Porto Velho (RO) sábado, 16 de janeiro de 2021
×
Gente de Opinião

Política

ÍNDIAS SE ORGANIZAM EM ASSEMBLÉIA


A Federação Rondoniense de Mulheres — FEROM e a Organização das Mulheres Indígenas do Estado de Rondônia, Noroeste do Mato Grosso e Sul do Amazonas — OMIR em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Governo Federal estão promovendo nos dias 19 a 21 de abril na Sede Social do Sintero, o I Seminário e II Assembléia das Mulheres Indígenas do Estado de Rondônia, Noroeste do Mato Grosso e Sul do Amazonas. 

A região onde atuará a OMIR é claramente uma região repleta de problemas sociais, de discriminação e de violência. E é nessa realidade que residem as mulheres indígenas de diversas etnias.

Somente para exemplificar encontramos no Estado do Mato Groso 759 mulheres indígenas que residem em municípios urbanos e 49,52% homens e 50,48% mulheres em Rondônia 528 mulheres indígenas estão nos municípios urbanos e 1.351 nos municípios rurais, representando 51,95% de homens e 48,05% de mulheres. O povo indígena no geral e as mulheres, em particular, sofrem todas as formas de discriminação e violência. 

A violência pela qual passam as mulheres indígenas vai da agressão física, ao estupro e morte até a presença de ONGs – como o Instituto  Corell - intituladas defensoras dos povos indígenas que chegam a colher (sem autorização) sangue ou pele para se apropriar de material genético. Este fato foi denunciado pelas mulheres Karitianas que exigiu que o governo brasileiro – à época – acionasse a Interpol para devolver o material roubado; sem falar no roubo do material.

Além da violência física as mulheres ainda sofrem pela violência institucional através da falta de apoio ao empreendedorismo, falta de projetos educacionais, de saúde; entre outros.

De tempos para cá a paciência, atenção e sabedoria da mulher índia passou a ser essencial na defesa dos direitos indígenas, junto ao governo e a sociedade de um modo geral, elevando o papel e importância dessa mulher, o que fez ela participar mais ativamente dos diversos eventos sobre a questão dos povos indígenas.

Agora a mulher indígena acrescenta a seus afazeres, a sua auto organização social e política, numa ação trans-limite da aldeia e da própria etnia, junto com outras mulheres líderes, formando um feixe de argumentos e posições, difícil de ser envergado por interesses pequenos de outras sociedades que não respeitam o direito do povo e das mulheres indígenas.

Para tanto se faz necessário que as mulheres indígenas se organizem numa entidade que a FEROM — uma entidade civil, com sede em Porto Velho (RO), que tem por finalidade coordenar, unificar e orientar ações e mobilizações das mulheres na defesa e exercício de seus direitos — dá suporte e incentiva à formação da associação de mulheres indígenas propiciando esse projeto, alem de ter capacitado quanto à organização de associações, ministrando cursos de organização social, e em especial às mulheres indígenas que buscam  no associativismo o instrumento para intensificar a melhoria e na formulação de políticas voltadas para o povo indígena, prevista na política de governo e em consonância com o Estatuto do índio.

A entidade atua nesse evento em parceria com a FUNASA, INCRA, Ministério Público Estadual, Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, FUNAI, Delegacia da Mulher, Conselho Missionário Indígena, SEDAM e Unir. 
 
                         
I Seminário e II Assembléia das Mulheres Indígenas de
Rondônia, Noroeste de Mato Grosso e Sul do Amazonas.
 
P r o g r a m a ç ã o

19 de Abril de 2007

MANHÃ
7:30h  - Credenciamento
 
8:30h  -  Abertura com  Autoridades
 
9:30h -  Palestra -  "Em Defesa dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas"
Representante da FUNAI - Brasília
10:15h –Debate
 
10:45h - Mesa Redonda – "Instituições Públicas e suas Inserções nas Políticas Indigenistas"
 - FUNASA - FUNAI - SEDAM - INCRA – UNIR
11:45h – Debate
 
12:00h – Almoço
 
14h – Palestra – "O Plano Nacional de Políticas Públicas para Mulheres e as Ações Implementadas na área Indígena".
Representante da SPMULHERES - Governo Federal
15h  - Debate
 
15:30h - Mesa Redonda – "Relato das Mulheres Indígenas de Rondônia, Noroeste do Mato Grosso e Sul do Amazonas".
Representantes de mulheres por etnia.
 
17:30h - Encerramento
 
19h - Noite Cultural
 
20 de Abril de 2007
 
8h - Exposição sobre os Temas
*Gênero e Educação
*Violência contra as Mulheres
* Movimentos Sociais Indígenas
*Saúde Indígena
 
12h – Almoço
 
14h - Abertura da II Assembléia de Mulheres Indígenas de Rondônia, Noroeste do Mato Grosso e Sul do Amazonas.
14:15h - Leitura e discussão do Regimento da Organização de Mulheres Indígenas.
 
15h - Divisão em Grupos de Trabalhos
17h - Encerramento
 
21 de Abril de 2007

8h - Apresentação dos Trabalhos de Grupos
 
11h - Sistematização das Propostas e Aprovação do Estatuto.
 
12h – Almoço
 
14h - Ato Cultural "Todo dia é dia de Índia"
 
16h - Encerramento e deslocamento para as comunidades 

Fonte: Myrella França

Mais Sobre Política

Sancionada lei do deputado Alex Silva que inclui o evento “Marcha para Jesus” no calendário cultural oficial do estado de Rondônia

Sancionada lei do deputado Alex Silva que inclui o evento “Marcha para Jesus” no calendário cultural oficial do estado de Rondônia

Na última terça-feira (12) foi sancionada pelo Governo de Rondônia e publicada no Diário Oficial, a Lei Nº 4.939, de autoria do Deputado Estadual Al

Cirone Deiró defende plano emergencial para o enfrentamento da Covid-19

Cirone Deiró defende plano emergencial para o enfrentamento da Covid-19

Em reunião com o secretário de saúde do estado, Fernando Máximo e o chefe da casa civil, Júnior Gonçalves, o deputado Cirone Deiró cobrou a execução d

De autoria do deputado Ezequiel Neiva, Projeto CNH Social é a promulgado pela Assembleia Legislativa

De autoria do deputado Ezequiel Neiva, Projeto CNH Social é a promulgado pela Assembleia Legislativa

Deputado Ezequiel Neiva (PTB) é o autor do projeto de emissão e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) gratuita a pessoas com baixa renda

Deputada Mariana Carvalho destaca expectativa na análise das vacinas pela Anvisa

Deputada Mariana Carvalho destaca expectativa na análise das vacinas pela Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reúne no domingo (17) para definir sobre a autorização emergencial para as vacinas do Butantan