Porto Velho (RO) sábado, 19 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

Raupp adverte: nova chacina de garimpeiros pode ocorrer em Rondônia


O líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp(RO), alertou em Plenário  que “uma nova chacina de garimpeiros  envolvidos  na exploração de diamantes  no garimpo de Laje, localizado na Reserva  Roosevelt, em terras dos índios cinta-largas, em Rondônia, poderá ocorrer, caso as autoridades governamentais não  regulamentem a exploração naquela região.’

O senador destacou que a situação é “crítica, potencialmente explosiva e pode redundar em uma nova chacina como a que ocorreu em 2004, quando 29 garimpeiros  foram mortos, obtendo ampla repercussão na imprensa do país e do mundo”.

Citando uma reportagem da revista Época, ele mencionou que o garimpo que deveria ser interditado estar sendo amplamente explorado com a abertura de uma cratera de 10 km no local, o que vem atraindo “garimpeiros, contrabandistas, atravessadores, aventureiros e malfeitores”.  O senador Raupp lembrou que  a maior jazida de diamantes do Brasil e uma das maiores do mundo está localizada da reserva Roosel.

Disse que ou o Governo Federal age de forma rápida ou “vamos ter um novo banho de sangue na região devido ao avanço na exploração ilegal dos diamantes”. Destacou o senador que quando ocorreu a chacina em 2004 existiam cinco mil garimpeiros na área,  indagando em seguida “se vamos ter que esperar que a situação chegue  a isso de novo para tomar uma atitude”. Ele propôs a criação de uma empresa estatal para negociar os diamantes extraídos no garimpo, o que acabaria com o contrabando.

O senador Raupp ao final apelou à mesa diretora do Senado que encaminhe ofício aos ministérios da Justiça, do Meio Ambiente e de Minas e Energia, solicitando urgentes medidas no que se referem à regulamentação da exploração de diamantes naquela reserva indígena.

Rodovias federais: apelo ao DNIT
Antes do pronunciamento sobre o garimpo de Lage, o líder do PMDB, Valdir Raupp, fez um apelo ao Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre(DNIT) para que  agilize a recuperação das principais rodovias  federais danificadas com as  chuvas que caíram  no estado de Rondônia nos últimos meses.

Segundo ele, a  situação crítica é a da BR-364 por onde trafegam cerca de 400 carretas por dia transportando  soja do sul do Mato Grosso para o Porto Velho. “Crateras abertas em toda extensão da rodovia danificam veículos e causam prejuízos aos seus proprietários, além de provocar acidentes com o registro, inclusive de mortes. A situação também é caótica nas demais rodovias que cortam o estado, exemplo das BRs 174, 421, 425 e 429”, informou o senador.

Fonte: José Ribamar

Mais Sobre Política

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Após a vereadora Cristiane Lopes (PP) ir até o Ministério Público Estadual (MP/RO), para relatar os problemas das obras de pavimentação dos bairros Fl

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

A volta do protagonismo brasileiro na produção de cacau depende de mais investimentos em pesquisa e de ações como o fortalecimento da Comissão Executi