Porto Velho (RO) segunda-feira, 17 de junho de 2019
×
Gente de Opinião

Política

OAB aciona STF contra substituição tributária para micro e pequena empresa


*Proposta de Reforma Tributária*

É sentimento unânime que o Brasil precisa urgentemente de um sistema tributário mais simples, transparente e neutro, que possa estimular o crescimento econômico, fomentar o consumo e, assim, gerar empregos, melhorando assim o ambiente de negócio no país. Dentre as muitas proposições que estão em estudo no país, destacamos a de autoria do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF), que conta com o apoio de diversos economistas e especialistas tributários. “Estamos propondo a substituição de 5 tributos (PIS, COFINS, IPI, ISS e ICMS) por um único imposto, que irá tributar o consumo pelo valor agregado (IVA), método esse que foi adotado por diversos países desenvolvidos em todo o mundo”, afirma Eurico de Santi, um dos diretores do CCiF que, basicamente, é constituído por professores da Fundação Getúlio Vargas (FGV). “Trata-se do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), de incidência não cumulativa e que terá uma alíquota única de 25% para todos os setores da economia, cuja receita passará a ser dividida entre União, estados e municípios”, explica ele, complementando que a proposta também prevê uma forma de transição progressiva, para a substituição do atual modelo pelo o que está sendo apresentado. “As empresas terão 10 anos para migrar para as regras do novo tributo, enquanto que a distribuição de receita entre os entes federados será gradativamente implantada, num prazo de 50 anos”, diz ele.

O professor esclarece que esse modelo de arrecadação irá eliminar uma série de distorções fiscais, que prejudicam a produtividade e o potencial de crescimento do país; vai desonerar as exportações; diminuirá o litígio sobre matérias tributárias, inclusive a guerra fiscal entre estados; e não irá afetar a atual carga tributária, o que permite mitigar muitas das resistências que, há anos, vêm barrando a aprovação de uma reforma dessa natureza no Congresso Nacional. “Ela melhora a qualidade de nosso sistema tributário, promovendo uma simplificação que levará a uma redução do custo de apuração e pagamento de impostos pelas empresas, beneficiando inclusive as micro e pequenas, que poderão optar por permanecerem no SIMPLES Nacional ou migrar para esse novo regime, ou seja, terão liberdade de escolher aquele que julgarem mais vantajoso e conveniente”, conclui de Santi.
 

*IBGE: 12,7 milhões de desempregados*

 Segundo Marcos Tavares Leite, um dos especialistas jurídicos do SIMPI, ainda não conseguimos sair da grave crise econômica que se instaurou no Brasil, o que explica parte dessa taxa de desemprego ainda ser tão elevada: a taxa de desocupação está em 12,1%, o que representa 12,7 milhões de brasileiros desempregados, de acordo com os mais recentes dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  “A crise prolongada faz o país ver o consumo de bens e serviços diminuir consideravelmente, obrigando as empresas a optarem pelo desligamento de empregados como uma forma de diminuir despesas e se manterem vivas no mercado”, explica ele, ponderando que é preciso de medidas urgentes para estimular o crescimento econômico. “Para se criar emprego e renda, é preciso investimentos em infraestrutura, acesso a crédito e, principalmente, melhorar o ambiente de negócios no país”, diz ele.

Outro dado importante desse mesmo levantamento do IBGE é a constatação de que 4,818 milhões de pessoas estão em situação de desalento, o maior nível de toda a série histórica, iniciada em 2012. “Mais um reflexo da cruel crise econômica instalada é o desalentado, ou seja, aquele cidadão que está em idade ativa e em condições de trabalhar, mas que desistiu de procurar emprego”, esclarece o advogado.  


*OAB aciona STF contra substituição tributária para micro e pequena empresa*

 O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) contra o regime de substituição tributária para micro e pequenas empresas. A entidade ajuizou a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº 630 para defender que a sistemática de recolhimento do ICMS é incompatível com o tratamento tributário diferenciado e favorecido conferido a optantes do Simples Nacional. Aplicado o sistema tributário, faz centrar o recolhimento do ICMS em uma só etapa da cadeia produtiva, fazendo com que a primeira empresa da cadeia fique responsável por recolher o imposto em nome das demais.

