Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Tasso: 'Lula venceria a eleição contra qualquer candidato'


Agência O GloboRIO - O presidente do PSDB, o senador Tasso Jereissati, foi entrevistado na noite de segunda-feira no programa "Roda Viva", na TV Cultura. Para ele, a vitória do presidente Lula foi fruto de um conjunto de circunstâncias, com o uso de programas assistencialistas para os pobres e uma falsa idéia lançada para a classe média sobre as privatizações.- Esta questão da privatização, nos deixou claro que a população não consegue ver a diferença entre um partido e outro do ponto de vista programático. Nós não soubemos defender a privatização. O PT atacou como se nunca tivesse feito privatizações. O PT foi bastante hábil no momento em que jogou para a classe média a questão, destacando muito mais uma falsa privatização que iria ser feita da Petrobras, dos Correios, da Caixa Econômica.Questionado sobre se teria arrependimento por ter sido uma das vozes decisivas dentro do PSDB na escolha de Geraldo Alkmin como candidato do partido, o senador respondeu que qualquer outro teria sido derrotado por Lula.- Não me arrependo de forma alguma. Alckmin foi um excelente candidato, obstinado, lutou até o fim. Mas qualquer que fosse o candidato o Lula teria ganho a eleição por uma série de circunstâncias. Em regiões paupérrimas do Brasil, a população hove vive basicamente do Funrural. Com o desemprego geral é o aposentado quem sustenta a família. Esse aposentado passou a ter às vésperas da eleição um aumento do salário-família e em seguida teve o empréstimo consignado, além do Bolsa-Família. Este clima de euforia econômica é que deu a vitória ao Lula.Tasso disse que com todos os escândalos que aconteceram no governo Lula, ele não teria sequer a condição de ser candidato.- O conjunto dos escândalos foi muito maior do que pelo passou o ex-presidente Collor. O presidente Lula conseguiu colocar na pauta o programa social e ao mesmo tempo fazer uma acusação grave para se defender. A grande defesa do PT, é "nós roubamos". Eles não negam, mas dizem que todo mundo faz. A privatização colocou na classe média uma dúvida enorme. A palavra que foi vendida como panacéia virou palavrão. Com essas três circunstâncias somadas seria muito difícil derrotar Lula.A possibilidade de um impeachment foi afastada pelo PSDB por uma questão de responsabilidade política. Mas Tasso diz ter certeza de que Lula sabia de tudo sobre o esquema de corrupção em seu governo.- Foi um senso de responsabilidade. O que poderíamos causar ao país naquele momento se levassemos a questão ao máximo? Naquela época nós não tínhamos a convicção do envolvimento do presidente da República. Hoje tenho pessoalmente absoluta convicção de que o presidente da República sempre soube de tudo o tempo todo. Depois dessa vitória dele não há condição política para um pedido de impeachment.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que