Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Popularidade de Lula volta aos patamares pré-mensalão


Adriana Vasconcelos - (Agência O Globo)BRASÍLIA - A pesquisa CNT/Sensus de agosto mostra que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recuperou a popularidade que tinha antes do escândalo do mensalão, voltando a índices próximos dos de julho de 2005, quando a aprovação de seu governo estava em 59,9% e a desaprovação, em 30,2%. Na pesquisa atual, a aprovação do governo atingiu 59,3%, contra 55,8% de julho passado, enquanto a desaprovação caiu de 37,0% em julho para 32,5% em agosto.Os entrevistados que consideram o governo ótimo ficou em 8,7% em agosto, contra 9,2% em julho, enquanto os que o consideram bom subiu de 31,7% para 34,9%. Com isso, a avaliação positiva (ótimo e bom) atingiu 43,6%, contra 40,9% em julho. O percentual dos que consideram o governo regular subiu de 38,5% em julho para 39,5% em agosto, enquanto os que o consideram ruim caiu de 8,1% para 6,9% e os que consideram péssimo caiu de 11,2% para 8,7% entre julho e agosto. Com isso, a avaliação negativa atingiu 15,6% em agosto, contra 19,3% em julho.

Mais Sobre Política - Nacional

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

Previdência, nomeação de ministros e reajuste estão na agenda

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Futuro ministro afirma que haverá rigor contra crimes de ódio