Na ação foi pedido  ao Supremo que declare a inconstitucionalidade de um trecho da lei complementar nº 123/2006, que instituiu o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, onde estabelece que as empresas optantes do Simples devem recolher o ICMS por substituição tributária, respeitando as diferentes alíquotas estabelecidas nos estados. Na petição inicial, a OAB acrescentou que a aplicação do regime ao Simples fere o princípio da isonomia, porque institui uma obrigação tributária severa e complexa demais para as micro e pequenas empresas. Em vez de tratamento jurídico diferenciado e favorecido, continua-se a criar dificuldades administrativas e financeiras para as empresas de pequeno porte. “A complexidade do regime de substituição tributária do ICMS para os optantes do Simples Nacional, por si só, já é uma afronta à Constituição Federal” informa Breno de Paula, presidente da Comissão de Direito Tributário da OAB.
 

É possivel vender mais em tempos difíceis ?

 Você tem um salão de beleza, faz artesanato, vende roupas ou presta  serviço? Então você sabe que o “boca a boca” continua sendo uma excelente maneira de divulgar um serviço. Um bom atendimento e produtos de qualidade são motivos suficientes para que seus consumidores se tornem seus “vendedores” legítimos. As redes sociais surgem, portanto, como uma ferramenta para expandir o alcance desses clientes fiéis, promovendo seu negócio e alavancando os resultados. A vantagem no caso do MEI é a possibilidade de se conseguir a custos  muito baixos uma boa propaganda  para sua empresa e seus produtos. Veja as dicas para a utilização  das mídias sociais se você é microempreendedor individual, profissional autônomo ou prestador de serviç:

 
- Construa relacionamentos

- Defina a comunicação de acordo com seu público-alvo

- Responda todos os comentários com educação e cortesia

 - Escolha uma boa logomarca

- Não se descuide do português
 
- Planeje o material que deseja divulgar, de dicas simples a vídeos de passo a passo, tudo o que puder agregar valor.

A gestão de mídias sociais é um meio simples e barato de promover o seu trabalho.  O Simpi tem a disposição um programa de inclusão as mídias sociais e pronto para  colocar o que você  quiser e na hora que quiser. Com o nome  “Com a Cara na Net” o sistema trás  ferramentas de fácil manuseio em que você  que faz as modificações e  posta seus produtos e serviços. Veja mais completo em : https://youtu.be/w_3J6b5_gIM

Mais Sobre Política

Projeto de Follador cria parlamento que vai eleger 24 deputados mirins

Projeto de Follador cria parlamento que vai eleger 24 deputados mirins

Atendendo ao projeto de resolução apresentado pelo deputado Adelino Follador (DEM), a Assembleia Legislativa de Rondônia aprovou esta semana a criaç

Coronel Chrisóstomo solicita médicos peritos para Rondônia

Coronel Chrisóstomo solicita médicos peritos para Rondônia

O deputado federal Coronel Chrisótomo (PSL-RO), reuniu-se nesta quinta-feira (13) com o Secretário de Previdência, Leonardo Rolim, para discutir sob

Em momento histórico, presidente da Assembleia empossa 14 aprovados no 1º concurso público após a Constituição de 1988

Em momento histórico, presidente da Assembleia empossa 14 aprovados no 1º concurso público após a Constituição de 1988

Na manhã desta quarta-feira (12), o auditório da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE/RO) foi palco de um momento histórico para o parlamento ron

 Bancários de Rondônia vão parar na Greve Geral do dia 14

Bancários de Rondônia vão parar na Greve Geral do dia 14

Os bancários de Rondônia decidiram, por unanimidade, em assembleia geral realizada na tarde de ontem, segunda-feira 10/6, na sede do SEEB-RO, em Por