Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Presidente do TSE diz que decisão sobre mandatos tem base na Lei dos Partidos


Agência O GloboBRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirma, em reportagem publicada neste domingo no jornal O Globo, que a decisão do Tribunal que estabeleceu que os mandatos eletivos pertencem aos partidos e não aos eleitos, está amparada pela Lei dos Partidos Políticos (Lei 9.096/95).- Não foi o TSE que aprovou essa norma. Foi o Congresso, em 1995. É uma lei antiga, todos os parlamentares deviam estar a par. Ninguém pode se eximir de conseqüências invocando ignorância à lei - diz Marco Aurélio.O ministro está certo de que, pela Lei dos Partidos Políticos, quem deixou o partido pelo qual foi eleito infringiu essa lei e perde automaticamente o cargo ou função. Ele diz que o partido pode requerer as vagas e a posse do suplente ao presidente da Casa legislativa. Já o entendimento do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e da maioria dos líderes dos partidos governistas é de que só a Justiça, no caso o Supremo, poderá dar aos partidos as cadeiras que eles perderam com o troca-troca.Outras decisões polêmicas do TSE - como a verticalização nas alianças e a cláusula de desempenho nas eleições - também seguiam conceitos e princípios previstos nesta lei e na Constituição, mas foram derrubadas no Supremo Tribunal Federal (STF).A expectativa dos partidos de oposição - que perderam deputados para a base governista - e do próprio Marco Aurélio é que o STF confirmará essa interpretação que é, na prática, a instituição de uma espécie de fidelidade partidária.Marco Aurélio, que também integra o Supremo, já fez as contas e diz que, dos 11 ministros, pelo menos cinco seguiriam a interpretação do TSE. Ficaria faltando um voto.(Leia a reportagem completa em O Globo Digital)

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que