Porto Velho (RO) segunda-feira, 28 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Fonoaudiologia da São Lucas orienta sobre implante coclear


A Organização Mundial da Saúde estima que 10% da população do planeta sofrem de deficiência auditiva. Só no Brasil, são 15 milhões de pessoas convivendo com o problema. Desses, 350 mil têm deficiência auditiva severa. Muitas destas pessoas não conseguem se beneficiar do uso de aparelhos auditivos ou de intervenções cirúrgicas no ouvido médio. Nesses casos, uma boa alternativa é o implante coclear, também conhecido como “ouvido biônico”. Trata-se de um aparelho eletrônico inserido cirurgicamente na orelha interna, capaz de realizar as funções das células ciliadas lesadas ou ausentes da cóclea, através do estímulo elétrico das fibras remanescentes no nervo auditivo. A idade ideal é de 1 ano a 1 ano e 6 meses. “Essa criança operada, com o acompanhamento correto, provavelmente vai ter uma vida normal”, avalia o doutor Orozimbo Costa, que realiza cirurgia de implantes cocleares há mais de 10 anos no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP, em Bauru (interior de São Paulo).

Para a realização de um implante coclear são necessárias equipe multidisciplinar, composta de médicos e equipe multiprofissional de apoio. A presença do fonoaudiólogo é indispensável. Contribuem (e muito) para o sucesso da cirurgia. Atualmente é delegado aos fonoaudiólogos fazerem a ativação do equipamento após a cirurgia e o mapeamento dos eletrodos. Participam, também, dentro de seu campo específico, da reabilitação. Além desse trabalho, fonoaudiólogos também participam da avaliação de candidatos ao implante. Antes de o médico indicar a cirurgia, é realizado um diagnóstico preciso dos problemas de audição, com exame otorrinolaringológico completo e testes auditivos. Após essa etapa, todos os candidatos são testados em relação ao uso de aparelhos convencionais e somente aqueles que não se beneficiam do seu uso serão, de fato, candidatos ao implante.

Em Porto Velho, a Clínica de Fonoaudiologia da Faculdade São Lucas dispõe de todos os exames necessários para realizar diagnóstico de perda auditiva. “Todas as pessoas que têm dificuldade na compreensão da fala podem procurar a Clínica de Fonoaudiologia da São Lucas para avaliar seu potencial auditivo, a fim de prevenir a evolução de perdas auditivas e garantir tratamento precoce, conservando a saúde auditiva”, orientou a professora Elizangela Carelli Hermes, coordenadora da Clínica de Fonoaudiologia.

Fonte: Chagas Pereira

Mais Sobre Saúde