCATE, o centro de cateterismo “representa um avanço gigantesco no atendimento cardiovascular em Rondônia”. Segundo ele, os duzentos procedimentos diagnósticos e terapêuticos realizados nestes dois meses representam em torno de 85% problemas cardíacos (cateterismo) e o restante são procedimentos neurológicos (angiografias), com exames dos membros superiores e inferiores, e cerebrais.

Economia de 800 passagens aéreas - Com o funcionamento do setor de cateterismo, o Estado de Rondônia economiza os recursos que antes eram destinados ao deslocamento dos pacientes e de seus acompanhantes. Os 200 pacientes atendidos representam 800 passagens aéreas que seriam disponibilizadas através do TFD. Além disso, o TFD ainda supria as passagens dos pacientes para as futuras consultas de acompanhamento. Com o novo serviço, todos esses procedimentos são realizados no HB, em Porto Velho.

O centro de cateterismo conta com uma equipe de três cardiologistas e dois neurologistas, além de técnicos e auxiliares, que atende a pacientes encaminhados por médicos de todo o Estado. O setor realiza quatro cateterismos e duas angiografias por dia e está atendendo satisfatoriamente a demanda porque o agendamento dos exames não ultrapassa três dias. “Os pacientes têm esperado, em média, três dias para o atendimento. É um tempo relativamente curto”, observa o diretor do HB, Amado Rahhal, afirmando que o centro de cateterismo vai dar um salto para se iniciar procedimentos terapêuticos de rotina no atendimento cardiovascular.

Ele também lembra que a administração estadual é pioneira no setor e que o trabalho vai dar o suporte para outros tipos de cirurgias cardíacas que serão realizadas no HB. “Estamos concluindo a compra de equipamentos e as adaptações de uma sala no centro cirúrgico do HB para a realização de cirurgias cardíacas já nos próximos sessenta dias”, destaca Amado Rahhal.

Cardiologista explica
como são feitos os exames

O cateterismo cardíaco é um método diagnóstico invasivo pelo qual se avalia a presença ou não de entupimentos nas artérias (veias). Para realizá-lo é necessária a introdução de um cateter em um vaso sanguíneo para se chegar ao coração. O cardiologista Daniel Mugrabi explica que o exame de cateterismo é fundamental para o diagnóstico de problemas cardíacos, que através dos cateteres, possibilitam a análise através do contraste radiológico.

“O exame normalmente não é doloroso. O que se sente é a picada da agulha na pele para anestesia local. O serviço ainda permite o tratamento de isquemias coronárias por meio da desobstrução mecânica (angioplastia) da veia. A hemodinâmica também realiza a introdução de aparatos tubulares conhecidos como Stend, que mantém o vaso sanguíneo aberto, impedindo o entupimento”, detalhou o cardiologista.

Acompanhamento do paciente - Assim que chega ao setor de hemodinâmica do HB, a pessoa é acolhida pelo corpo de enfermagem que irá orientá-la em todos os seus passos, antes, durante e após o exame. Ela apresenta os exames já realizados e os medicamentos em uso no momento. Após colocação de vestimenta apropriada, é necessário puncionar uma veia do braço para a administração das medicações de rotina. Em seguida, é só aguardar, sentado ou deitado no leito específico, o momento da realização do exame.

Agricultor elogia
facilidade no atendimento


O agricultor Deusdete Sena Jatobá, de 49 anos, residente em Machadinho do Oeste, cerca de 300 quilômetros da Capital, conta que se sentiu mal, com falta de ar, e que buscou atendimento na cidade de Ariquemes. Posteriormente foi encaminhado para Porto Velho, quando soube que precisava fazer o exame de cateterismo. “No ano passado comecei a sentir o corpo fraco e muita dificuldade para respirar. Sempre trabalhei no pesado e nunca percebi nada”.

Jatobá diz que marcou o exame e nem precisou voltar para Machadinho. Chegou ao hospital às 7 horas, começou o exame às 8h30 e uma hora depois já estava retornando ao leito. “Estou satisfeito em poder fazer o exame aqui mesmo na Capital e poder aguardar o resultado antes de voltar pra casa. Isso evita muitos transtornos pra gente, pois se o exame não fosse realizado aqui, eu teria que ser enviado para fora do Estado e teria muito mais despesas”, afirmou o agricultor.

 

Mais de R$ 4,5 milhões para
implantação de novas cirurgias do coração

Seguindo a política de evolução do setor estadual de Saúde, o governo de Rondônia vai ampliar os atendimentos oferecidos no centro de hemodinâmica do Hospital de Base Ary Pinheiro (HB). Com um investimento de mais de R$ 4,5 milhões a meta é oferecer outros tipos de cirurgias do coração. O setor contará com equipamentos específicos para cirurgias e tratamento cardíaco. A expectativa é de que nos próximos 60 dias a estrutura para o atendimento esteja pronta.

“O processo de instalação dos novos atendimentos está adiantado. Já recebemos diversos equipamentos e outros estão para chegar. O serviço pioneiro em Rondônia oferecerá, no centro cirúrgico do HB, uma sala com equipamentos específicos para a cardiologia. O trabalho será realizado por especialistas. A capacidade do centro de cirurgias do coração será, em média, de 12 pacientes por mês”, explicou Milton Moreira, secretário de Estado da Saúde.

O investimento, com recursos próprios, de mais de R$ 4,5 milhões abrange todo o mobiliário, material de consumo, instrumentais cirúrgicos e equipamentos. O centro contará com 05 monitores de multiparamétricos, 02 desfibriladores, balão intra-aórtico, Mapa, Router, eletrocardiograma e teste ergonômetro. O setor atenderá com 04 leitos de UTI e 04 leitos de clínica cirúrgica.

O primeiro a ser instalado em Rondônia - “O Estado comprou ainda uma máquina de circulação extracorpórea. O equipamento é essência para a realização das cirurgias cardíacas é o primeiro a ser instalado em Rondônia. Os serviços serão realizados por 03 cirurgiões cardíacos, 01 anestesista, 01 perfusionista, 05 enfermeiros e 15 auxiliares de enfermagem. O centro também realizará a revisão semestral dos 15 pacientes portadores de marca-passo, que receberam o aparelho aqui no HB”, detalhou Amado Rahhal, diretor geral do Hospital de Base.

Fonte: Decom

Mais Sobre Saúde

SENAI garante manutenção de respiradores da rede pública do Estado

SENAI garante manutenção de respiradores da rede pública do Estado

A rede pública de Rondônia recebeu essa semana, seis respiradores pulmonares que passaram por manutenção do Serviço Nacional de Aprendizagem Industr