Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Oito mil homens da PF vão coibir compra de votos nas eleições


Demétrio Weber - Agência O Globo BRASÍLIA - A Polícia Federal anunciou nesta sexta-feira a operação "Voto Livre", que terá o objetivo de reprimir crimes eleitorais. Cerca de oito mil homens estarão nas ruas de todo o país, sendo 1.600 na cidade do Rio de Janeiro, 1.500 na cidade de São Paulo e 300 no Distrito Federal, fazendo patrulhamento ostensivo e à paisana. Os agentes também vão participar de operações de inteligência e de gravação em vídeo para combater a compra de votos, o transporte e o fornecimento de alimentação para eleitores e a propaganda irregular. - Queremos dar o seguinte recado para quem quer comprar voto, transportar eleitor: 'vamos agir com muito rigor' - disse o delegado Lázaro Moreira da Silva, que é coordenador-geral substituto da Defesa Institucional da Polícia Federal. Segundo Lázaro, a PF já realizou esse tipo de operação em eleições anteriores. A novidade deste ano é que a ação vai incluir também o Distrito Federal. O delegado negou que exista alguma ameaça ou que a polícia tenha informação que indique maior risco de corrupção nestas eleições. - Não há motivação extra nem ameaça alguma. Queremos combater cada vez mais os crimes eleitorais - afirmou. Segundo ele, pelo menos 32 municípios pediram a presença de tropas do Exército no dia das eleições em estados como Alagoas, Pernambuco, Bahia e Amazonas. A própria Polícia Federal deslocou agentes para outros estados e cidades. Do prédio-sede da PF, por exemplo, foram enviados agentes para a cidade de Itaíba (PE). Em alguns estados a operação "Voto livre" começou nesta sexta-feira, como Rio, Goiás e São Paulo. No Distrito Federal, começará no sábado. O delegado disse que, na quinta-feira, a PF apreendeu material que comprova crime eleitoral em Uberaba (MG), com a tentativa de aliciamento de eleitores. Lázaro não revelou o partido nem o candidato envolvido, pois, segundo ele, a Justiça não autorizou a divulgação. Em relação à propaganda eleitoral no dia da eleição, o delegado disse que somente serão permitidas manifestações individuais e silenciosas. Ou seja, o eleitor poderá votar usando bótom e camiseta do seu candidato, desde que ela não tenha sido distribuída pelo candidato. Segundo o delegado, carreatas, buzinaços e mesmo grupo de eleitores com camisetas e bótons não serão permitidos. Para o crime de compra de votos a punição é de até quatro anos de detenção. O transporte ou fornecimento de alimentação para eleitores tem pena ainda mais grave, de quatro a seis anos. Boca-de-urna e propaganda irregular são punidos com detenção de até um ano.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)