Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PF prende presidente do TJ de Rondônia


Agência O GloboPORTO VELHO/RO - A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira dez pessoas suspeitas de envolvimento com uma quadrilha que agia na Assembléia Legislativa de Rondônia desviando recursos públicos. Entre os presos está o presidente do Tribunal de Justiça do estado, deputados estaduais, um procurador e um juiz de direito e empresários.O grupo investigado pela operação Dominó também é acusado de exercer influência indevida e promíscua sobre agentes do Poder Judiciário, do Ministério Público, doTribunal de Contas e do Poder Executivo do estado. As investigações tiveram início em junho de 2005.A operação conta com a participação de 300 policiais federais do Amazonas, do Distrito Federal, do Mato Grosso, do Acre e de Rondônia. A PF encontrou grande soma de dinheiro na residência de um dos deputados em notas pequenas, sugerindo compra de votos. O filho de outro deputado foi preso em flagrante por posse ilegal de uma arma de fogo.Segundo as investigações, o grupo criminoso lesou os cofres públicos em cerca de R$ 70 milhões e tem como principal membro o próprio presidente da Assembléia Legislativa do estado, o deputado José Carlos de Oliveira, conhecido como Carlão de Oliveira, um dos presos na operação. Integram também o grupo outros parlamentares estaduais que se beneficiaram com os recursos desviados, inclusive integrantes da Mesa Diretora da Assembléia.Alguns dos integrantes da quadrilha estão diretamente ligados a deputados estaduais, outros têm posição destacada na organização devido à função que ocupavam na estrutura funcional da Assembléia. São servidores das diretorias Geral, de Recursos Humanos, Financeira e da Comissão Permanente de Licitação, já que todos os atos formais de contratação e pagamento da Assembléia passam, necessariamente, por esses setores.As investigações apontaram inúmeros empresários de Rondônia e também de outros estados envolvidos com a organização criminosa. A função dessas pessoas se justifica quando a Assembléia celebra contratos apoiados em processos licitatórios viciados e fraudulentos com suas empresas. Dessa forma, recursos públicos são desviados nos pagamentos de serviços, compras e obras superfaturadas. Em algumas situações, os objetos dos contratos sequer eram entregues ou prestados. Esses empresários dividiam com os integrantes da organização as vantagens econômicas obtidas.Há o envolvimento de dezenas de "laranjas", que emprestam seus nomes, dados e contas bancárias para movimentar recursos e ocultar patrimônio e titularidade das empresas envolvidas no esquema. O uso desses laranjas tem o objetivo de dificultar a obtenção de provas e garantir a impunidade dos chefes do esquema, segundo a PF.As investigações constataram que a atuação do grupo criminoso já chegava a comprometer algumas das instituições investigadas. Uma nova frente investigativa foi então aberta, desta vez através do Superior Tribunal de Justiça,para apurar a exata participação de desembargadores de Justiça e conselheiros do Tribunal de Contas nas fraudes. Mesmo com a investigação ocorrendo paralelamente no STJ, as provas obtidas demonstram que já nas primeiras decisões da Justiça Estadual de 1ª Instância, em atendimento a ações desenvolvidas pela Policia Federal e Ministério Público, o grupo criminoso cooptou altos membros do Judiciário, do Ministério Publico e do Tribunal de Contas Estaduais.

Mais Sobre Política - Nacional

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

Previdência, nomeação de ministros e reajuste estão na agenda

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Futuro ministro afirma que haverá rigor contra crimes de ódio