Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Sanguessugas: 40 parlamentares sob risco de cassação


Agência O Globo BRASÍLIA - A CPI das Sanguessugas já sabe quantos e quais parlamentares podem ser indiciados no escândalo da máfia das ambulâncias. O sub-relator de sistematização da comissão, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), vai entregar nesta segunda-feira ao presidente da CPI, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), dois disquetes de computador, indicando as provas contra cada um dos notificados. Pelo menos, 40 parlamentares estariam correndo risco de ter o mandato cassado. A CPI afirma ter provas incontestáveis do envolvimento deles com as fraudes nas compras de ambulâncias com dinheiro público. Mas a investigação não terminaria: a comissão precisa de mais tempo para fundamentar as denúncias contra outras dezenas de parlamentares. Carlos Sampaio concluiu na noite de domingo a análise das provas contra os suspeitos de participar da máfia dos sanguessugas. Seu texto separa os acusados em quatro categorias: os que foram apenas citados; os que devem passar por novas investigações; os que aparecem em depoimentos e documentos da empresa Planam; e o ultimo grupo, em que há provas definitivas de envolvimento com o esquema de corrupção. - E existem outros depoimentos que dão credibilidade ao depoimento de Vedoim (dono da Planam), como o livro caixa da empresa e o depoimento de Maria da Penha Lino (ex-assessora do Ministério da Saúde) - disse Carlos Sampaio. O deputado não quis revelar as conclusões do relatório, mas disse que o Congresso nunca teve provas de corrupção contra tantos parlamentares ao mesmo tempo. - Se todas as provas entendidas como provas robustas forem apreciadas pelo plenário, eu não tenho a menor dúvida que, infelizmente, será um dos maiores episódios de cassações vivenciados pelo Congresso - declarou o sub-relator da CPI. Técnicos da CPI que tiveram acesso aos documentos asseguram que há provas incontestáveis contra 40 parlamentares. Ao separar os notificados em grupos, 16% receberam a propina em depósitos na própria conta ou de parentes; 27% receberam na conta de assessores; 6% na conta de outras pessoas indicadas pelos parlamentares; e 23% em dinheiro, pago diretamente pelos empresários da máfia das sanguessugas. A expectativa agora é pelo depoimento de Luiz Antonio Vedoin, dono da empresa Planam, que fornecia as ambulâncias a preços superfaturados e coordenava a máfia. Ele já falou à Polícia Federal, à Justiça e agora vai conversar com os parlamentares - tudo em sigilo.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)