Porto Velho (RO) terça-feira, 24 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Uso de dossiê contra adversários é bandidagem, diz Lula


Luiza Damé, Agência O Globo ARACAJU - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou neste sábado a divulgação de dossiês contra candidatos no período eleitoral, dizendo que isso é um desserviço para a democracia. Lula afirmou que nunca concordou com a divulgação de dossiês contra adversários e que os aliados não contem com ele nesse tipo de bandidagem. Ao deixar a capital de Sergipe, onde fez comício na noite de sexta-feira, o presidente disse ainda que denúncias infundadas contra adversários para angariar dividendos eleitorais são abomináveis e levam a sociedade a ter nojo da política. - Eu fico imaginando se todas essas denúncias forem mentiras, quem é que vai dizer que é mentira, quem vai reparar o erro que aconteceu, depois das eleições. A história do Brasil tem exemplos de pessoas que foram acusadas de matar pessoas, perderam a eleição e depois ficou por isso mesmo. Então, quem quiser fazer bandidagem, por favor, não queira o Lula como parceiro, porque não aceito esse tipo de coisa - afirmou o presidente, acrescentando que o país vive um momento de afirmação não só no campo econômico, mas também no comportamento político das pessoas. O presidente disse desconhecer detalhes da prisão do petista Valdebran Padilha da Silva, pela Polícia Federal, sob a acusação de estar comprando um dossiê contra o tucano José Serra, candidato a governador de São Paulo. Lula lembrou que em períodos eleitorais é comum a oferta de dossiês contra os adversários. Segundo Lula, quando disputou a presidência em 1989, 1994 e 1998, apareceram dossiês contra seus adversários, mas ele se recusou a usar na campanha eleitoral. O presidente disse preferir vencer as eleições discutindo programa de governo. - Eu acho abominável as pessoas tentarem comprar notícias. Tem pessoa que ainda acha que pode ser melhor que o outro se tiver uma denúncia maior do que a que ele foi vítima. Eu acho isso uma coisa absurda na política brasileira, isso não ajuda o eleitorado a decidir no dia 1° de outubro. Pelo contrário, vai deixando a sociedade com nojo da política, vai deixando a sociedade afastada das pessoas - afirmou Lula, acrescentando que quem negociou dossiê vai "pagar o preço" por seu ato. O presidente pediu cautela na avaliação da operação da Polícia Federal, que prendeu também o empresário Luiz Antônio Vedoin, líder da máfia das ambulâncias: - Eu não conheço o teor do depoimento das pessoas. Essa coisa, quando se trata de investigação da Polícia Federal, eu acho que um pouco de cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém. Esperar o resultado para ver o que acontece. Lamentavelmente na política brasileira toda época de eleição aparece isso. O presidente disse ainda que não faria julgamento sobre denúncia de que a máfia dos sanguessugas teria atuado principalmente no período em que o tucano esteve à frente do Ministério da Justiça. Para Lula, por se tratar de período eleitoral, há muito sensacionalismo e as denúncias aparecem como se fossem vendavais. - Eu acho que, se saiu alguma coisa, o Serra tem experiência política, história política para explicar o que aconteceu. O que a gente não pode permitir é que isso seja razão de uma campanha política - afirmou Lula, acrescentando: - Acho que essas denúncias, faltando dias para as eleições, não ajudam. Você levanta a coisa e depois não acontece nada; no outro dia levanta outra, não acontece nada; levanta outra, não acontece nada, você vai dizer para o povo que política é isso. Eu acho que isso presta um desserviço aos amantes da democracia no Brasil. Lamentavelmente é assim a nossa política. Ao deixar o hotel em Aracaju, Lula foi abordado por uma vendedora de artesanato, mas se recusou a comprar um peça: - Candidato não pode comprar, meu amor. Sabe por quê? Porque se não vão dizer que estou comprando voto.

Mais Sobre Política - Nacional

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) defendeu nesta quinta-feira (2) as medidas que estão sendo aprovadas pela Câmara e pelo Senado no

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

O deputado federal Lucio Mosquini é o relator revisor da MP 924/2020, conhecida como MP do Enfrentamento do coronavírus. O Senador Eduardo Gomes també

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu