Porto Velho (RO) quarta-feira, 21 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Waldir Pires considera inadequadas declarações de proprietários do Legacy


Agência O GloboRIO,BRASÍLIA, CAMPO GRANDE e VITÓRIA - O ministro da Defesa, Waldir Pires, considerou "absolutamente inadequadas" as declarações da empresa Excel Air, proprietária do jato Legacy que colidiu com o Boeing da Gol, culpando os controladores de vôo pelo acidente aéreo, ocorrido no final de setembro, no norte de Mato Grosso. De acordo com o ministro, é preciso aguardar a investigação da Aeronáutica para apontar os culpados. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, no Rio, Waldir Pires disse que o sistema de controle de tráfego aéreo brasileiro tem nível de segurança comparável ao da Europa e dos Estados Unidos. O ministro disse ainda que, independentemente de qualquer diálogo com a torre de controle, os pilotos não deveriam ter fugido do plano de vôo previamente acertado.- A torre, normalmente, pensa em quando o avião está saindo e qual o destino final, mas não é ela que determina as altitudes e o curso das coisas. Isso é o plano de vôo. E, no plano de vôo, evidentemente, estava escrito que o avião deveria marchar a 37 mil pés de São José dos Campos até Brasília e em Brasília deveria descer a 36 mil pés - disse o ministro.Em nota divulgada nesta terça-feira, a ExcelAire responsabiliza os controladores de vôo brasileiros pelo acidente. Na nota, a empresa expressa sua solidariedade com as famílias das 154 vítimas, mas afirma que é cedo para ações indenizatórias. Também nesta terça, um grupo de dez parentes de vítimas entrou com ação na Justiça Federal americana contra a ExcelAire e a Honey Well, esta última fabricante do transponder que equipava o jatinho.Aeronave está sob seqüestro da JustiçaO juiz substituto José Henrique Neiva de Carvalho, da 1ª Vara Cível Residual, em Campo Grande, concedeu liminar ordenando o seqüestro do jato Legacy. O avião, fabricado pela Embraer, está na Base Aérea da Serra o Cachimbo, em Mato Grosso. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deve ser responsável pela guarda da aeronave. Desde 7 de outubro o jatinho estava impedido de sair do país. A nova decisão bloqueia também a possibilidade de venda, já que o valor do avião, em torno de R$ 52 milhões, seria a garantia de indenização das vítimas. Em seu despacho, o juiz também tornou indisponíveis todos os bens que possam existir no Brasil da empresa ExcelAire, proprietária do Legacy, e dos pilotos americanos Joseph Lepore e Jean Paul Palladino, incluindo contas bancárias.Decisão anterior proferida pelo desembargador João Mariosi, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, datada do dia 7 de outubro, já havia impedido que o jatinho Legacy saísse do Brasil, mas não proibia a venda.

Mais Sobre Política - Nacional

Sergio Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ

Sergio Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ

O juiz federal Sergio Moro, que assumirá o Ministério da Justiça no próximo governo, confirmou hoje (20) os nomes dos delegados Maurício Valeixo pa

Paulo Guedes quer secretaria de privatizações para acelerar a venda de ativos

Paulo Guedes quer secretaria de privatizações para acelerar a venda de ativos

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende criar uma Secretaria de Privatizações no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) par

Haddad vira réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Haddad vira réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

É a primeira vez que o petista se torna réu em ação criminal

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

Em meio a reações como a do governo cubano que decidiu suspender a parceira com o Programa Mais Médicos, o presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a