Porto Velho (RO) terça-feira, 28 de janeiro de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Poder político institucional continua masculino



Adital - As mulheres não terão muito o que comemorar no próximo dia 8 de março, quando se celebra o Dia Internacional da Mulher. Pelo menos, no que diz respeito à participação política. Um estudo do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea) revela que, na democracia representativa no Brasil e no mundo, o poder político institucional continua sendo masculino, assim como branco, heterossexual, cristão, urbano e proprietário.

Em todo o mundo, há somente 17,2% de mulheres legisladoras. Nas Américas, a porcentagem aumenta um pouco alcançando 19,5%. As Nações Unidas estimam que, se continuar no atual ritmo, a igualdade de participação entre os sexos em casas legislativas só será concretizada em cem anos. Dados da União Inter-parlamentar mostram que o Brasil possui 8,7% de deputadas federais, posicionando-se em 146º num ranking de 192 países e em penúltimo lugar na América do Sul.

A avaliação da representatividade da mulher na política, realizada pelo Cfemea, analisou o processo eleitoral encerrado no final de outubro de 2008. As mulheres formavam a maioria do eleitorado, com 51,73%. No entanto, foram minoria tanto como candidatas è prefeita, vice-prefeita e vereadora quanto como eleitas a esses cargos.

Em nível nacional, 21,36% dos 377.733 candidatos eram mulheres que concorreram à prefeitura, à vice-prefeitura e à câmara de vereadores. Dessa porcentagem, foram eleitas 6.508 vereadoras e 504 prefeitas. A análise ressalta que nenhum dos 27 partidos cumpriu a Lei 9.504/97, que reserva um percentual mínimo de 30% das vagas de candidatura ao sexo minoritário.

O estudo evidencia ainda que a faixa etária predominante dos(as) candidatos(as) estava entre 45 a 59 anos, o que pode estar associado aos ciclos de vida da mulher e às conseqüências da divisão sexual do trabalho. As mulheres têm como barreira o fato de muitos homens com carreiras políticas consolidadas conseguirem facilmente se reeleger.

"A possibilidade de reeleição é um fator de conservação da composição de gênero/ geração e um obstáculo à renovação da Câmara de Vereadores, prejudicando as mulheres que buscam ingressar na assembléia. Entre outros motivos, é por isso que as mulheres demoram mais para construir uma carreira política: 52% das deputadas federais têm entre 45 e 59 anos, por exemplo, em oposição aos 48% de legisladores homens", afirmam.

Fonte: Adital

Mais Sobre Política - Nacional

Bolsonaro anuncia aumento do piso dos professores

Bolsonaro anuncia aumento do piso dos professores

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciaram por meio de live (transmissão ao vivo) em rede soci

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo