Porto Velho (RO) domingo, 11 de abril de 2021
×
Gente de Opinião

Política

IBAMA realiza audiência pública de Abunã


O Ibama e o Consórcio Furnas-Odebrecht realizaram hoje, em Abunã, a terceira audiência pública para discutir os efeitos, na região, das duas usinas hidrelétricas que serão construídas no Rio Madeira.

A reunião começou pontualmente às 9h, como estava programado, com ampla participação da comunidade local. Mais de quinhentas pessoas compareceram e questionaram os empreendedores e as autoridades, dando-lhes a oportunidade de, novamente, apresentar as medidas projetadas para atenuar os impactos negativos e potencializar os positivos da obra.

Como nas audiências anteriores, em Jaci-Paraná e Porto Velho, as preocupações principais da comunidade giraram em torno dos sedimentos, da preservação dos peixes, da prioridade à população local nas contratações de trabalhadores e das indenizações às famílias atingidas pela inundação decorrente do represamento do rio. Uma das primeiras perguntas foi sobre os efeitos do empreendimento em território da Bolívia.

A empresa de engenharia responsável pelo projeto demonstrou que é completamente impossível que o lago do aproveitamento de Jirau se estenda até o país vizinho. Esclareceu, inclusive, que essa foi uma premissa definida pelos empreendedores para a concepção do projeto. Ficou também provado que as praias do rio Abunã não serão atingidas, o que vai garantir à população local e da região acesso aos balneários no período da seca, como acontece hoje. "Fico satisfeito que a comunidade tenha tido acesso às informações verdadeiras, pois o empreendimento está completamente restrito ao território brasileiro, o que provamos hoje sem sombra de dúvida", afirmou o engenheiro responsável pelo projeto, José Eduardo Moreira, da PCE Engenharia. Sobre o tema da geração de empregos, o diretor ambiental da Odebrecht, Sérgio Leão, afirmou que "a capacitação da mão-de-obra local começará imediatamente após a definição do consórcio vencedor no leilão que acontecerá após a emissão da licença ambiental prévia. Sobre a ictiofauna, a superintendente de gestão ambiental de Furnas, Norma Vilella, informou que "serão construídos mecanismos para permitir a passagem dos peixes que já sobem hoje as cachoeiras de Santo Antônio, Teotônio e Jirau".

Os representantes dos empreendedores esclareceram também que não haverá qualquer efeito negativo sobre o uso da água, pois o projeto foi concebido para garantir os seus usos múltiplos, não havendo qualquer possibilidade de escassez de água. "Infelizmente,  membros de algumas Organizações Não Governamentais, representadas na audiência inclusive por lideranças estrangeiras, e de alguns movimentos sociais contrários ao projeto retiraram-se no meio da audiência pública depois de ter registrado em vídeo apenas os discursos que lhes interessavam, com ataques ao projeto", protestou Samuel Pessoa da Silva, coordenador de políticas públicas para a juventude da Prefeitura de Porto Velho. Para Silva, é preciso entender que o debate sobre a  construção das usinas passa por uma questão política. "Brecar a construção das usinas é ir contra o projeto de desenvolvimento que foi reafirmado na reeleição do presidente Lula", disse Silva.

Fonte: José Caroos Sá

Mais Sobre Política

Deputado Laerte Gomes volta a criticar cartel de laticínios em Rondônia e defender produtores de leite

Deputado Laerte Gomes volta a criticar cartel de laticínios em Rondônia e defender produtores de leite

O deputado estadual Laerte Gomes (PSDB) voltou a criticar o cartel dos laticínios em Rondônia e declarar apoio aos produtores do estado que, segundo

Governança Digital agora é lei; Deputada Mariana Carvalho é uma das autoras

Governança Digital agora é lei; Deputada Mariana Carvalho é uma das autoras

Foi sancionada na última semana a Lei 14.129, que cria o Governo Digital, também chamado de GovTech. A norma é originária de propostas da Frente Dig

Assembleia Legislativa de Rondônia apresenta propostas para contratação de médicos formados no exterior

Assembleia Legislativa de Rondônia apresenta propostas para contratação de médicos formados no exterior

A Assembleia Legislativa decidiu pelo encaminhamento de três propostas para que médicos brasileiros formados no exterior possam ser contratados pelo