Porto Velho (RO) quarta-feira, 16 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

TSE alerta para propaganda enganosa na TV


Raquel Miúra, Agência O GloboBRASÍLIA - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio de Mello, criticou nesta quinta-feira as promessas que estão sendo feitas no horário eleitoral gratuito, dizendo que muitas delas poderiam ser enquadradas como propaganda enganosa. Irônico, Marco Aurélio voltou a afirmar que seria muito bom se fosse possível aplicar, à propaganda eleitoral, as regras do Código de Defesa do Consumidor:- Muita gente se diz santinho e não é. Seria muito bom se pudéssemos aplicar o Código do Consumidor contra a propaganda enganosa. Devemos excluir do nosso sufrágio pessoas que prometem o que não podem cumprir.Na noite desta quinta-feira, o TSE decidiu multar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em R$ 900 mil por propaganda eleitoral antecipada. O motivo foi uma cartilha entitulada "Brasil, um País de Todos", publicada em dezembro de 2005 com tiragem de um milhão de exemplares. A publicação fazia comparações entre o governo de Lula e o de seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso. O advogado de Lula, Antonio Tofoli, afirmou que vai recorrer da decisão.Reportagem publicada pelo jornal "O Globo" mostra que o presidente usou números maquiados para falar sobre sua gestão. De acordo com a reportagem, Lula errou ao citar estatísticas e preços superestimados dos produtos.Marco Aurélio não fez referência, no entanto, a qualquer propaganda específica. Segundo Marco Aurélio, os eleitores devem ficar atentos e fazer seu próprio juízo do que vêem nos programas:- Se o eleitor tiver o mínimo de atenção para o contexto, com a experiência de vida não vai se deixar enganar. Não somos ingênuos, não subestimem o povo brasileiro. De início, (a propaganda) é de boa qualidade, mas é claro que temos candidatos que exageram em termos de promessas, em termos de dias melhores, e aí cumpre ao eleitor não se deixar enganar. O eleitor deve fazer exame criterioso do que está sendo dito na propaganda.Ele considera que uma espécie de Código de Defesa do Consumidor para a política seria interessante como forma de avaliar o desempenho do mandato, tendo em conta o que foi dito e o que está sendo realizado:- É uma sugestão para uma normatização futura. Marco Aurélio também defendeu que os eleitores não votem em candidatos cuja vida pregressa esteja sob suspeita. Para o presidente do TSE, diferentemente dos juízes que têm sua atuação vinculada à lei, os eleitores são livres para repudiar candidatos sobre os quais pairem dúvidas de lisura no trato da coisa pública. Segundo o ministro, mesmo que o candidato não tenha sido condenado em última instância, só o fato de estar sob investigação deve servir de alerta:- Tem que considerar o que (os candidatos) fizeram até aqui, o que prometem. É bom considerar que onde há fumaça, há fogo. Essa é uma máxima popular certíssima. Se estou em dúvida quanto ao perfil de um certo candidato, devo escolher outro sobre o qual não tenha quaisquer dúvidas.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que