Porto Velho (RO) quarta-feira, 18 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

STF nega MS impetrado por Juiz trabalhista de RO.


O ministro Sepúlveda Pertence negou seguimento [arquivou] ao Mandado de Segurança (MS) 26148, impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF) por Vulmar de Araújo Coêlho Júnior, presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Rondônia (TRT-RO), contra ato do Tribunal de Contas da União (TCU), que aplicou multa ao tribunal pelo deferimento de licença remunerada para tratamento de saúde a uma servidora, considerada indevida.

De acordo com Vulmar, na condição de presidente do TRT-RO, ele participou de um julgamento de recurso administrativo, onde foi deferido o pedido feito por uma servidora, ocupante de um cargo em comissão, para a concessão de licença para tratamento de saúde, pelo prazo de 60 dias, pagos pelo tribunal.

Após a concessão do benefício, a Procuradoria da República do estado de Rondônia ajuizou uma representação no TCU, que recebeu provimento. A Corte de Contas considerou indevida a licença concedida, aplicando uma multa de R$ 3 mil aos magistrados que integraram o julgamento.

Inconformada, a defesa interpôs um pedido de reexame da pena e opôs embargos de declaração, por considerar descabida a condenação, tendo em vista o depósito judicial feito pela servidora, referente ao que lhe foi pago durante a licença, evitando assim, qualquer prejuízo ao TRT. Mesmo assim a, aplicação da multa foi mantida, o que originou o mandado de segurança impetrado no STF.

O advogado do juiz insistiu na inocorrência de prejuízos para a Administração Pública com o depósito feito pela servidora determinado pela Justiça Trabalhista. Sustentou, ainda, a desconsideração do pricípio do contraditório quanto aos critérios de fixação da pena. Pediu, por fim, a suspensão da multa aplicada e, no mérito, o afastamento definitivo da pena.

Em sua decisão, o ministro Sepúlveda Pertence destaca que o artigo 5º da Lei de Mandado de Segurança (Lei nº 1533/51) diz que o MS não será concedido quando se tratar de ato que caiba recurso administrativo com efeito suspensivo, caso em que deve ser negado seguimento ao pedido, sem apreciação do mérito.

Segundo o relator, não existe no MS informação de que o presidente do TRT-RO tenha interposto pedido de reexame com efeito suspensivo do acórdão dos embargos de declaração, opostos do julgamento da Representação da PGR. Contudo, consta que os demais julgadores - litisconsortes na ação - fizeram tal pedido, concluiu o ministro.

Assim, Sepúlveda Pertence negou seguimento ao pedido. O ministro ressalvou o direito de nova impetração, caso seja indeferido o efeito suspensivo feito no pedido de reexame, apresentado pelos liticonsortes do impetrante.

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç